Lucescu fica mesmo no Dínamo Kiev

Ucrânia 31-07-2020 08:49
Por Paulo Jorge Santos

Treinador mais importante da história do Shakhtar, clube que orientou durante 12 temporadas (de 2004 a 2016) coroadas com… 22 troféus - oito de campeão nacional, seis Taças, sete Supertaças e uma Supertaça Europeia -, Mircea Lucescu, 75 anos, foi ontem apresentado no Dínamo Kiev, o grande rival do clube atualmente treinado por Luís Castro. E é precisamente frente ao português de 58 anos que o mister romeno fará a estreia, encontro para a Supertaça entre os dois gigantes ucranianos.


«Estou muito feliz por estar de volta à Ucrânia. Espero que estejamos juntos durante muitos anos», começou por afirmar o romeno que anteontem festejou o 75.º aniversário e foi felicitado pelo… Shakhtar, que na conta do Twitter desejou «saúde, inesgotável energia, otimismo e prosperidade» ao antigo técnico.


Anunciado a 23 de julho com um contrato de duas épocas (mais uma de opção), quatro dias depois surgiram notícias de que Lucescu estava de… saída após ameaças e insultos dos adeptos radicais do Dínamo Kiev. «Prometemos uma receção calorosa e as condições mais difíceis para trabalhar», foi uma das mensagens que circulou nas páginas dos ultras do clube, que definiram a contratação como «uma facada no coração». Porém, ainda no próprio dia da suposta demissão de Lucescu, Ihor Surkis, 61 anos, presidente do emblema de Kiev, veio a público garantir que tinha falado com o antigo extremo do Dínamo Bucareste e que este ia ficar.


«Os ultras querem liderar o clube? Que venham! Tragam é algum dinheiro...», atirou Surkis, antes de passar a bola a Mircea Lucescu: «É claro que conto com o apoio dos adeptos. Não faria sentido se assim não fosse. Devem apreciar a coragem que tive em dar este passo e estar aqui no Dínamo depois de tantos anos no Shakhtar.»


Cogitado para o lugar de Jorge Jesus no Flamengo, Mircea Lucescu, sete vezes campeão com a camisola do Dínamo Bucareste, deu os primeiros passos como treinador em 1979. Desde então, trabalhou em 11 clubes de cinco países - Roménia, Itália, Turquia, Ucrânia e Rússia - e nas seleções romena e turca. Campeão nacional por Dínamo e Rapid, ambos de Bucareste, Galatasaray e Besiktas, foi no Shakhtar que enriqueceu o currículo e em 2006 foi agraciado com a Ordem de Mérito de um país ao qual está de regresso. Se voltará a ser feliz só o tempo o dirá…
 

Ler Mais
Comentários (3)

Últimas Notícias