O processo de civilização aplicado ao desporto (artigo de Vítor Rosa, 81)

Espaço Universidade 12-02-2020 00:01
Por Vítor Rosa

Norbert Elias (1897-1990) não participa no processo de sacralização do desporto moderno, mas retém a dimensão histórica, situando a sua génese no quadro da Inglaterra do século XVIII. Para este sociólogo alemão, a emergência do desporto supõe a pacificação do espaço social, assegurado pelo Estado, cujo critério distintivo é o exercício do monopólio da legítima violência física. Os confrontos privados, que colocam em perigo a integridade física e a vida dos indivíduos, são proibidos e sancionados. A emergência de uma configuração sociopolítica que condena o uso de todas as formas de violência nos confrontos corporais criou, assim, as condições favoráveis para a génese do desporto. A invenção da democracia parlamentar em Inglaterra apresenta, na perspetiva deste sociólogo, um princípio de correlação e de explicação para o surgimento e regulação das práticas desportivas. Dotado de uma função de irradicação da violência, o desporto ocupa uma posição central no processo de civilização, preso numa dupla perspetiva – objetiva e subjetiva – do processo de pacificação e transformação dos indivíduos. A violência, esta figura absoluta do mal, a guerra de todos contra todos, que se opõe à pacificação pela razão, pelo autocontrolo e pela universalização do direito. Os constrangimentos impostos pelas pulsões dos indivíduos são progressivamente incorporados sob a forma de um constante e rigoroso autocontrolo. Elias apoia-se nesta teoria para refutar a continuidade entre o desporto e os Jogos antigos. As traduções tardias da teoria do “processo de civilização” de Norbert Elias impôs-se como uma doxa (opinião) incontornável. O desporto faz reviver, de forma simbólica, as práticas do passado sem as apagar; ele atualiza uma espécie de “remorsos das brutalidades primitivas” e preserva o prazer do confronto real. A função do desporto é a de libertar as emoções e permitir de que elas se exprimam sob a forma de excitação controlada e moderada.

 

Vítor Rosa

Sociólogo, Doutor em Educação Física e Desporto, Ramo Didática. Investigador Integrado do Centro de Estudos Interdisciplinares de Educação e Desenvolvimento (CeiED), da Universidade Lusófona de Lisboa

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias