SEGUNDA-FEIRA, 06-07-2015, ANO 16, N.º 5637
Allegri renova até 2017, Marchisio até 2020
Juventus A Juventus de Turim, vice-campeã europeia e tetracampeã italiana, renovou esta segunda-feira contrato com o treinador Massimiliano Allegri por mais duas temporadas, até junho de 2017. O italiano, antigo treinador do AC Milan, convenceu os dirigentes da ‘Velha Senhora’ na última época, e, depois de findo o vínculo apenas por uma temporada, a Juve entendeu segurar o cobiçado timoneiro da sua equipa. Numa estratégia clara de estabilizar o grupo durante o mercado, também o experiente médio Cla
Bakkali confirmado como reforço
Valência O extremo Zakaria Bakkali foi confirmado como reforço do Valência. O belga, que nas últimas semanas foi associado a clubes como Benfica e Sevilha, passou nos exames médicos e está agora à disposição de Nuno Espírito Santo. «Sou muito jovem e é um grande passo para mim juntar-me a uma equipa com a tradição e nível do Valência FC», disse o extremo. «Tive muitas opções, mas o Valência e a liga espanhola para mim são um sonho tornado realidade», acrescentou. Zakaria Bakkali chega ao clube «che
Homenagem da Juventus a Andrea Pirlo (Vídeo)
Juventus Após anunciar Juventus partilha vídeo de homenagem a Pirloa saída do médio Andrea Pirlo, que ruma à MLS para representar o New York City FC, a Juventus partilhou um vídeo de homenagem ao internacional italiano onde lembram alguns dos melhores momentos do jogador ao serviço do clube. Andrea Pirlo deixou o AC Milan para rumar à Juventus há quatro anos, onde se sagrou tricampeão italiano.
Duas novidades no início dos trabalhos
Moreirense O plantel do Moreirense começou esta segunda-feira a nova temporada com os habituais exames médicos. As novidades foram o médio Tiago Morgado e o ponta-de-lança Tiago Carreira, ambos de 21 anos e provenientes do Real Massamá, ficando patenteada a preferência dos cónegos por jovens talentos daquele clube depois de na época passada ter ´pescado´ em Monte Abraão outra dupla para desenvolver perspetivando o futuro: Ença Fati e João Sousa. Os exames médicos prosseguem amanhã, ainda em regime d
Ricardo grato ao Vitória e com ambição para o Libolo
V. Setúbal O guarda-redes internacional sub-21 português Ricardo Batista, de 28 anos, promete «máxima dedicação e empenho» para levar o Recreativo do Libolo, clube pelo qual o ex-V. Setúbal se comprometeu para as próximas duas épocas e meia, a novo título de campeão de Angola. «Estou muito feliz e contente por ter assinado. Estou preparado para uma nova aventura na minha carreira, depois de Inglaterra aí vou eu emigrar outra vez. Mas sempre disse que um dia iria para Angola. Chegou a altura. E devo agra
«Não hesitei. Não discuti nada, nem verbas» - Jorge Jesus
Sporting O treinador do Sporting diz que teve em mãos propostas mais tentadores financeiramente mas que optou por rumar a Alvalade devido ao projeto desportivo do clube. «Tinha propostas de fora de Portugal e não há comparação possível. Propostas de bons clubes, mas não daqueles que normalmente lutam para ganhar a Champions, que é um dos meus sonhos. Ganhei tudo em Portugal, estive em duas finais da Liga Europa e nunca numa final da Champions, posso sonhar. Se tivesse de olhar por carreira financeira
«Objetivo é fazer cada vez melhor» - André Vilas Boas
Rio Ave O capitão do Rio Ave, André Vilas Boas, analisou esta segunda-feira a nova temporada, mostrando vontade de «fazer cada vez melhor.» O capitão não tem dúvidas de que o plantel deve «partir para esta época com a ambição de conseguir os maiores feitos.» Vilas Boas lamentou o facto de «começar a época sem a Liga Europa», experiência que considerou «bastante gratificante», mas assegurou: «Vamos trabalhar para conseguir estar lá novamente na próxima temporada.» Quanto às mudanças no grupo, o def
«Estrear-me e marcar frente ao FC Porto seria um autêntico sonho» - João Vigário
V. Guimarães João Vigário está de bem com a vida. Poucos dias depois de ter regressado do Mundial de sub-20, na Nova Zelândia, o jovem internacional português já está aos trabalhos no Vitória de Guimarães, tendo as portas da Liga completamente escancaradas. Para tal, defende, é preciso continuar a trabalhar e demonstrar todo o valor que lhe é apontado. O facto de Armando Evangelista ter transitado da equipa B para o plantel principal pode jogar a seu favor mas, ainda assim, João Vigário não adormece à som
Llull diz «não» à NBA e renova com o Real Madrid
Basquetebol Sergio Llull era desejo dos Houston Rockets, da NBA, para reforçar o plantel para atacar o título na próxima época mas o jogador, no entanto, decidiu continuar ao serviço do Real Madrid e renovou contrato com os merengues por mais 6 anos. A informação foi divulgada pelo clube espanhol esta tarde que revelou que Sergio Llull falará à imprensa pelas 19.30 horas, numa conferência a realizar no Santiago Bernabéu. O «Incrível Llull», como o clube o designa, está ao serviço do Real Madrid há 9 a
Ricardinho entre os nomeados para Melhor Jogador
Futsal O internacional português Ricardinho está na corrida para o título de melhor jogador da liga espanhola de futsal, enfrentando a concorrência dos brasileiros Alex, do El Pozo Murcia, e Rafael, seu colega no Inter Movistar. O antigo jogador do Benfica foi nomeado pelos adeptos e pela imprensa, estando também na corrida para melhor ala. Ricardinho foi eleito o melhor da jogador da liga na última época e este ano foi o melhor marcador, ajudando o Inter Movistar a sagrar-se campeão.
Roma avança por Darder
Málaga A Roma estará a preparar uma oferta com vista à contratação de Sergi Darder, médio do Málaga que figura há muito na lista de Julen Lopetegui para o meio-campo do FC Porto. Noticia o jornal italiano ´Il Messaggero´ que a saída de Bertolacci para o Milan e as dúvidas em torno do período de recuperação de Strootman concorrem para a investida do clube romano no mercado, perfilando-se o espanhol de 21 anos como um dos alvos prioritários até ao fecho da ´janela´ de transferências.
«Queremos formar jogadores para a equipa principal» - Hélder Cristóvão
Benfica B A iniciar a terceira época ao leme da equipa B do Benfica, Hélder Cristóvão volta a traçar como meta a formação de jogadores para o plantel principal das águias. «Estes dois anos têm sido muito positivos e esperamos que este terceiro ano consiga chegar ao nível dos anteriores. Temos um plantel mais jovem, com muitos juniores, mas que nos dão algum conforto e alguma qualidade para podermos encarar uma Segunda Liga muito competitiva e muito difícil. Queremos continuar a estar nos lugares cimeir
Man. City e PSG loucos por De Bruyne
Wolfsburgo Manchester City e Paris Saint-Germain prometem agitar o defeso com contratações sonantes. Kevin de Bruyne, médio do Wolfsburgo, é um dos alvos prioritários para a nova temporada. Sendo certo que a cláusula de rescisão do internacional belga, fixada em 70 milhões de euros, não será um entrave para os cofres dos dois clubes, poderá ser o salário proposto ao jogador de 24 anos a desequilibrar a balança para um dos lados. A este propósito, avança o site Het Laatste Nieuws que o PSG esta
Peter Carbalho e Sérgio Duarte são as novidades do primeiro treino
Oriental O avançado, 22 anos, Peter Caraballo (Alcochetense) e o médio Sérgio Duarte, com a mesma idade,(emprestado pelo Nacional)juntaram-se esta segunda-feira ao restante plantel de Marvila, no primeiro treino da equipa. Depois de Gilson Varela, Rodolfo Simões, Edson Silva e Júlio César, os dois jogadores reforçam o Oriental que se espera que nos trabalhos desta terça-feira oficialize, pelo menos, mais um jogador. O grupo é, até agora, composto por 20 atletas: Guarda-redes: Mota Defesas: Andr
«Aos 12 anos diziam que eu era muito magro» - Cristiano Ronaldo
Real Madrid Cristiano Ronaldo procura a perfeição em tudo o que faz. Considerado de forma unânime um profissional exemplar dentro dos relvados, também fora deles o internacional português se entrega ao trabalho de corpo e alma. «Treino todos os dias, só assim consigo estar no máximo das minhas capacidades há tantos anos. Nada acontece por acaso, trabalho muito fora dos relvados. Quando tinha 12 anos todos me diziam que tinha talento mas era muito magro. Por isso, convenci-me que poderia melhorar o meu co
Laporta admite «liga de estados ibéricos»
Barcelona Joan Laporta, candidato à presidência do Barcelona nas eleições agendadas para 18 de julho, admite a participação da equipa `blaugrana` numa «liga de estados ibéricos», num cenário de exclusão do campeonato espanhol como consequência das aspirações independentistas da Catalunha. «Será que a Liga espanhola não quer o Barça? O Mónaco joga na Liga francesa... Não acredito que sejamos tão pouco inteligentes ao ponto de perdermos um Barcelona-Real Madrid, o grande espetáculo. No entanto, a solução
«Este Conselho de Arbitragem não cede a pressões» - Vítor Pereira
Arbitragem Vítor Pereira, presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, atribui as acusações de que foi alvo por parte de Marco Ferreira ao «desalento» do árbitro da Associação de Futebol da Madeira por ter sido despromovido ao segundo escalão. «Pressões? Não. O que existe são contactos entre o presidente e demais membros do Conselho de Arbitragem com os árbitros, sempre com o intuito de os motivar. Percebo o estado de espírito, de desalento e tristeza, mas o processo classifi
Bayern, Man. United e Roma disputam Darmian
Torino Matteo Darmian, lateral-direito do Torino, está a suscitar o interesse de Bayern, Manchester United e Roma. Urbano Cairo, presidente do clube italiano, confirmou a existência de três propostas formais para a contratação do jogador de 26 anos, sem contudo revelar a proveniência das mesmas. No entanto, avança a Sky Sports que Bayern, Manchester United e Roma são os clubes interessados no jogador. «Temos três propostas por Darmian e até domingo tudo terá de ficar resolvido. Quem se
Ricardo Batista dois anos e meio no Libolo
V. Setúbal O guarda-redes internacional sub-21 português Ricardo Batista, de 28 anos, irá representar o campeão angolano e líder do Girabola, o Recreativo do Libolo, até final do ano de 2017, apurou A BOLA esta segunda-feira, e estará quarta-feira em Angola para começar a treinar-se com o novo clube, como nos confirmou o próprio jogador. O guardião, de 1,.93 metros, filho de pai cabo-verdiano e mão angolana – tem tripla nacionalidade, Portugal, Cabo Verde (ascendência paterna) e já a angolana (ascendênc
Watford contrata Capoue por valor recorde
Inglaterra O Watford anunciou esta segunda-feira a contratação do médio Étienne Capoue ao Tottenham por um valor recorde na história do clube. Os números envolvidos na transferência não foram divulgados pelos clubes, porém, a Imprensa britânica avalia o negócio em dez milhões de libras, cerca de 14 milhões de euros. Capoue, 24 anos, ingressou no Tottenham em 2013, proveniente do Toulouse. Na última época, foi utilizado por Mauricio Pochettino em 12 ocasiões na Premier League. O Watford vai ser
Médio Mansour novidade no regresso ao trabalho
V. Setúbal O regresso ao trabalho do plantel do Vitória de Setúbal ficou marcado pelo anúncio da contratação de Mansour, médio ofensivo que na última época representou o Al-Wahda Meca, da Arábia Saudita. O jogador de 24 anos rubricou contrato até junho de 2016, juntando-se a Fábio Pacheco, Ruca, Tissone, Diego, Vasco Costa, João Costa e Nuno Pinto na lista de reforços da equipa sadina. Recebidos no Estádio do Bonfim por Fernando Oliveira e Quim Machado, os jogadores assomaram ao relvado depois de uma
Sporting da Beira bate Têxtil de Pùngué e toma liderança do campeonato.
Moçambique Ao vencer o Têxtil de Pùngué, por três bolas a uma, o Sporting da Beira é o líder do campeonato provincial de futebol de Sofala. Com esta vitória, os leões da Beira passam a somar 24 pontos contra 21 do Têxtil. No final da partida, o treinador principal do Sporting da Beira era um homem feliz pelo resultado conseguido e explicou que, antes do jogo, pediu aos jogadores para evitarem a pressão do público. «O campeonato ainda não está ganho. Hoje ganhámos mas amanhã as coisas podem correr de
Presidente condecora antiga glória do futebol cabo-verdiano
Cabo Verde Luís Bastos, considerado por muitos como o melhor futebolista cabo-verdiano de todos os tempos, foi condecorado pelo Presidente da República de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, com a Medalha do II Grau da Ordem do Dragoeiro. Luís Bastos, que tem neste momento 74 anos de idade, disse à agência cabo-verdiana de notícias Inforpress que tinha condições para ingressar ao mais alto nível no Benfica, mas que regressou à terra natal por se sentir «chateado», uma vez que teve dificuldades para melho
Pinto da Costa e Antero Henrique no Olival
FC Porto Pinto da Costa e Antero Henrique marcaram presença, esta segunda-feira, no início dos trabalhos do FC Porto para a nova temporada. Presidente e diretor geral da SAD, este último arguido no âmbito da denominada `Operação Fénix´, chegaram juntos ao centro de estágio dos azuis e brancos, no Olival, assistindo de perto à sessão de trabalho orientada por Julen Lopetegui.
António Salvador no primeiro treino
SC Braga António Salvador foi presença notada, esta segunda-feira, no primeiro treino de pré-época do SC Braga. O presidente assistiu de perto aos trabalhos conduzidos por Paulo Fonseca num dos campos secundários do Estádio Municipal de Braga, onde evoluíram os 23 jogadores previamente submetidos a exames médicos. Rodrigo Pinho, Crislan, Ricardo Ferreira e Román, até ver as únicas caras novas do plantel, foram as novidades da sessão de trabalho, aberta à comunicação social na primeira meia hora.
Nani passa testes médicos
Fenerbahçe Nani realizou esta segunda-feira com sucesso os exames médicos no Fenerbahçe, sendo apresentado como reforço do clube turco a partir das 18 horas locais (menos duas em Portugal continental). A cerimónia terá lugar no estádio Sükrü Saraçoglu e será aberta aos adeptos.
Víctor Fernández escolhido para comandar formação
Real Madrid Víctor Fernández é o novo diretor do departamento de formação do Real Madrid. O treinador espanhol, que passou pelo futebol português ao serviço do FC Porto (2004/2005), terá a seu cargo o controlo de todos os jogadores e técnicos do clube, à exceção dos que trabalham diretamente com o plantel principal. Víctor Fernández, 54 anos, orientou o Deportivo da Corunha na época transata.
Fábio Cardoso volta a integrar plantel
Paços de Ferreira Fábio Cardoso, defesa-central que representou o Paços de Ferreira na época transata por empréstimo do Benfica, vai voltar a fazer parte do plantel em 2015/2016. O jogador de 21 anos foi a grande novidade no primeiro dia de trabalhos para a nova temporada, dedicado à realização de exames médicos. Fábio Cardoso será opção para Jorge Simão para o lugar deixado vago com a saída de Ricardo Ferreira para o SC Braga.
Vimaranenses já trabalham no Luso
V. Guimarães O Vitória de Guimarães realizou, na manhã desta segunda-feira, o seu primeiro treino no Centro de Estágios do Luso, local onde vai trabalhar até à próxima sexta-feira. Na sessão matinal, realizada debaixo de temperaturas bastante elevadas, Armando Evangelista contou com todos os 25 elementos que chamou para o estádio de pré-temporada, entre os quais os dois únicos reforços garantidos até ao momento: Montoya e Dalbert. João Vigário, a contas com uma mialgia na coxa, treinou de forma condici
Agente desmente pai de Imbula
Inter de Milão Federico Pastorello, empresário mandatado pelo Inter para negociar a contratação de Giannelli Imbula, veio a terreiro negar qualquer tipo de ameaça ao pai do jogador por parte do clube italiano. «Dizer que o Inter recorreu a métodos que causam repulsa parece-me excessivo. Quanto às alegadas ameaças, nego categoricamente que alguma vez tenham existido», frisou o agente, citado pela edição online do diário Gazzetta dello Sport.
Recusada proposta da Roma por Mitrovic
Anderlecht O Anderlecht terá recusado nas últimas horas uma proposta da Roma por Aleksandar Mitrovic. Segundo o portal italiano Calciomercato, que cita o jornal belga La Dernière Heure, o emblema transalpino colocou em cima da mesa uma oferta de 12 milhões de euros pelo concurso do avançado sérvio, montante que não convenceu os responsáveis do clube de Bruxelas. Além da Roma, também FC Porto, Chelsea e Tottenham têm sido apontados como candidatos à contratação do jogador de 20 anos. O Benfica, pel
Billal é o primeiro reforço
Estoril Billal Sebaihi, médio francês que na última época representou o Beira-Mar, é o primeiro reforço do Estoril para 2015/2016, noticia A BOLA esta segunda-feira. O jogador de 23 anos chega à Amoreira a custo zero e assinará um contrato válido por três anos. Billal também estava referenciado por Vitória de Guimarães e União da Madeira.

classificações

Liga
Liga 2
1. ª jornada
2. ª jornada
classificação
1. ª jornada
2. ª jornada
classificação
23-08
Académica
-
V. Setúbal
23-08
Arouca
-
Benfica
23-08
Boavista
-
Tondela
23-08
Estoril
-
Moreirense
23-08
Marítimo
-
FC Porto
23-08
Nacional
-
União
23-08
V. Guimarães
-
Belenenses
23-08
Rio Ave
-
SC Braga
23-08
Sporting
-
P. Ferreira
15-08
Benfica B
-
Penafiel
15-08
SC Braga B
-
Gil Vicente
15-08
Famalicão
-
Olhanense
15-08
Farense
-
Oliveirense
15-08
Freamunde
-
Varzim
15-08
Mafra
-
Sporting B
15-08
Portimonense
-
Académico
15-08
Leixões
-
Atlético
15-08
Feirense
-
Aves
15-08
Covilhã
-
Chaves
15-08
Oriental
-
V. Guimarães B
15-08
Santa Clara
-
FC Porto B
J
V
E
D
G
P
1
Benfica
0
0
0
0
0-0
0
2
FC Porto
0
0
0
0
0-0
0
3
Sporting
0
0
0
0
0-0
0
4
SC Braga
0
0
0
0
0-0
0
5
V. Guimarães
0
0
0
0
0-0
0
6
Belenenses
0
0
0
0
0-0
0
7
Nacional
0
0
0
0
0-0
0
8
P. Ferreira
0
0
0
0
0-0
0
9
Marítimo
0
0
0
0
0-0
0
10
Rio Ave
0
0
0
0
0-0
0
11
Moreirense
0
0
0
0
0-0
0
12
Estoril
0
0
0
0
0-0
0
13
Boavista
0
0
0
0
0-0
0
14
V. Setúbal
0
0
0
0
0-0
0
15
Académica
0
0
0
0
0-0
0
16
Arouca
0
0
0
0
0-0
0
17
Tondela
0
0
0
0
0-0
0
18
União
0
0
0
0
0-0
0
J
V
E
D
G
P
1
Académico
0
0
0
0
0-0
0
2
Aves
0
0
0
0
0-0
0
3
Beira-Mar
0
0
0
0
0-0
0
4
Benfica B
0
0
0
0
0-0
0
5
Chaves
0
0
0
0
0-0
0
6
Covilhã
0
0
0
0
0-0
0
7
Famalicão
0
0
0
0
0-0
0
8
Farense
0
0
0
0
0-0
0
9
FC Porto B
0
0
0
0
0-0
0
10
Feirense
0
0
0
0
0-0
0
11
Freamunde
0
0
0
0
0-0
0
12
Gil Vicente
0
0
0
0
0-0
0
13
Leixões
0
0
0
0
0-0
0
14
Mafra
0
0
0
0
0-0
0
15
Olhanense
0
0
0
0
0-0
0
16
Oliveirense
0
0
0
0
0-0
0
17
Oriental
0
0
0
0
0-0
0
18
Penafiel
0
0
0
0
0-0
0
19
Portimonense
0
0
0
0
0-0
0
20
Santa Clara
0
0
0
0
0-0
0
21
SC Braga B
0
0
0
0
0-0
0
22
Sporting B
0
0
0
0
0-0
0
23
V. Guimarães B
0
0
0
0
0-0
0
24
Varzim
0
0
0
0
0-0
0
O que Eusébio recebeu para consagrar a Miss em Londres? O mesmo que receberam os companheiros que jogar a final da Taça dos Campeões com as King Eusébio: 10 500 escudos...
Estrela de Diamante Era tradição, fazerem-se no Estoril concursos de Elegância e Conforto Automóvel – e meses antes a vitória coubera a Colete Lestouquet – que posou num Mercedes 250 SL e vestiu de modelo de calças e casaco da Boutique Glória. Foi exatamente por isso que saltou para as bocas do mundo – pelas calças que levava, num ato de ousadia. Ousadia porquê? A razão percebe-se num artigo que Maria João Leitão publicou (já em 1969) na Flama: «As mulheres deixaram de ter complexos. Já não só as universitárias, mas também as donas de casa. Há alguns anos quem se atrevesse era pelo menos alvo de constante de frases ou olhares indignados». Nessa semana, o Ministério da Educação Nacional lançara em esclarecimento: «Não existe nenhuma regulamentação oficial que proíba as calças. Há apenas uma disposição dizendo que as alunas e professores se devem apresentar vestidas com dignidade e decência» O SACERDOTE A EXPLICAR COMO É QUE AS CALÇAS ERAM PECADO... Com base nisso, na nota do MEN e na afirmação de um sacerdote: - Do ponto de vista moral só estarão erradas as mulheres que usam as calças para copiar o homem, masculinizando-se, deixando de ser ela própria... o Liceu Maria Amália desfez a proibição às suas alunas, a Faculdades de Letras de Lisboa também já o tinha feito... Na Praça do Império houve um Rali de Automóveis Antigos – e com uma senhora em competição: Maria Helena Gonçalves, num Ford 28. A vitória coube a António José Carvalho Dias, num Opel de 33 – mas a foto que mais correu pelos jornais foi a do Ford nº 12 de 1926 de Gonçalo dos Santos – que acabou empurrado por quatro meninas muito chiques, todas elas de... calças. COMO NUMA RUA DE LISBOA PARECIA HAVER LONDRES DE... MINISSAIA Em janeiro de 1967, o Diário Popular publicara com destaque de 1ª página: «A Baixa de Lisboa já tem uma amostra da Carnaby Street de Londres, a rua da juventude e da originalidade, que desencadeou no Mundo a epidemia "pop" das mini-saias, das camisolas finas de gola alta, dos jaquetões imitando velhos dólmans de Marinha, das calças em boca-de-sino. Trata-se de uma loja da rua da Vitória, espécie de irmã mais nova da tradicional Casa Porfírios. É, sem sombra de dúvida, um dos estabelecimentos mais invulgares da capital. A começar pela clientela: oitenta ou noventa por cento são jovens dos 14 aos 19, de ambos os sexos, à procura de umas calças roxas ou de uma saia constelada de ferragens metálicas. Quanto às empregadas, a gerência entendeu, muito judiciosamente, que não deveriam destoar da freguesia: ei-las portanto, todas, muito novas, muito esguias, muito sorridentes, de calças ou de mini-saias (sim, de mini-saias!) - enfim, autênticamente "pops". A certas horas do dia e ao sábado, em especial, a multidão de clientes jovens transborda e chega a formar bichas no passeio...» (E entre a gente que se acotovelava por lá havia sempre muitos homens – e não é preciso dizer porquê...) PARA CONSAGRAR A MISS GABARDINE EUSÉBIO RECEBEU 150 LIBRAS... Na véspera do Manchester United-Benfica, Eusébio foi escolhido para «em pompa» consagrar a Miss Gabardine em Picadilly - e só para assinar mil subscritos recebeu 150 libras, cerca de 10 500 escudos. 150 libras deu a Puma a Jacinto, Coluna e Humberto Fernandes para jogarem com chuteiras... King Eusébio a final da Taça dos Campeões. Melhor pagou, porém, a Adidas a José Augusto, Jaime Graça, Simões, Torres, Cruz, José Henrique e Adolfo: 200 libras, 14 contos. O Benfica perdeu a Taça dos Campeões para o Manchester United, mas ganhou na tesouraria – o clube recebeu 3600 contos da divisão de lucros. A receita de bilheteira em Wembley ultrapassou os 8300 contos, a de cedência de direitos televisivos andou pelos 3500 – e houve 40 milhões de pessoas a ver o jogo em direto, um recorde que bateu nessa noite. De manhã, a Scotland Yard descobrira dois mil bilhetes falsos nas imediações do estádio, embrulhados num jornal alemão. Deveriam ser recolhidos por gangue que os venderia no mercado negro, teriam rendido mais ou menos 700 contos. (E, ninguém, o desmentia: todo esse frenesim tinha uma razão substancial: era o Eusébio, mais do que o George Best...) ...
Estrela de Diamante Quando partiu para Londres para a final da Taça dos Campeões Europeus, o Benfica já tinha feito a festa de campeão nacional de 1967/68. (O título rendeu 30 contos a cada jogador.) Fechou a saga com 8-0 ao Varzim – e seis golos de Eusébio. Os 42 que marcou ao longo de todo o campeonato deram-lhe a primeira Bola de Ouro: - Por ela, não vou ganhar cheque algum, cheque especial, mas não importa, o que importa é o ouro que essa Bota tem, é o que ela representa... A Adidas, que patrocinava a Bola de Ouro, procurou levá-lo da Puma, acenando-lhe com 500 contos apenas para assinatura de contrato, o resto se veria. A Puma replicou – enviando diretor em operação-relâmpago a Lisboa. Esperou-o na Portela, no regresso de Turim. Logo ali Eusébio garantiu-lhe que a renovação dependia de um pormenor: que se lhe subissem para dois marcos em vez de um o bónus por cada par de botas vendidas, estava o acordo feito. Telegrafou para Nuremberga, a resposta veio na hora: que sim. Como, nos dois anos anteriores, a Puma vendera pelo mundo inteiro 80 mil modelos Eusébio e King Eusébio – só nisso Eusébio já ganhara quase 650 contos... BIQUINI? SÓ A PORTUGUESA DE ANGOLA, COM O MODELO «BOMBÁSTICO»... O governo ainda de Salazar apostara em forte campanha internacional desafiando turistas a descobrir como Portugal era... «generoso». Era Maio, Maio de 68 – o Século Ilustrado mostrava mulheres nas praias de Cascais e da Costa. As que estavam de biquini eram da Austrália, da Holanda, dos Estados Unidos, da Suécia. De Portugal eram todas tinham «maillot de peça inteira», menos uma que viera de Angola – e se deixara fotografar, garbosa, na areia, de «biquíni bombástico como o da Úrsula, no 007». A NADADORA DA TERRA DE EUSÉBIO INSULTADA. PORQUÊ? NEM IMAGINA... Vindo Dulce Gouveia de Lourenço Marques fazer nos Campeonatos de Natação o que Eusébio fizera nos campos de futebol, ao passear por Lisboa insultaram-na por... «andar na rua de fato de treino, como se andasse de ceroulas ou roupa interior» - e entre mais uma reportagem so SI com nadadoras do Algés e Dafundo (todas de maillot de peça inteira e não de fatos de banho «ousados» como os da Dulce, em duas peças e às risquinhas...) havia anúncio que era desafio: «Com Skol... bronzeie-se mais, escolha o produto que lhe convém e...DISPA-SE!» (Vá lá, a Censura deixou passar. Mandou cortar, por exemplo, frase de um reclame da Bertrand às Selecções do Reader´s Digest: «Não falar nem em menopausa nem em enriquecimento do amor...») EUSÉBIO, O ÁRBITRO DO OUTRO BENFICA-MANCHESTER E AS CORISTAS EM QUEIXAS... Depois do Manchester United-Benfica em Londres, houve um Benfica-Manchester United em Lisboa – mas um Benfica-Manchester United muito, muito diferente: entre artistas do Parque Mayer, em recolha de fundos para a Cruz Vermelha, umas com camisolas do Benfica, outras com camisolas do Manchester United – e o árbitro foi... Eusébio, o Eusébio que andara por Lisboa – e pelo Estádio da Luz – no peditório para a Cruz Vermelha também. As coristas a queixarem-se da vida: que ganhavam entre 2000 e 3000 escudos por mês – e era pouco: - Também temos de pagar do nosso bolso o cabeleireiro, no mínimo duas vezes por semana, as meias de cena, que têm duração curta e custam cada par 300 escudos e os cosméticos. Os limpa-chaminés também se lamuriaram. Ainda havia 50 em Lisboa, ganhavam 60 escudos por dia mais as gorjetas: - Só que isso, as gorjetas, nunca passa de 15. Como é que se pode viver assim? ...
Estrela de Diamante De Américo, que ganhara a baliza do FC Porto a Acúrsio (que era também guarda-redes de... hóquei em patins) alguém disse que ia atrás da bola como um gato ia atrás de um rato. Também lhe chamaram O Guarda-Redes Suicida pelo modo valente com que se atirava aos pés dos avançados ou voava acrobata para a bola sempre a desafiar as leis da gravidade: - Não sei de onde veio essa alcunha. Tive muitas. Primeiro era o suicida, depois as mãos não sei de quê, depois o homem que tinha uma vaca em casa que tirava o leite para ter a sorte que tinha... Se havia coisa que nunca tive, foi medo. E então quando eram altos, como o Torres ou o Eusébio, dizia-lhes que era matar para não morrer. Não digo que eles tivessem medo, mas que era questão de impor respeito, era - e o Eusébio nunca me marcou um golo isolado... GUARDA-REDES SUICIDA A QUEM EUSÉBIO MARCOU 17 GOLOS MAS NUNCA ISOLADO... É verdade: Eusébio nunca lhe marcou nenhum isolado, mas marcou-lhe 17 golos. Vários de livres, a 20, 30 metros. E foi de livre que lhe marcou, no primeiro domingo de junho de 1968, mais – nas meias-finais da Taça de Portugal, na tarde em que o FC Porto empatou na Luz 2-2 e Eusébio deixou o relvado a coxear. Já não foi às Antas – e nesse dia, no dia 9 de junho de 1968, no dia da vitória do FC Porto sobre o Benfica por 3-0 (que lhe permitiu que, com Pedroto a treinador, ganhasse, depois, a Taça no Jamor ao Vitória de Setúbal...) as atenções do mundo desaguaram não no estádio mas na Clínica de Santa Lucas - onde Eusébio jogava o seu futuro na marquesa de um cirurgião. OS CORPOS LIVRES E O ESPANTO DE EUSÉBIO CONSEGUIR JOGAR ASSIM... O professor Azevedo Gomes operou-o e pouco quis adiantar para além de que... - ... O joelho tinha pequenos corpos livres na articulação, que eu extraí - e outras lesões que não quero discriminar, só não sei como é que conseguia jogar assim... Garantiu, porém, que seis semanas depois poderia a voltar a ser o Eusébio de todos os sonhos, de todos os encantos. (Um jornalista para furar a limitação à entrada no quarto nº 1, telefonou para a receção como se fosse o... Rei Humberto de Itália, a telefonista acreditou, Eusébio falou e a reportagem saiu, bombástica, em Milão – e esse foi mais um sinal do impacto que Eusébio causava pelos quatro cantos do mundo.) DEPOIS DA OPERAÇÃO DE EUSÉBIO, SALAZAR «PÁLIDO E ESMORECIDO»... 72 horas depois da operação a Eusébio, António Oliveira Salazar, o presidente do Conselho, apareceu muito «pálido e esmorecido» à reunião com os seus ministros – e repetiu-lhes, como se fosse nova, exposição que já lhes fizera. Aconselharam-lhe ir de férias para o Forte de Santo António. Foi. Tinha o calista à espera e ao sentar-se, a cadeira de lona desconjuntou-se, caiu para trás, bateu com a cabeça no chão. Maria de Jesus, a governanta, num ataque de fúria, atirou a cadeira ao mar. Resmoneando, proibiu-a de chamar o médico. Achando-o estranho, telefonou a Eduardo Coelho. Foi internado de urgência na Cruz Vermelha, onde nascera a filha de Eusébio. Sofreu um AVC, entrou em coma. O cardeal Cerejeira correu a dar-lhe a extrema-unção – e a 27 de setembro de 1968 Américo Tomás, o Presidente da República que fora presidente do Belenenses, entregou a presidência do Conselho a Marcelo Caetano. DA PÍLULA QUE ERA «COISA DO DEMÓNIO» À PERSONAGEM DE SHAKESPEARE... No discurso de posse no Palácio de Queluz ouviram-se na boca de Marcelo palavras como «liberdade» e «tolerância», «reformas», «renovação». Havia portuguesas que já tomavam a pílula, mas a maioria ainda ia à missa de véu e meias de vidro e por lá, pelas igrejas, ainda ouviam os padres dizendo-lhes que a pílula era «coisa do demónio», alguns até que se a tomassem poderiam ficar com «buracos abertos no estômago por castigo de Deus». E para abrirem uma conta bancária ou para tirarem passaporte as portuguesas mantinham-se eobrigadas a pedir autorização aos maridos - e só poderiam votar se tivessem curso médio ou superior... (A pouco e pouco, Salazar regressou à vida, agarrado a uma bengala, com a memória recente perdida. Os médicos, julgando que a verdade o matava, aconselharam que o levassem para São Bento e lhe dessem ideia de que «continuava a mandar». Os antigos ministros iam ao palácio a fingido despacho, o Presidente da República passava por lá. Não lia jornais, não via televisão, não ouvia rádio – mas dava entrevistas. Uma para França. Nela, Roland Faure percebeu a farsa em que o tinham posto, denunciou-a, numa peça que terminava assim: «Estranha e dramática situação, impregnada da grandeza irreal deste personagem shakespeariano: o rei que não quer morrer...») ...

PORTUGUESES

EMIGRANTES

ANSELMO CARDOSO E AS AVENTURAS FANTÁSTICAS NO IRÃO E NO QATAR. Anselmo Cardoso é natural de Freiria, freguesia do concelho de Torres Vedras com cerca de três mil habitantes. No Freiria Sport Clube iniciou o percurso no mundo do futebol e aos 19 anos seguiu para o Torreense que em 2002/03 competia na 2.ª Divisão B. Três temporadas de bom nível abriram-lhe as portas da Liga. O Estrela da Amadora era um dos interessados e não tardou a assegurar os serviços do avançado. A estreia foi diante a Académica de Coimbra e o primeiro golo frente ao...Sporting. O Estrela da Amadora recebe o Sporting a 5 de dezembro de 2008 e acaba derrotado por 1-3. Anselmo abre o marcador aos cinco minutos de jogo, mas a equipa de Alvalade consuma a reviravolta através de Izmailov, Liedson e Vukcevic. Quatro épocas e muitos golos depois ruma ao Nacional. Na Madeira fica três temporadas com um empréstimo ao Rio Ave pelo meio. Aos 28 anos decide prosseguir a carreira no estrangeiro ao aceitar o convite do Tractor, do Irão. «Confesso que sempre tive a curiosidade de conhecer outras realidades, outros costumes e não poderia ter escolhido melhor destino para encontrar uma cultura tão divergente daquela que temos em Portugal. O Irão é um país que ama o futebol», começa por contar o avançado português a A BOLA. A paixão dos adeptos pelo clube é algo que Anselmo não esquece. Mesmo quando as exibições e os resultados não correspondiam às ambições da equipa lá estavam eles a puxar de forma fervorosa pelos jogadores: - Tive a sorte de estar num clube com os adeptos mais fervorosos do Irão. São realmente fantásticos e é difícil exteriorizar o que sentia quando entrava em campo e à minha volta estavam 60 mil adeptos. Durante os 90 minutos apoiavam-nos independentemente do resultado. É sem dúvida um dos bons momentos que guardo da minha passagem pelo Tractor. Adaptado a uma nova realidade e a uma área de residência, onde, por exemplo, «não existia centro comercial, cinema ou até mesmo uma esplanada para beber um simples café», a passagem de Anselmo pelo futebol iraniano não durou tanto quanto o próprio estava à espera. Apesar de a nível desportivo tudo correr pelo melhor, as dificuldades financeiras que pairavam sobre o Tractor levaram o avançado português a rescindir contrato. Uma decisão difícil que culminou com uma agradável surpresa. «Após a rescisão vários adeptos enviaram-me mensagens a manifestar o seu desejo de me verem de novo no clube. Essas palavras fizeram com que ficasse bastante orgulhoso do trabalho que desenvolvi no Irão». Regresso a Portugal e aventura no Qatar O regresso a Portugal acabou por ser inevitável. Anselmo assina pelo Portimonense a meio da temporada 2012/13 e por lá fica um ano e meio. A última temporada em Portimão fica marcada por vários problemas físicos que colocam o avançado português numa posição delicada. Recorre ao Estágio do Jogador – iniciativa do Sindicato dos Jogadores que este ano vai na 13.ª edição – para atletas profissionais desempregados e aí consegue recuperar a melhor forma física. O Caldas, do Campeonato Nacional de Seniores, mostra interesse em contar com os seus serviços, mas uma nova proposta vinda do estrangeiro convence Anselmo. Destino? Qatar. «A aventura no Qatar começa desde logo com um momento marcante. Já passava da meia-noite quando saí do aeroporto e assim que cheguei à rua parecia que estava numa sauna. Confesso também que parti receoso motivado pela passagem pelo Irão, mas percebi muito cedo que são dois países bem diferentes. O Qatar é um país tradicional islâmico e as pessoas levam as práticas religiosas muito a sério. As mulheres vestem trajes pretos [n.d.r. burca], sendo que muitas estão praticamente “escondidas” atrás das suas roupas. A nível gastronómico posso dizer que a comida é razoável contudo não posso opinar muito sobre isso pois não me aventurei muito», descreve o avançado de 31 anos. «O Qatar é um país pequeno mas com excelentes condições de vida. Facilmente se observam carros topo de gama nas ruas, alguns deles que só tinha visto em filmes (risos). Para visitar existem alguns locais interessantes como o museu islâmico, o Souk [n.d.r. mercado], o deserto, as praias e o The Pearl que é uma ilha artificial em Doha», acrescenta. Objetivo é continuar no Qatar A época no Al- Mesaimeer correu de feição a Anselmo. Subida à primeira divisão e segundo melhor marcador do campeonato com 19 golos. Questionado sobre quais os planos que reserva para o futuro, o avançado assume que passa por continuar onde foi feliz... «Depois de uma época desportiva acima da média o objetivo passa por continuar no Qatar. Por inúmeras razões é, neste momento, a liga onde desejo jogar», termina. ...
NÉLSON SANTOS, O PORTUGUÊS QUE SE ENFEITIÇOU PELO SOL MOÇAMBICANO. Desde muito cedo que Nélson Santos começou a trabalhar no futebol. Ainda nem tinha acabado o curso de Educação Física e Desporto do Instituto Piaget de Almada e já estava a trabalhar na formação do Belenenses. Congelou a matrícula, passou por adjunto no Pinhalnovense, como António Pereira, Pontassolense, com Paixão, regressou ao Belenenses como observador, foi preparador físico do Marítimo, com Van der Gaag, lá acabou o curso superior e fez os níveis I a IV de treinador, o primeiro com apenas... 18 anos. Aos 27 anos percebeu que a emigração seria o seu destino. Estávamos em finais de 2011. O agente João Paulo Rodrigues acabou por o apresentar a Diamantino Miranda e as hipóteses de ir para a índia ou Hungria esfumaram-se, mas por boas razões: «Comecei a falar com o Diamantino e houve uma empatia imediata. As nossas ideias sobre futebol revelaram-se convergentes. Pouco depois, ele recebeu um convite de Moçambique para treinar o Costa do Sol e convidou-me para integrar a equipa técnica. Chegámos em janeiro de 2012. O Diamantino já saiu, pelas razões conhecidas, eu por cá continuo, agora como treinador principal do Costa do Sol. E muito feliz», conta Nélson Santos. Um aventureiro que ganhou a aposta Nélson Santos define-se como «aventureiro» e considera ter «grande facilidade de adaptação a qualquer realidade». Por isso não hesitou em fazer as malas para Moçambique, país onde nunca tinha estado. «Por isso, pelo estudo que fiz de Moçambique e por ter muitos amigos que, sendo de África, acabaram por fazer pontes muito antes de eu imaginar que viria para Moçambique», junta o jovem treinador português. Jovem sim, 31 anos, mais novo que alguns jogadores. «Agora as pessoas já sabem quem eu sou, mas ainda me chegaram a perguntar se eu era... jogador. Deve ser também por esta cara de miúdo», conta, rindo... O orgulho de se sentir valorizado A adaptação foi «rápida, fácil e plenamente conseguida», conta Nélson Santos. Único senão, que conta mais por graça do que por queixa, alguma comida mais condimentada, preferindo poupar o estômago a pratos mais picantes. Em termos profissionais, o reconhecimento do trabalho de Nélson Santos chegou cedo. Tão cedo que ao fim de alguns meses em Maputo e de ter participado, como convidado, em ações de formação, foi convido para dar aulas de treino desportivo no curso de Educação Física e Desporto da Universidade Eduardo Mondlane. Treina durante o dia, dá aulas à noite, pouco sobra para descanso. Quem corre por gosto até se pode cansar, mas a auto-estima sai reforçada. «Uma das razões pelas quais eu me apaixonei por Moçambique é o reconhecimento do trabalho que estou a fazer e saber que estou a ser útil para o desenvolvimento do desporto deste grande país», conta Nélson Santos. Além disso, «Moçambique tem uma enorme sede de aprendizagem, cada vez há mais jovens nas universidades e os alunos querem mesmo aprender. É bom poder partilhar a nossa experiência e conhecimentos e ver que as pessoas valorizam o que lhes transmitimos. Isso não tem preço», junta Nélson Santos. O filho único que mentiu aos pais Os pais de Nélson Santos tinham grandes ambições para o agora treinador do Costa do Sol. Para mais, sendo filho único. Medicina ou Direito eram o que queriam para o filho, mas este que só pensava em desporto, mesmo sabendo da oposição dos pais. «Tive de sair de casa e mentir para me poder matricular em Desporto. Eles ficaram um bocado desiludidos, mas pais são pais, acabam sempre por aceitar e dar todo o apoio a um filho. E hoje, é engraçado, são os meus maiores fãs. Orgulham-se de ver o filho a ser reconhecido, a aparecer na comunicação social. Orgulham-se das minhas vitórias, do meu percurso, do respeito que consegui granjear. Recortam entrevistas, guardam lembranças...», conta Nélson Santos, sorrindo com candura e falando do que realmente sente falta de Portugal. «Quando me perguntam se tenho saudades de Portugal, costumo dizer que apenas os meus pais me ligam ao país onde nasci. Ok, eles e um ou outro amigo e alguma comida que só em Portugal é confecionada como eu gosto. No mais, vou-lhe ser sincero, já me sinto mais moçambicano do que português. E gostava muito de conseguir trazer os meus pais para viverem comigo aqui. Por isso, quando me perguntam se gostava de treinar em Portugal, respondo que adoro treinar em Moçambique, que me vejo fazer toda a minha vida aqui sabendo que vou ser feliz. Mas claro, estamos a falar de uma profissão de treinador, o amanhã é sempre um grande ponto de interrogação», comenta Nélson Santos. O sol que enche a alma Quando fala de Moçambique, Nélson santos empolga-se. Tenta arranjar uma série de adjetivos e por vezes até parece frustrado porque fica com a sensação que diga o que disser não consegue fazer justiça ao que sente por Moçambique. Mas tenta. «O sol em Moçambique é fantástico. Mágico mesmo. Aquela sensação de acordarmos e recebermos os bons dias acolhedores de um sol quente e convidativo. É impossível acordar mal disposto num país como Moçambique, que tem um sol assim. Por isso, eu não me estou a imaginar em viver no país do norte da Europa, por exemplo, com frio, escuro, sem este sol a dar-me os bons dias. Depois, eu tenho aqui muitos amigos. Quase todos moçambicanos. Ao pé deles estamos sempre bem dispostos. Em terceiro lugar, este povo é maravilhoso, acolhedor, humilde, que partilha que nos faz sentir em casa. Em quarto, este é um país lindíssimo, com praias, parques e paisagens de cortar a respiração. Em quinto, é um país em franco desenvolvimento social e económico e é um prazer sentir que fazemos parte desse processo, onde sabemos que o amanhã é dito com esperança não com o medo que se vive na Europa. Por último, Moçambique faz-me acreditar que sou... moçambicano», conta, de um só fôlego. Sim, moçambicano. E não é força de expressão. «Quando for legalmente possível, e porque espero por aqui continuar, terei orgulho em pedir a nacionalidade moçambicana. Não porque não goste de ser português, longe disso, mas porque me sinto que este também é o meu país», justifica. País seguro O Mundo houve falar muitas vezes de Moçambique «por razões erradas». As histórias dos raptos ou de conflitos armados acabam por assustar quem não conhece Moçambique. «Os meus pais também estavam apreensivos, mas já os trouxe duas vezes cá e eles puderam testemunhar o que sempre digo. Nunca tive qualquer problema, nunca me assaltaram a casa, ando tranquilamente nas ruas. Tenho apenas os cuidados básicos que se devem tomar também em Lisboa, Londres ou Nova Iorque. Quem cá está não sente insegurança», garante Nélson Santos. O papel do feiticeiro Para um treinador estrangeiro que não conheça Moçambique, o papel do chamado feiticeiro junto das equipas e jogadores acaba por ser um desafio. Com o qual Nélson Santos aprendeu a lidar. «Quando falamos em rituais, em tradições, em costumes e crenças, só há um erro primário: o de queremos cortar com essa realidade. Temos de nos adaptar, respeitar, aceitar as crenças e tentar conciliar tudo em prol de um bem comum: a equipa. Eu não deixo de ter uma ação que considero pedagógica, de os fazer compreender que o caminho mais rápido para o sucesso é o trabalho, a paixão, a dedicação, o talento, a união. Mas como treinador sei também que a parte psicológica é essencial para o sucesso. Por isso, tenho também de me adaptar aos costumes e crenças dos meus jogadores», conta Nélson Santos. E dá exemplos: «Se os guarda-redes acreditam que dá azar fazer remates à baliza durante o aquecimento para o jogo eu adapto os exercícios para conseguir o mesmo objetivo. Se se acredita que entrar primeiro em campo em certos jogos faz com que a equipa fique mais confiante, eu planeio as coisas dessa maneira. Se estamos quatro a cinco jornadas sem marcar golos, mesmo com bons avançados, e eles entendem que há algo que os impede de marcar, eu adapto-me. Insisto na palavra adaptação porque tudo é conciliável para atingir os mesmos fins, além de que, com o tempo, os atletas também se adaptam a mim, são sensíveis à minha mensagem e acreditam mais na força que eles têm, no trabalho, na dedicação», revela. Segundo lugar e bom futebol Falemos então um pouco de futebol. Nélson Santos está em segundo lugar do Moçambola, com os mesmos pontos da Liga Desportiva de Maputo, do português Litos, atrás do Maxaquene do moçambicano (mas tratado como sendo português em Portugal) Chiquinho Conde. «Estamos a fazer a melhor primeira volta dos últimos anos. E vencemos a Taça de Maputo, que também já nos fugia há muito», conta Nélson Santos, treinador de um Costa do Sol que, «sendo o clube com mais títulos, está em busca de regressar aos tempos áureos». Nélson Santos fica feliz quando se elogia a qualidade do futebol praticado pelo Costa do Sol. E é hoje um treinador com razões para sorrir. «Estou num país que adoro e que me acolheu muito bem, a desenvolver um trabalho que é reconhecido, a fazer o que mais gosto. E com o tal sol de que falei a dar-me os bons dias, só tenho razões para me sentir feliz», resume. ...
RÚBEN GUERREIRO: O EXEMPLO DO PORTUGUÊS QUE OS AMERICANOS DESEJAM. Tem 20 anos, já é um exemplo a seguir. Rúben Guerreiro pedala desde que se lembra. Na estante de casa tem um troféu de campeão nacional que venceu aos 18 anos. Começou no BTT e, hoje, o ciclismo é a sua profissão. Nos EUA, no AXEON Cycling Team, todos o adoram. É o primeiro e único português a vestir a camisola do grupo do Estado do Colorado, mas a equipa técnica já confessou a Rúben estar interessada em mais portugueses. O exemplo luso parece ter convencido os americanos. O menino do Barreiro que compete como gente grande Nasceu no Barreiro, Lisboa, em 1994. Aos 11 anos Rúben Guerreiro já pedalava, ingressou pelo Mato Cheirinhos (1 ano) e no Alcobaça recebeu o maior prémio nacional da categoria, em juniores. Ao longo dos anos, poucos para quem ainda tem o futuro pela frente, o ciclista foi levando os desafios cada vez mais a sério. Depois do Alcobaça o percurso foi percorrido até Santa Maria da Feira. Dois anos e o acumular de uma bagagem que o fez voar para os Estados Unidos. O agente português João Correia a viver do outro lado do Atlântico intermediou a ida de Rúben para a América, e apesar de ter assinado contrato em outubro passado só começou a competir pela equipa em março. Uma das primeiras provas do ciclista ao serviço do AXEON foi na Costa Vicentina portuguesa e Rúben ficou em primeiro lugar. Durante dois meses as principais competições foram na Europa. O jovem diz com modéstia que «esta época tem corrido bem», depois de no último sábado ter conquistado o segundo lugar do campeonato nacional de estrada, em Braga. «Ciclismo é a competição mais dura do mundo» Descanso. Descanso é palavra-chave para Rúben, que reconhece que o «ciclismo é a prova mais dura do mundo. Sem descanso ninguém aguenta treinar entre quatro a cinco horas seguidas». Ao todo, por semana os treinos equivalem a 21/22 horas. Agora, de férias em Portugal a preparar a Tour de Utah (EUA) que não é mais que um preparativo para a Tour de Lavenir, conhecida como Volta à França do Futuro, Rúben treina, habitualmente na Serra da Arrábida, com o companheiro Rafael Reis que é «como um braço direito». A privação de uma vida normal «Tenho de me privar de uma vida normal, se quero ter o máximo de rendimento. Não posso sair à noite», admitiu. As saídas, o álcool, são luxos dos quais Rúben não pode desfrutar. A vida de ciclista não é compatível com a idade das loucuras. O jovem disse que a comida americana é muito boa, principalmente, a comida mexicana que encontrou nos Estados Unidos. A verdade é que, muitas vezes, as saladas e uma dieta vegetariana têm de ser opção. O sucesso é resultado daquilo que se abdica de fazer. Claro está que as saudades de estar com os amigos, com a família, e as praias portuguesas fazem falta a quem está longe, mas o sonho é energia para continuar na corrida. Grandes individualidades, equipas nem por isso Para quem conhece duas formas de encarar o ciclismo tão distintas, como é o caso de Portugal e dos Estados Unidos, diz que Portugal é rico em bons ciclistas e não fica atrás dos americanos no que toca a talentos. Em relação a equipas, a situação muda e, «os portugueses restringem-se a muito poucos grupos. A organização lusa também poderia ser melhor... Volta à França do Futuro e o sonho de pedalar até aos 40 Para além de ser ciclista profissional, Rúben Guerreiro considera-se um adepto da modalidade. Ainda agora começou a carreira do jovem, mas o segredo, afirma, é pensar sempre na próxima corrida, sem grandes planos futuros. Poder contar as experiências de uma carreira que termine aos 40/45 anos é o maior sonho de quem quer vencer a Volta à França do Futuro. A promessa continua a pedalar... ...
MANUEL CURTO, AS SAUDADES DO SOL E O RESTAURANTE EM ALGÉS QUE PROMETE SER UM SUCESSO. Fez grande parte da formação no Benfica, passou pela equipa B há quase 10 anos, vestiu a camisola do Estoril e, em 2013, decidiu aventurar-se pela primeira vez no estrangeiro, longe bem longe, no Cazaquistão, onde representou o Taraz. No ano seguinte, nova mudança de clube, país e de estilo de vida, rumo à Polónia e ao Zaglebie Lubin. No início da época que findou, assinou pelo Lierse, da 1.ª Divisão da Bélgica, mais uma mudança, agora para o país das 1001 cervejas. Foi por lá, na pequena cidade de Lier, pouco mais de 35 mil habitantes, no norte do país, que recebeu a melhor notícia em 28 anos de vida: ia (e vai) ser pai! Do Francisco, que é esperado no mês de novembro. O médio confessa que gostava que o primogénito nascesse em Portugal, até porque é em Portugal que o espera outro grande desafio: aventurar-se no mundo da restauração. E também já tem nome o outro menino dos olhos de Manuel Curto, chama-se NATÁBUA, vai estar instalado no renovado Mercado de Algés - vai ser uma espécie de irmão gémeo do de Santos - e, entre muitas outras iguarias, o proprietário desvenda algumas das especialidades da casa, todas, sem exceção, servidas numa tábua. «Optámos por não ter pratos, quem lá for vai ter mesmo de comer numa tábua e garanto que não se vai arrepender. Em primeiro lugar porque vai gostar da experiência, depois porque vai ter a oportunidade de, entre muitos outros pratos, provar bifes de javali, espadarte ou cavalo, carne muito apreciada na Bélgica e prato tradicional», explica Manuel Curto, algo ansioso pelo dia da inauguração, já no próximo mês, em que, feliz coincidência, vai completar 29 anos, mais concretamente a 9 de julho. À procura de um lugar ao sol Na Bélgica um dos choques iniciais, para quem nasceu num país cheio de luz, foi a quase ausência de sol ao longo do ano. «Acordar todos os dias e raramente ver sol mexeu muito comigo. Depois, para piorar ainda mais o cenário, o frio extremo. Curioso: em Portugal queixamo-nos muito mas, agora mais do que nunca, tenho a certeza de que vivemos num paraíso à beira-mar», assinala, sempre muito elogioso em relação ao povo belga. «São extremamente acolhedores, simpáticos e solícitos. Não tem nada a apontar a ninguém, talvez apenas uma coisa: uma das especialidades nacionais são os mexilhões mas garanto que os faço melhor do que eles! E não estou a brincar, afinal vou ter um restaurante e tenho feito alguns estágios culinários», completa. Prioridade aos portugueses Por tudo isto e muito mais (o bebé, o restaurante, as saudades da praia, do sol, da família, dos amigos), Manuel Curto confessa que gostava de voltar a Portugal. Vontade não lhe falta e propostas de trabalho do estrangeiro também não, só que estabeleceu como prioridade regressar. «Tenho clubes interessados, porém, dou prioridade aos portugueses. Tenho 28 anos, ganhei experiência e calo nestas passagens pelo Cazaquistão, Polónia e Bélgica, mas o meu desejo é prosseguir a carreira em Portugal. Sou paciente e estou disponível para um projeto ambicioso», finalizou. ...
 

sondagem

FC Porto deve garantir a continuidade de Ricardo Quaresma no plantel?

 

resultados

de ontem
Benfica deve manter o avançado Nélson Oliveira no plantel desta época?
  • 69%
  • 31%
  • Sim
  • Não