Samuel Santos à beira de 5.ª (!) medalha para Portugal nos Europeus de Pool

Bilhar 26-08-2017 00:29
Por António Barroso
O atleta Samuel Santos, do Clube de Bilhar de São João da Madeira, está à beira de conseguir para Portugal uma quinta medalha nos Campeonatos da Europa de Pool de Seniores (mais de 40 anos), Sub23, Femininos e Por Equipas, que decorrem desde 31 de julho e terminam este sábado em Leende (Holanda), prova desta variante do bilhar com participação lusa já histórica: duas medalhas de ouro, uma de bronze e uma de prata até aqui.

Às 10 horas da manhã deste sábado (menos uma em Lisboa), Samuel Santos discutirá com o croata Roberto Bartol o acesso aos quartos de final da disciplina de Bola 9 no Europeu de Sub23.

Caso Samuel Santos vença, joga os quartos quando forem 11 horas em Lisboa, e a vitória, e a presença nas meias-finais, garante-lhe desde logo uma medalha (não há jogo de atribuição de terceiro e quarto lugares, há dois terceiros).

As meias-finais da Bola 9 jogam-se quando forem 13 horas em Portugal, e a final às 15 horas portuguesas, ainda neste sábado, com Samuel Santos a procurar a mão cheia de medalhas para Portugal e a sua segunda nestes Europeus, em que já assegurou uma de prata na disciplina de Bola 8 (a mais popular em Portugal).

No concurso de Bola 9 dos Sub23, que fecha estes europeus nos Países Baixos, Samuel Santos começou por vencer outro dos três atletas lusos, Tomás Ribeiro, por 9-2, e depois o turco Sahin Furkan por expressivos 9-1.

Um desaire diante do lituano Pijus Labutis na negra (8-9) atirou-o para as repescagens – só se é eliminado ao segundo desaire nos Europeus -, onde discutirá na manhã deste sábado a presença nos oito melhores com o croata Roberto Bartol.

Ainda na Bola 9, Tomás Ribeiro encerrou a sua participação diante do espanhol Álvaro Canoniga (1-9), enquanto Américo Francisco, o campeão nacional de esperanças, começou por perder diante do lituano Pijus Labutis (4-9) e foi outro lituano a ditar a sua saída da competição, Rytis Kavaliauskas (7-9).

Só alemão travou Samuel de levar ouro

Antes, no concurso individual masculino de Bola 8, Samuel Santos conseguiu quinta-feira uma quarta medalha para Portugal nestes Europeus, neste caso de prata, apenas perdendo a final com o alemão Joshua Filler (2-8).

Antes, Samuel venceu o finlandês Jesse Huttunen por 8-1, o cipriota Berk Mehmetcuk por 8-4 nos quartos, o que lhe garantia desde logo a medalha, mas ainda assegurou a final, ao bater outro finlandês, Casper Matikainen, nas meias-finais, por 8-5.

Quanto ao restante duo de Portugal na Bola 8 dos Sub23 destes Europeus de Pool, Américo Francisco (P. Ferreira, All Star Academy) começou por baquear diante de Daniel Resch (4-8) mas continuou em prova ao vencer Tianfang Zhang por 8-3 e depois o lituano Pijus Labutis por 8-7. Américo só caíu às mãos de… Samuel Santos, nos oitavos de final, e também na negra (7-8).

Por seu turno, Tomás Ribeiro começou nesta Bola 8 por bater o bielorrusso Aliaksandr Haheyen por 8-6, e o belga Raphael Lankhor (8-3). Seria eliminado pelo finlandês Casper Matikainen, e apenas na negra (7-8).

Alexandra Cunha e Lídia Moreira de bronze

Proeza conseguiu também a Seleção Nacional feminina na prova por equipas. A dupla constituída por Alexandra Cunha e Lídia Guerreira assegurou o terceiro lugar e uma medalha de bronze para Portugal em Leende.

Tudo começou com uma vitória por 2-1 diante da Suécia, obtida no desempate a embolsar a bola preta do seu ponto (6-5), após Alexandra Cunha vencer o seu jogo na Bola 8 por 5-4 e Lídia Moreira ser derrotada na Bola 9 (2-5).

O desempate voltou a trazer estrelinha a Portugal (2-1) na ronda seguinte, diante da Itália, após Alexandra Cunha vencer o seu jogo na Bola 8 por 5-1 e Lídia Moreira ceder na Bola 9 (1-5).

O sonho do ouro terminou nas meias-finais, diante da França (0-2), com Alexandra Cunha a não resistir na Bola 8 (3-5) e Lídia Moreira na Bola 9 (2-5). Ainda assim, uma medalha saborosa para Portugal na prova feminina por equipas.

Henrique Correia bicampeão europeu

Impressionante, com uma dobradinha de títulos, na Bola 8 e Bola 9, foi a participação de Henrique Correia, de 50 anos, atleta do FC Porto e natural de Viana do Castelo, nos Europeus de Seniores de Pool, em que conseguiu já duas medalhas de ouro para Portugal.

Na prova de Bola 8, Kiko, como é conhecido pela comunidade de amantes do bilhar e suas variantes nacionais, teve uma caminhada invicta até ao ambicionado ouro nos Europeus.

Henrique Correia começou por vencer o norueguês Ronnie Oldervik por 7-2. Seguiu-se o dinamarquês Janick Nayne (7-1) e o sueco Mats Elfroos (7-2) a caírem às suas mãos, antes do alemão Reiner Wirsbitzk ir pelo mesmo caminho (7-2).

Nos quartos, chegou a certeza de medalha após bater outro sueco, Stefan Ericson, por 8-3. Faltava era saber a cor da medalha. Por isso, nas meias-finais Henrique Correia suplantou Rado Doroslovac por 8-5 e na final o holandês James Telfer não impediu o vianense do ouro (8-6).

Quanto aos outros representantes lusos na Bola 8 em Seniores, Manuel Pereira (Académica) começou por vencer dois cipriotas, Rustu Avgunlu por 7-5 e Emir Konuklu por 7-3, antes de perder com o austríaco Michael Stark (4-7).

Já António Neves (Sporting) perdeu na Bola 8 com o alemão Steffen Gross (3-7), venceu o finlandês Sami Kanttunen por 7-5 e viu o sonho chegar ao fim ante outro germânico, Frank Forsten (3-7).

Mas a proeza sensacional de Henrique Correia teve seguimento nos dias seguintes, com o ouro a dobrar, agora na disciplina de Bola 9. Começou por vencer o sueco Glenn Andersson por inapeláveis 8-0, e o austríaco Markus Weichart por concludentes 8-2, antes de o austríaco Michael Stark lhe impor um desaire (6-8) e enviar Kiko para as repescagens.

Aí, Henrique Correia venceu o norueguês Bjorn Bratteberg por 8-4 e o húngaro Csaba Nagy por 8-6, com o checo Milan Mrva (8-5) e o holandês Jimmy Worung (8-4) despachados logo após.

Nos quartos de final, uma vitória sobre o sueco Johan Svarben (9-4) garantia desde logo segunda medalha em quatro dias para Henrique Correia. Que não parou e foi por ali fora: cilindrou outro holandês, Alex Lely, nas meias-finais, por 9-2, e na final arrebatou com classe a dobradinha de ouros diante do alemão Reiner Wirsbitzki (9-6).

Campeoníssimo comovido

«Dobradinha de sonho que não apaga o meu desânimo de não ter ajudado o suficiente a nossa Selecção na prova por equipas. A minha medalha preferida é e será sempre pela nossa Selecção. Ouvir A Portuguesa, ficar com um nó entalado na garganta e reviver todas as emoções fortes que têm que ser vividas e digeridas para ainda alcançarmos algo que nos orgulhe a nós mesmos mas principalmente ao nosso País», escreveu Henrique Correia, na sua página pessoal na rede social Facebook sobre a fantástica proeza.

«Ir melhorando a qualidade de jogos depois de 8 dias intensos de competições é algo que nunca me esquecerei. Acabei a um nível que me faz pensar em continuar o meu trabalho de auto-instrução mas principalmente em instruir aqueles que querem ver as coisas como são, ou seja, aqueles que possam finalmente aceitar o quão difícil é esta modalidade e quanto necessitamos de aprender constantemente com humildade e sacrifício», afirmou ainda a estrela mais cintilante destes Europeus de Pool que terminam este sábado na Holanda.

«Agradeço ao meu treinador, Mauro Marianito, pelo apoio e confiança e tambem pelo excelente trabalho. E aos meus colegas e amigos das nossas Selecções, estiveram sempre lá a temperar os cozinhados que eu ia fazendo na mesa. Agradeço à Federação Portuguesa de Bilhar, uma vez mais, pelo seu sacrifício financeiro que, contra algumas opiniões contrárias à nossa participação, continua a acreditar em nós Este título é exclusivamente dedicado à minha lindissima companheira, que, de uma forma generosa e incondicional, me apoia e é uma fã de sonho», concluiu Henrique Correia a propósito da participação de sonho nos Europeus.

«12 finais europeias, nove títulos europeus individuais e quatro títulos europeus de selecções fazem de mim um Homem rico e crente em que, tenhamos a idade que temos, acreditar é e será sempre a palavra que nos move nesta vida que são dois dias e que tem de ser vivida intensamente», foi a mensagem de inspiração deixada por Henrique Correia aos jovens praticantes do bilhar e suas variantes.

Só faltou medalha à Seleção Masculina

Ainda na Bola 9 destes Europeus de Pool em Leende, Manuel Pereira venceu Alex Lely (8-5), o finlandês Anti Rantanen (8-3) e o russo Vladimir Kolesnikov (8-1), antes de cair diante do luxemburguês Marc Glatz (2-8).

Já António Neves (Sporting) também chegou a sonhar na Bola 9, em que começou por defrontar o norueguês Jorgen Nielsen e venceu três adversários de rajada – o russo Maxim Savapin (8-7), o norueguês Bjorn Bratteberg (8-4) e o polaco Tomasz Bak (8-3) – antes de dizer adeus à competição perante o dinamarquês Jesper Schmidt (5-8).

O lamento de Henrique Correia quanto à prova de Seleções masculina explica-se por Portugal ter caído precisamente nos quartos de final: uma vitória teria dado nova medalha nestes Europeus, mas não foi possível, após início auspicioso.

Portugal começou por perder com a Noruega (1-2). Henrique Correia venceu na Bola 10 (7-2), mas António Neves foi derrotado na Bola 8 (2-7) e Manuel Pereira na Bola 9 (3-8).

Nas repescagens, a Seleção venceu a Itália 3-0, com Henrique Correia (7-2), António Neves (7-3) e Manuel Pereira (8-6) a vencerem as respetivas disciplinas que disputaram (idênticas à ronda anterior).

Seguiu-se uma vitória sobre Chipre Norte por 2-0, com Henrique Correia a passear em Bola 10 (7-0) e Manuel Pereira na Bola 9 (8-4), não havendo necessidade de se concluir (foi de imediato suspenso) o jogo de Bola 8 de António Neves, então com resultado em 3-5.

A caminhada para a medalha foi travada pela Alemanha, nos quartos de final (0-2). Henrique Correia cedeu na Bola 10 (3-7) e Manuel Pereira na Bola 9 (7-8), sendo suspenso de imediato o jogo de António Neves na Bola 8 numa altura em que o português vencia por 4-3.

Mais resultados

Refira-se que Henrique Correia também esteve perto de medalha na disciplina de Bola 10. Venceu Jasper Telfer na negra (7-6) e Jesse Tehu por 7-2. Seguiu-se o sueco Alf Toffen (7-1), mas o sonho de terceiro pódio esvaneceu-se nos quartos de final, às mãos de Vegar Kristiansen – que viria a sagrar-se campeão europeu de seniores de pool nesta disciplina - na sempre ingrata negra (7-8).

Ainda na Bola 10, além de Henrique Correia, António Neves perdeu com o alemão Dirk Schwedes (2-7) e o francês Gregory Bobée (3-7), enquanto Manuel Pereira baqueou ante o checo Milan Mrva (4-7) mas venceu o finlandês Jouni Nykainen por 7-3 e o turco Onur Abdik por 7-1, até ser eliminado pelo polaco Tomasz Bak (6-7).

Também as senhoras jogaram a Bola 10. Lídia Moreira baqueou (4-5) diante da italiana Barbara Bolfelli mas venceu a suíça Úrsula Habersaat por 5-2, antes de se despedir diante da sueca Ann-Sofie Loferen (1-5).

Já Alexandra Cunha começou por vencer a alemã Monika Jarecki (5-4) antes de perder 3-5 com a francesa Stella Julien e se despedir ante outra germânica, Michl Karin (2-5).

No Straight Pool (ou 14+1), a quarta disciplina do Pool, que só teve concurso masculino no Europeu, António Neves começou por perder diante do polaco Tomasz Bak (30-75) e despediu-se diante do norueguês Ronnie Oldervik (47-75).

Na disciplina porventura mais exigente do Pool, Henrique Correia venceu o croata Berislav Cilic (75-16) e o alemão Dirk Sterfen (75-33), antes de vitória tangencial (75-74) sobre outro germânico, Guido Gerber, e de cair em novo reencontro com o repescado alemão Dirk Sterfen (52-75).

Na Bola 8 feminina, Alexandra Cunha começou por vencer a finlandesa Tuuliina Panula (5-3) mas despediu-se diante da alemã Wienke Thamsen 83-5). Lídia Moreira entrou a ganhar perante a italiana Cristina Moscetti (5-3) mas não teve chances ante a norueguesa Ine Helvik (0-5). O adeus de Lídia Moreira foi carimbado pela alemã Karin Michel, de forma inapelável: outro 0-5.

Por último, mas não menos importante, na Bola 9 feminina, Alexandra Cunha bateu a norueguesa Ine Helvik por 5-1, mas baqueou perante a francesa Nathalie Rohmen (1-5) e a alemã Karin Michl (2-5).

Já Lídia Moreira, na prova de Bola 9 feminina, começou por bater a eslovaca Ilona Zolmanova (5-0), mas desaires ante a finlandesa Tuuliina Panula (2-5) e a alemã Susanne Svessel (2-5) ditaram o seu adeus aos Europeus na disciplina.
Ler Mais
Comentários (0)

Destaques

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais