Clube Desportivo Escolar o futuro do associativismo juvenil (artigo de Eduardo Monteiro, 82)

Espaço Universidade 28.10.2022 13:06
Por Eduardo Monteiro

Num país como o nosso constituído simultaneamente por território contínuo (espaço continental) e por ilhas (regiões autónomas) com uma acentuada descontinuidade territorial verifica-se, em muitas situações, que existem imensas escolas que vivem num isolamento contagiante, que condiciona o desenvolvimento dos alunos em todos os aspectos com enorme realce no desporto por inexistência de instituições vocacionadas para a prática desportiva que lhes proporcionem o devido enquadramento.
 

Perante este cenário, em que os estabelecimentos de ensino se encontram isolados ou distantes uns dos outros é natural que exista um sentimento de marginalização entre os alunos porque não têm ao seu alcance as condições mínimas de acesso ao desporto e integração em actividades desportivas organizadas. Contudo, acreditamos que as escolas, desde que devidamente apoiadas, são as entidades que melhor podem ultrapassar estes constrangimentos de maneira a transformarem-se no motor de desenvolvimento da comunidade circundante. Para que isso possa acontecer as escolas devem ser atractivas e dinâmicas e, nas mais diversas áreas sociais, possuir centros de aperfeiçoamento ajustados aos interesses dos alunos no preenchimento dos seus tempos livres.
 

Em conformidade e, como primeira medida, os horários escolares devem ser organizados no sentido de melhorar e articular as actividades curriculares e extracurriculares ao serviço dos alunos. Por outro lado, as escolas devem saber viver de mãos dadas com as autarquias e estas, por sua vez, também têm que perceber que as escolas são instituições com uma importância fundamental no seu território político-administrativo em termos de desenvolvimento humano e desportivo.


Neste contexto, a criação do Clube Desportivo Escolar integrado na estrutura das Escolas Secundárias e, eventualmente, nas Escolas Profissionais pode ser uma resposta adequada e portadora de futuro para o desenvolvimento das actividades extracurriculares dos alunos dos diversos graus de ensino. A função do Clube Desportivo Escolar nestas escolas deverá ter como principal missão animar a juventude local em projectos educativos úteis para a vida e como estratégia de acção uma efectiva colaboração na organização das actividades desportivas escolares, assim como, a realização de acções de formação em diferentes áreas para os alunos.
 

O Clube Desportivo Escolar deve ser uma estrutura orgânica simples e funcional. Na sua composição deverá ter professores, alunos, funcionários e, eventualmente, encarregados de educação que se voluntariem para colaborar. A direcção do CDE deverá ser liderada por um membro do conselho directivo da escola sendo as restantes funções distribuídas pelos outros elementos da equipa directiva. O facto do CDE ser uma associação desportiva da própria escola permite-lhe beneficiar dos apoios necessários ao seu funcionamento, quer se trate da utilização permanente das instalações desportivas, como também, do apoio específico dos docentes especializados no ensino desportivo e dos respectivos serviços administrativos e financeiros.
 

 Deste modo, será um verdadeiro clube desportivo de âmbito escolar/comunitário localizado na escola, onde todas as novas gerações, as actuais e as vindouras, irão fazer diversas aprendizagens no sentido da valorização humana. Do mesmo modo, é uma primeira forma de associativismo dos adolescentes, através do desporto, na organização do seu futuro e dos colegas mais novos. Uma nova fornada de dirigentes desportivos, e não só, que irão progressivamente conquistando espaço de actuação nas diferentes instituições desportivas, culturais, educativas, científicas ou da própria comunicação social.
 

O Clube Desportivo Escolar é uma opção educativa de cada escola, de preparação para a vida associativa em cada comunidade, quer se trate duma freguesia, concelho, vila, cidade ou ilha. Não é uma associação criada para substituir os clubes, mas sim uma entidade vocacionada para semear desporto junto da população escolar com natural reflexo nas estruturas comunitárias, em benefício dos clubes ou outras agremiações que possam nascer a partir do associativismo local.
 

Organizar o futuro da juventude portuguesa, através do desporto, aproveitando a atração que ele exerce sobre as crianças e adolescentes tirando partido da sua popularidade à escala mundial. O desporto é actualmente, uma das actividades humanas de enorme prestígio na sociedade contemporânea e aquela que congrega maior número de pessoas à sua volta. Tem a capacidade de organizar grandes eventos internacionais como os Jogos Olímpicos, Jogos Continentais e Campeonatos do Mundo, nas mais diversas modalidades desportivas (individuais ou colectivas) com transmissões directas pela televisão. Nenhuma outra actividade humana possui tanta cobertura mediática através de jornais diários e canais televisivos exclusivamente sobre desporto.  
 

O desporto para além de ser um meio educativo de largo alcance, pois é praticado na maioria das escolas, produz avultadas receitas ao nível da alta competição que são distribuídas por muitas entidades e intervenientes do fenómeno desportivo, sendo igualmente uma das actividades mais solidárias em todo o mundo para com os mais desfavorecidos. O Comité Olímpico Internacional, através da Solidariedade Olímpica, investe grande parte das suas receitas no apoio à construcção de instalações em centros de ensino escolar em países pobres. As receitas das transmissões televisivas dos campeonatos universitários nos Estados Unidos possibilitam a atribuição de centenas de milhares de bolsas de estudo a jovens sem recursos financeiros.
 

Os principais indicadores económicos nos mais diversos países, espalhados por esse mundo fora, referem que as actividades físicas e desportivas são uma das áreas que se encontram em maior expansão e desenvolvimento à escala global e, como tal, são fundamentais na criação de novos empregos.
 

Por tudo isto, o Clube Desportivo Escolar pode ser, para muitas escolas e comunidades envolventes, um polo de desenvolvimento desportivo, cultural e económico das populações locais.

 

Eduardo Monteiro é ex-treinador do SL Benfica e das Seleções Nacionais


Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias