SEXTA-FEIRA, 28-07-2017, ANO 18, N.º 6390
Hummels rendido ao valor de Tolisso
Bayern Munique O defesa Mats Hummels revelou que está muito impressionado com o valor do médio centro Corentin Tolisso, que foi contratado esta temporada pelo Bayern reforçar o meio-campo. «Ele é impressionante e
Eliminar Moreirense é a palavra de ordem
Aves Ricardo Soares, treinador do Aves, admite «muitas dificuldades» no jogo de abertura da época, depois de amanhã, em Moreira de Cónegos, para a Taça da Liga. «Seguramente, não estaremos nas melhores
Lesão de Nani preocupa
Valência O extremo português Nani contraiu uma lesão no joelho e vai ter de parar várias semanas, mas não foi possível apurar quanto tempo ao certo será necessário para o jogador recuperar. Os responsáveis
Rafael Martins diz que Supertaça é uma «guerra» que o Vitória quer vencer
Vitória de Guimarães O avançado Rafael Martins garantiu, esta sexta-feira, que o Vitória de Guimarães vai aparecer «forte» em Aveiro, a 5 de agosto, na final da Supertaça, diante do Benfica, embate que comparou a uma «gue
Futuro de Douglas entre a Turquia e Rússia
Sporting O defesa-central brasileiro Douglas estará de saída do Sporting terá convites da Turquia e da Rússia, numa transferência avaliada em cinco milhões de euros, segundo refere A BOLA. A passagem de Dou
Exames finais para Hermes e Pedro Pereira
Benfica Os laterais Pedro Pereira e Hermes, ambos contratados no mercado de inverno, vão ser examinados nos próximos particulares do Benfica pelo treinador Rui Vitória, que depois irá decidir se ficam ou não
Neymar anula evento publicitário na China para tratar da saída
Barcelona A maior agência de viagens da China, Ctrip, revelou, nas redes sociais, que foi anulado um evento publicitário em Xangai, que estava marcado para segunda-feira, isto porque alegaram que Neymar está a
Diana Durães bate recorde nacional dos 800 metros livres
Natação Diana Durães, nadadora do Benfica, bateu esta sexta-feira o recorde nacional dos 800 metros livres, com o tempo de 8.35,10 minutos, alcançado nos Mundiais de natação que decorrem em Budapeste (Hungria
Nuno Saraiva critica nomeação de Vítor Pereira
Sporting O diretor de comunicação do Sporting, Nuno Saraiva, utilizou as redes sociais para criticar a nomeação de Vítor Pereira para presidente da Comissão de arbitragem grega. «Vítor Pereira nomeado ou co
Agente nega saída de Gareth Bale
Real Madrid Associado a clubes como Manchester United ou PSG, Gareth Bale não vai sair do Real Madrid, garantia do agente do internacional galês, Jonathan Barnett. «Os rumores são ridículos e as histórias estú
Oliver, Corona e Danilo condicionados
FC Porto Depois da goleada aplicada ao Portimonense (5-1), o FC Porto regressou, esta sexta-feira, ao trabalho e prosseguiu o estágio no Algarve. Os médios Oliver, Danilo e Corona realizaram treino condicio
Sauber vai passar a usar motores Ferrari
Fórmula 1 A Sauber chegou a «um acordo multianual» com a Ferrari para a marca italiana fornecer motores à escuderia suíça a partir de 2018, informou, esta sexta-feira, a equipa de Fórmula 1. O anúncio surgi
Antigo selecionador Bob Bradley vai treinar Los Angeles FC
Estados Unidos Bob Bradley, antigo selecionador dos Estados Unidos entre 2006 e 2011, vai treinar o Los Angeles FC, anunciou a nova equipa da liga de futebol profissional norte-americana (MLS). Bradley, de 59 ano
Saint-Étienne empresta Jorginho por uma época
Chaves Jorginho, extremo luso-guineense que entre 2015 e 2016 representou Arouca, está de regresso a Portugal, no caso a Chaves, emprestado, por uma época, pelo Saint-Étienne, avançou, esta sexta-feira, o L`
«Dybala não será vendido por nenhum valor» – Marotta
Juventus O diretor geral da Juventus, Beppe Marotta, garantiu que o avançado argentino Paulo Dybala não está no mercado e que não será vendido seja qual for a proposta apresentada. «Dybala não será vendido
Torino só liberta Belotti pelo valor da cláusula de rescisão: €100 milhões
Itália Terceiro melhor marcador da última edição da Série A, com 26 golos, Andrea Belotti continua a ser desejado em Inglaterra, nomeadamente por Chelsea e Manchester United, mas a verba exigida pelo clube d
Jonathan dos Santos no LA Galaxy
Estados Unidos Formado no Barcelona, o internacional mexicano Jonathan dos Santos deixou o Villarreal e assinou com o LA Galaxy, equipa da Major League Soccer, o campeonato norte-americano da 1.ª Divisão. No club
Marítimo tenta empréstimo de André Horta
Benfica O presidente do Marítimo, Carlos Pereira, revelou que o clube estará interessado em garantir o empréstimo do médio encarnado André Horta. «Existe, de facto, diálogo com o Benfica nesse sentido. No
«Sinto-me um miúdo» – Moreira
Estoril O guarda-redes Moreira revelou que está fresco e pronto para mais uma época ao serviço do Estoril. «Infelizmente, parece que, aos 35 anos, sou veterano. Se não falasse na idade, nem me lembrava, po
Flavienses pensam em Jorginho
Chaves O extremo Jorginho, de 21 anos, que na época passada esteve cedido ao Arouca, estará nos planos do Chaves, que sabe que o atleta não tem vindo a ser utilizado no Saint-Étienne, segundo diz A BOLA.
Dúvidas em torno de Murilo
Feirense O Feirense apostou em Murilo para substituir Vaná, que rumou ao FC Porto, mas o guarda-redes brasileiro não estará a convencer a equipa técnica, liderada por Nuno Manta, segundo diz A BOLA.
Miguel Leal já tem os 27 escolhidos
Boavista O plantel do Boavista estará fechado com 27 jogadores e o treinador Miguel Leal apenas equaciona a chegada de mais algum reforço se perder algum atleta para outro clube, segundo revela A BOLA.
«Pode ser a época da minha afirmação» – Gonçalo Paciência
Vitória de Setúbal O jovem avançado Gonçalo Paciência acredita que o Vitória de Setúbal é a equipa ideal para mostrar o seu real valor. «Sinto que pode ser a época da minha afirmação. Trabalho para isso. E o Vitória
Pereirinha e Miguel Rosa baixas na Taça da Liga
Belenenses Bruno Pereirinha e Miguel Rosa estão lesionados e não vão ser opções para o jogo frente ao Real, referente à Taça da Liga, que está agendado para sábado, às 18 horas, segundo refere A BOLA.
Cluj tenta o regresso de Mário Felgueiras
Paços de Ferreira O clube romeno estará interessado em garantir o regresso de Mário Felgueiras até ao Cluj, onde defendeu as redes entre 2012 e 2014. O guardião tem contrato com os pacenses até 2021.
Estupiñán em destaque na pré-época
Vitória de Guimarães O avançado colombiano Óscar Estupiñán tem estado em plano de evidencia na pré-época do Vitória de Guimarães, visto que contabiliza cinco golos em seis jogos dos vimaranenses, segundo realça A BOLA.
Real Madrid não vai além de €160 milhões por Mbappé
Mercado O Real Madrid recusa-se a entrar num leilão com o Manchester City pela contratação de Kylian Mbappé. Segundo a rádio espanhola Cadena Ser, os dirigentes merengues estão convencidos de
«A minha etapa em Espanha terminou» - Casillas
FC Porto Aos 36 anos, Iker Casillas descarta voltar a jogar em Espanha por não conceber um confronto com o Real Madrid. A menos, claro está, que o mesmo seja propiciado por um duelo europeu ao serviço do FC Po
Marco Silva revela conversa com Elton John
Inglaterra Na primeira conferência de Imprensa como treinador do Watford, Marco Silva partilhou um telefonema muito especial de um ilustre adepto do clube inglês: Elton John. «É uma pessoa fantástica. Espero
«Antonio Conte fez-me melhor jogador» - David Luiz
Chelsea Em declarações prestadas ao Daily Mail, o defesa David Luiz elogiou o trabalho desenvolvido pelo treinador Antonio Conte ao longo da última época no Chelsea, que culminou com o título de campeã
Spalletti explica qual a diferença entre João Mário e Nainggolan
Inter de Milão No final do jogo com o Bayern, que o Inter venceu por 2-0, Luciano Spalletti traçou as diferenças entre o estilo de jogo de João Mário e o de Nainggolan. «João Mário como Nainggolan? Todos os campe
«Quero que o Real Madrid contrate Mbappé» - Rafael Nadal
Espanha O tenista espanhol Rafael Nadal revelou que gostaria de ver o francês Kylian Mbappé jogar no Real Madrid, clube pelo qual é adepto. «Quero muito que o Real Madrid contrate Mbappé, é um jogador jove

classificações

Liga
Liga 2
1. ª jornada
2. ª jornada
classificação
1. ª jornada
2. ª jornada
classificação
13-08
Académica
-
Braga B
13-08
Arouca
-
Porto B
13-08
Benfica B
-
Nacional
13-08
Gil Vicente
-
Cova Piedade
13-08
V. Guimarães B
-
Oliveirense
13-08
Leixões
-
Varzim
13-08
Sporting B
-
Académico
13-08
Santa Clara
-
Covilhã
13-08
Penafiel
-
Famalicão
13-08
União
-
Real
J
V
E
D
G
P
1
Benfica
0
0
0
0
0-0
0
2
FC Porto
0
0
0
0
0-0
0
3
Sporting
0
0
0
0
0-0
0
4
V. Guimarães
0
0
0
0
0-0
0
5
SC Braga
0
0
0
0
0-0
0
6
Marítimo
0
0
0
0
0-0
0
7
Rio Ave
0
0
0
0
0-0
0
8
Feirense
0
0
0
0
0-0
0
9
Boavista
0
0
0
0
0-0
0
10
Estoril
0
0
0
0
0-0
0
11
Chaves
0
0
0
0
0-0
0
12
V. Setúbal
0
0
0
0
0-0
0
13
P. Ferreira
0
0
0
0
0-0
0
14
Belenenses
0
0
0
0
0-0
0
15
Moreirense
0
0
0
0
0-0
0
16
Tondela
0
0
0
0
0-0
0
17
Portimonense
0
0
0
0
0-0
0
18
Aves
0
0
0
0
0-0
0

Ver classificação detalhada
J
V
E
D
G
P
1
Académica
0
0
0
0
0-0
0
2
Académico
0
0
0
0
0-0
0
3
Arouca
0
0
0
0
0-0
0
4
Benfica B
0
0
0
0
0-0
0
5
Braga B
0
0
0
0
0-0
0
6
Cova Piedade
0
0
0
0
0-0
0
7
Covilhã
0
0
0
0
0-0
0
8
Famalicão
0
0
0
0
0-0
0
9
Gil Vicente
0
0
0
0
0-0
0
10
Leixões
0
0
0
0
0-0
0
11
Nacional
0
0
0
0
0-0
0
12
Oliveirense
0
0
0
0
0-0
0
13
Penafiel
0
0
0
0
0-0
0
14
Porto B
0
0
0
0
0-0
0
15
Real
0
0
0
0
0-0
0
16
Santa Clara
0
0
0
0
0-0
0
17
Sporting B
0
0
0
0
0-0
0
18
União
0
0
0
0
0-0
0
19
V. Guimarães B
0
0
0
0
0-0
0
20
Varzim
0
0
0
0
0-0
0

Ver classificação detalhada

PORTUGUESES

EMIGRANTES

CORAÇÃO LEVOU LUÍS CASTRO PARA DEBRECEN . Luís Castro, de 36 anos, natural de Moreira de Cónegos, mudou-se de armas e bagagens para Debrecen, na Hungria, onde atualmente é coordenador técnico da academia do clube. A A BOLA contou como foi parar à cidade magiar, uma história de paixões. «Como vim cá parar? Foi algo que faz com que, por vezes, faz-me acreditar no destino. Tinha viagem marcada para Debrecen, de onde a minha esposa é natural, e abriu o curso UEFA PRO em Portugal no verão de 2015, pensei em não viajar porque queria concluir os cursos e era uma oportunidade. Tive uma conversa familiar, decidi viajar com a família, porque já não vinha cá fazia alguns anos, poucos dias após chegar o meu sogro quis mostrar-me a academia onde conheci o diretor atual da formação, Sr. András Herczeg, que é também o melhor treinador de sempre do clube participando na Liga Europa e Liga dos Campeões. Conversámos de futebol como é evidente e encontrámo-nos mais duas vezes durante as férias, mas tudo normal, entre dois apaixonados pelo treino sem nunca imaginar que viria a trabalhar com ele um dia», começou por contar. «Alguns meses após o regresso a Portugal recebi um convite do Sr. András Herczeg para dar uma palestra durante uma semana num curso de treinadores aqui na cidade - durante sete semanas vinha uma pessoa diferente em cada semana e durante a minha semana mostrei como trabalhava em termos de treino, alguns vídeos da minha equipa de sub-19 do Vitória de Guimarães da época 2014/2015 e tive também a oportunidade de orientar alguns treinos com equipas do clube para demonstração, a recetividade foi boa os «feedbacks» também», acrescentou. Foi o mote para surgiu o convite para assumir a coordenação da academia e desde 11 de julho que assentou praça em Debrecen: «Trouxe dois portugueses comigo que estavam no Vitória e, aos poucos, estamos a tentar modificar algumas coisas. Sabendo que nada que seja forte e sustentado se constrói de um dia para o outro. O primeiro passo foi alterar a metodologia de treino para um treino mais específico de acordo com um modelo de jogo, estamos também preocupados com a formação de um sistema de «scouting» onde já temos uma pessoa muito competente, Horváth Csenger, irmão do capitão da seleção de 2000 e jogador do Vitória. Em sintonia com Leonel Pontes Leonel Pontes, antigo adjunto de Paulo Bento no Sporting e na Seleção Nacional, é, atualmente, o treinador da equipa principal do Debrecen. Como é a vossa ligação? - Temos trocado ideias sobre o que deve ser o futuro do clube e felizmente aí as coisas também coincidem, a experiência do Leonel é, num clube em que vivia muito da formação na altura em que ele estava lá, e a minha também num clube em que tirou e continua a tirar frutos da sua formação, neste momento, estamos a limpar o terreno para depois construir algo no futuro. Relativamente a um conterrâneo é sempre bom, pois a cultura é mesma, mas não tenho apenas um no clube somos seis: eu, o Gilberto Freitas, o Roberto Morais, o Leonel, o Pedro Ilharco e o José Pratas. De Mourinho, a Guardiola, Paulo Fonseca e Rui Vitória Luís Castro tem formação de professor do Ensino Básico, variante de Educação Física, no Instituto Politécnico de Bragança, e a nível de futebol tem o Curso UEFA PRO. O futebol sempre foi uma paixão e o gosto pelo treino ganhou-o na universidade. «Como quase todos os jovens em Portugal a paixão pelo futebol é natural num País onde se respira futebol. Pelo treino especificamente foi na universidade, nas aulas de futebol em que começou a crescer o bichinho de que poderia ser ali o caminho para uma paixão de sempre, ainda na universidade já treinava no Vizela os jogadores das escolinhas. O bichinho foi crescendo, a entrega foi total e, felizmente, fui tendo algumas oportunidades de subir e com passos sustentados até chegar onde estou agora», realçou. No que a referências diz respeito, o nome de José Mourinho, claro, vem à baila: «As referências são algumas e vão alterando, umas vezes porque as referências mudam as suas formas de jogar, outras porque aparecem novas. Nesse aspeto tudo começou com uma referência que é natural para todos os que começaram a treinar como eu, no início dos anos 2000, José Mourinho, equipas com futebol atrativo e um treinador diferente, jovem, mentalidade vencedora, professor de Educação Física e com uma metodologia de treino diferente para a altura. Como em tudo na vida as coisas vão mudando, todos os anos sou capaz de me apaixonar por equipas diferentes e verificar o que se passa tentando estudá-las no pouco tempo que tenho livre. Neste momento, as equipas de Guardiola são equipas muito interessantes para mim. Tenho gostado do Dortmund e tenho gostado muito do pouco que pude ver do Sevilha, Sampaoli tem feito algo fantástico, estou ansioso por o ver treinar um clube com jogadores de nível superior. No panorama nacional Paulo Fonseca mostrou uma proposta de jogo muito interessante nos últimos anos, não tive tempo de o ver no Shakhtar, mas vou ter que arranjar. Trabalhei de perto com Rui Vitória, em Guimarães, onde fez um excelente trabalho e penso que, principalmente, na gestão do grupo e na parte mental é muito forte.» A diferença está na mentalidade Questionado sobre as diferenças entre o futebol húngaro e português, Luís Castro é rápido na resposta. - É a mentalidade. Já trabalhei na Arábia Saudita, o que faz com que não estranhe tanto estar fora e estas diferenças. Os portugueses são mesmo muito bons, e quando digo isto refiro-me a treinadores, jogadores e outros intervenientes como diretores, departamento médico, etc. Com uma população de 10 milhões, e infelizmente envelhecida, quem trabalha fora do País consegue perceber porque somos um dos melhores países do Mundo em futebol. Em Portugal treinou as escolinhas e infantis do Vizela, depois os sub-19 do Moreirense, onde também coordenou a formação do clube, e levou a equipa pela primeira vez aos nacionais, voltou ao Vizela, onde treinou iniciados, juvenis e juniores quando apareceu a oportunidade de trabalhar fora de Portugal, a convite de Luiz Filipe, para integrar um projeto na Arábia Saudita, no Al Nasser. «Aí evolui muito, com pessoas que, felizmente, também foram subindo e fazendo o seu caminho. Um ano com pessoas com Luiz Filipe, que neste momento é coordenador de um clube de primeira divisão na China, Tozé Mendes, que coordena outra academia de primeira na China, e Luís Esteves, treinador de guarda-redes da primeira equipa do Benfica. Depois voltei a Portugal para trabalhar num dos grandes do futebol português, o Vitória de Guimarães, onde treinei sub-15, sub-19 e em simultâneo era coordenador da formação nos últimos três anos e meio antes de entrar nesta nova aventura», contou. Nos tempos livres dedica-se ao… futebol Em Debrecen Luís Castro acorda cedo (7 da manhã), uns dias leva a filha ao infantário, outros segue diretamente para o clube, de onde sai por volta das 19. Aos sábados há jogos de manhã até ao fim da tarde e os domingos são reservados à família, mas sempre com um olho nos jogos - Nos tempos livres gosto de ver futebol (risos) jogos de equipas de top europeu ou alguns do campeonato português. Tenho acompanhado mais o V- Guimarães, que está a fazer uma excelente época. Depois gosto de ver um bom filme com a esposa, ou passar num parque infantil com a minha filha. Já fomos ao jardim zoológico, entre outros programas familiares. Também gosto de ler mas, infelizmente, nos últimos tempos não tem acontecido muito. Coordenar um clube retira muito de nós, mas conseguimos perceber mais sobre o que é o futebol do que quando apenas treinamos. E do sente mais falta de Portugal? «De algumas pessoas. Felizmente recebo amanhã a visita da família mais próxima, irmãs cunhado e sobrinha, mas dos amigos e de algumas pessoas com quem trabalhava no Vitória. A comida como todos sabem não existe igual em lado nenhum à cozinha portuguesa, mas felizmente, a minha esposa cozinha muito bem e também gosta da comida portuguesa, o que faz com que, nesse aspeto, não esteja tão mal. Mas, principalmente, sinto falta de um bom marisco com qualidade. A filha não quer esquecer o português De certo que desde que vive em Debrecen já passou por algum episódio engraçado. Quer partilhá-lo com os leitores de A BOLA? «Está a acontecer algo engraçado. Neste momento a minha filha, que não falava húngaro e agora já fala muito bem, num dia destes estávamos os dois a falar, ela em húngaro com a minha esposa, a perguntar algumas palavras em português que não conseguia lembrar-se, e durante a conversa, quando lhe perguntei se já não sabia português, respondeu-me: «Pai fala sempre comigo em português, eu não me quero esquecer das palavras todas.» E quando sabem que é português quais são as questões mais frequentes? «Sabendo que trabalhamos no futebol, as perguntas andam sempre à volta de Ronaldo, Mourinho, entre outras, como o último Europeu. Tenho sido convidado a ver os jogos do apuramento da seleção no bar do clube, onde vemos os jogos de Portugal e Hungria em simultâneo, visto que são do mesmo grupo. Perguntam pela Seleção portuguesa, tenho a opinião que vamos ter uma das melhores, se não a melhor, de sempre dentro de poucos anos. Tive a felicidade de jogar contra alguns deles, como André Silva ou Gelson, e outros com quem não joguei, mas vi jogar, como Cancelo, Bernardo, João Mário, Raphael Guerreiro entre outros. As conversas são sobre futebol, as qualidades de Portugal, entre culinária e paisagens. ...
ANGEL GOMES É ESTRELA NO MAN. UNITED E COBIÇADO PELO BARCELONA. Angel Gomes, filho de Gil Gomes, é visto em Inglaterra como um dos mais promissores jogadores da formação do Manchester United. Mas em Espanha diz-se que o Barcelona já detetou a pérola que ali está e ontem o As mostrava um vídeo com um golo fantástico do filho de Gil Gomes, campeão do Mundo de sub-20 por Portugal com a chamada geração de ouro, com Figo, Rui Costa, João Vieira Pinto, Fernando Couto, entre muitos outros. Angel Gomes tem apenas 16 anos, feitos a 31 de agosto, e em recente conversa com A BOLA dizia que sonhava chegar à primeira equipa do Manchester United. O treinador José Mourinho ainda não lhe concedeu esse privilégio mas, como se pode ver no vídeo, o jovem Angel continua a espalhar magia pelos relvados ingleses nos jogos da formação. Um nome que deve decorar, já que Angel Gomes é muitas vezes referenciado pelos jornais ingleses como o jogador que mais desequilibra na seleção de Inglaterra de sub-17. Uma pérola! Uma coisa é certa, Angel Gomes vai chamando a si atenções dos maiores clubes da Europa. Resta saber se será mesmo José Mourinho a promover a estreia deste talentoso jogador no clube onde Cristiano Ronaldo maravilhou o mundo. Gil Gomes cauteloso Mas falemos na cobiça do Barcelona: Perguntámos a Gil Gomes como vai convivendo com estas notícias mas o campeão do mundo de sub-20 por Portugal serve-se da experiência que tem para desvalorizar o assunto: «Importante é que o Angel continue a ter todo este prazer em jogar futebol. Não nego que muitos clubes me vão perguntando por ele, mas é o que ele diz sempre… o próximo sonho a realizar é um dia jogar na primeira equipa do Manchester United, clube onde tem vindo a crescer.» ...
JOÃO COIMBRA: DA ROMÉNIA À ÍNDIA COM LEMBRANÇAS DE DERBIES, CEMITÉRIOS E VACAS SAGRADAS . De volta ao futebol português, tendo assinado contrato com o UD Leiria, João Coimbra, 30 anos, fala das experiências que viveu na Roménia (Rapid Bucareste) e Índia (Kerala Blasters). - Fizeste o teu percurso maioritariamente em Portugal, mas depois de um período de lesões no Estoril, surgiu a oportunidade do Rapid de Bucareste. Uma experiência com sabor agridoce, não foi? - Em termos competitivos foi mau. Aliás, acho que o clube vai entrar em falência e deixei lá três meses de ordenado. A nível pessoal, foi uma boa experiência. A minha mulher e a Lara foram comigo e adorámos a cidade. É muito parecida com Lisboa. Também gostei de jogar no futebol romeno, até porque o ambiente no estádio era fantástico. Vivi lá coisas que nunca tinha vivido aqui... - Lembras-te de alguma história curiosa na Roménia? - Eles têm algumas situações curiosas. Antes dos jogos, as equipas fazem um passeio no shopping. Então, é normal em vésperas de um derby encontrarmo-nos com a outra equipa. Só imaginava um Benfica-Sporting no centro comercial Colombo [risos]. O engraçado é que as pessoas também estão habituados e não abordam os jogadores. Lembro-me também de um episódio meio macabro: o estádio do Rapid é ao lado de um cemitério e, numa das vezes que estávamos a sair para um desses passeios, havia um funeral. O estranho é que o morto ia numa carrinha normal de caixa aberta e o caixão estava aberto e inclinado para toda a gente ver a pessoa. Aquilo ficou gravado na minha memória algum tempo. - Depois surgiu o convite do Kerala Blasters, da Super Liga indiana, uma competição que dura quatro meses e que recebe jogadores de todo o Mundo... - Sim, é um campeonato muitíssimo bem organizado, talvez ao nível de um Europeu. A maioria das pessoas não sabe, mas só em dois jogos é que não tivemos mais de 60 mil pessoas nas bancadas. O estádio enche duas horas antes e toda a gente canta e toca tambor. É um ambiente de festa. Lembro-me que o Roberto Carlos era treinador-jogador de uma equipa e que quando veio jogar contra nós, todo o nosso estádio tinha cartazes com a cara dele. Se ele fizesse um golo, o estádio ia abaixo. - Olhando para trás, qual é a primeira lembrança de Cochim, a cidade onde ficaste instalado? - A miséria... As equipas ficam sempre em bons hotéis, é uma espécie de estágio prolongado, o que é ótimo, porque a verdade é que lá não dá vontade de sair. O choque é enorme. Tenho um vídeo no meu telemóvel em que só se vê favelas e um grupo de crianças a jogar à bola num descampado com porcos, vacas e macacos pelo meio. Lembro-me de ver um miúdo chegar-se a um canto, fazer as necessidades e subir as calças logo a seguir. Impressiona, apesar das crianças parecerem felizes. Depois, há a ligação às vacas que são sagradas e estão por todo lado. O trânsito também é caótico, porque os indianos têm a mania de apitar mesmo sem motivo. Em duas faixas, chegam a andar quatro carros lado a lado e motas com famílias inteiras. O que choca mais é mesmo a pobreza. Há muitas mulheres com bebés ao colo a pedir esmola. Mas, no meio de tudo isto, reparei que ainda existem algumas referências a Portugal, nas poucas vezes em que saí do hotel. - Comeste coisas esquisitas? - Que eu saiba, não. Evitava comer comida indiana, aproveitava as massas e as carnes do hotel, mas cheguei a comer coisas deles, sem saber o que eram... Eles comem tudo com as mãos, até arroz. Não é muito higiénico, mas faz parte da cultura indiana. Um dia, fui a um restaurante experimentar a comida indiana, mas exageram sempre no picante e nos molhos. ...
NUNO SILVA: DO PESADELO EM ANGOLA À AVENTURA EM ESPANHA COM A CAMISOLA DE FRANCO. Nuno Silva não vai esquecer tão cedo o dia 29 de julho de 2015. O extremo de 29 anos apresentou-se como reforço do Real Jaén, da 2.ª divisão B espanhola, com uma camisola estampada com a imagem do ditador Francisco Franco e a polémica estalou em Espanha. O assunto foi um dos mais comentados no twitter e o dia que parecia o mais tranquilo e calmo tornou-se num verdadeiro pesadelo. «Recordo como se fosse hoje. Acaba por ser o momento com maior impacto da época, do clube e, claro está, também o momento que teve mais impacto para mim nesta passagem por Jaén. Passei a ser um jogador conhecido por causa de uma camisola. Foram dois/três dias difíceis ao início mas depois demos a volta à situação com os grandes profissionais do clube. O apoio de todos foi determinante para a minha adaptação à cidade e ao clube», recorda Nuno Silva em conversa com A BOLA. «A oportunidade de vir para o Real Jaén surgiu com a maior das naturalidades e sem contar muito. Estava a procurar a melhor solução dentro do mercado português e estava num trabalho de verão com um amigo e o telefone tocou quando menos esperava. Ouvi a proposta e não hesitei pois era um desejo muito grande jogar em Espanha», acrescenta o extremo que em Portugal representou clubes como o União da Madeira, Freamunde, Olhanense, Santa Clara, entre outros. Finda a temporada em Espanha, Nuno Silva faz um balanço positivo e deixa rasgados elogios à qualidade que existe no terceiro escalão do futebol espanhol. «O balanco é super positivo a nível pessoal: realizei mais de 30 jogos, marquei quatro golos, fiz várias assistências e jogos de bom nível. Estou muito feliz com a época que fiz a nível pessoal mesmo com os problemas todos que existiram durante a época. Não tinha a ideia de que a 2.ª divisão B tivesse este nível. Há equipas neste campeonato com orçamentos, estádio, condições de trabalho e adeptos superiores a muitos clubes da Liga portuguesa. Aqui o futebol é vivido com muita paixão», descreve. O carinho dos adeptos exigentes do Jaén A experiência no Real Jaén terminou, mas Nuno Silva garante que não vai esquecer os exigentes adeptos do emblema espanhol. O amor que a afición tem pelo clube é enorme e mesmo nos momentos mais difíceis não deixam de apoiar a equipa. «Os adeptos são exigentes porque o Jaén é um clube grande, que está habituado a estar acima da 2.ª B. Os adeptos querem ver o clube nos escalões acima. São apaixonados e sentem o clube como ninguém. Não são de outros clubes, são apenas do Real Jaén e isso faz-nos perceber o verdadeiro sentido da palavra amor. Mesmo nos momentos difíceis, os adeptos não deixam de apoiar… Incrível. Nos nossos jogos em casa eram sempre no mínimo quatro mil a apoiar», conta o atacante português. Angola: o pior passo da carreira A aventura por território espanhol não foi a primeira além-fronteiras de Nuno Silva. O jogador português esteve 18 meses em Angola mas as coisas não correram como o desejado. Atualmente assume essa mudança como o «pior passo da carreira»… «Não vou esconder que foi o pior passo na minha carreira. Não ponderei os riscos e fui atrás apenas do dinheiro. Pensava que poderia ter uma carreira melhor fora do que em Portugal e ganhar mais títulos e dinheiro. Hoje assumo publicamente que me arrependo de não ter ouvido o meu pai. Tinha apenas 25 anos e estava na Liga [Olhanense] com um grande treinador, o Sérgio Conceição, um grupo de jogadores muito bom e não tive paciência… Reconheço que fui egoísta e egocêntrico quando tomei a decisão de me aventurar por Angola», admite. «Mas tenho de valorizar a passagem por Angola do ponto de vista pessoal. Foi um ano e meio de grande aprendizagem, Obrigou-me a traçar outros caminhos e a reconhecer que estava errado… Aprendi muito e aqui tenho de destacar alguém, que pelas suas qualidades humanas, foi muito importante para mim durante a passagem por Angola: o Professor Vaz Pinto», acrescenta. Futuro? Onde for feliz… O futuro não preocupa Nuno Silva. O extremo português espera encontrar um projeto onde se sinta valorizado por todos. Depois de tudo o que viveu, Nuno garante que o mais importante neste momento passa por agarrar uma oportunidade num clube onde possa ser feliz. «Os meus objetivos passam sempre por ser feliz e nunca ir apenas atrás da melhor solução financeira. Movo-me por paixões e o futebol espanhol é vivido dessa forma. Se me derem a escolher tentarei continuar por Espanha», garante. «Voltar a Portugal está sempre nos planos e sem vaidade posso afirmar que não vou para um projeto de Liga 2 só para estar na Liga 2. Não sinto qualquer complexo em jogar em que divisão for. O mais importante hoje é sentir-me feliz todos os dias em que calço as chuteiras, desejado e importante para as pessoas que me rodeiam no clube. Gostava de voltar para poder ter a alegria de ver os meus pais e filhos a festejarem um golo meu», termina....
 

Newsletter A Bola

Subscreva e receba de forma gratuita no seu email diariamente as notícias de desporto que selecionámos para si.

sondagem

Acha que SC Braga e Marítimo vão seguir em frente na Liga Europa?

 

resultados

de ontem
O Benfica deve apostar em Aurélio Buta na equipa principal?
  • 84%
  • 16%
  • Sim
  • Não
Ver mais notícias >>