Vasco Seabra quer «ter o Caldeirão a ferver»

Marítimo 13.08.2022 15:14
Por Bruno Henriques

O treinador do Marítimo, Vasco Seabra, foi muito claro quanto ao objetivo para a receção ao Chaves, jogo da 2.ª jornada da Liga, marcado para as 15.30 horas, da próxima segunda-feira. 

«Estamos com expectativas de alegria e confiança. É uma expressão usamos há muitos anos de ‘ter o Caldeirão a ferver’, porque é uma alegria muito grande voltar a casa, estar com os nossos adeptos, queremos que seja uma época de afirmação no Caldeirão, porque sentimos que é, de longe, uma das maiores falanges de apoio que se tem vindo a sentir na Liga, sentimos que temos capacidade para ter muita gente sempre a acompanhar-nos», começou por dizer, este sábado, em conferência de Imprensa.      


Questionado sobre o estádio do relvado, que foi colocado de novo, Vasco Seabra fez o ponto de situação: «Foi um investimento grande do clube, há uma vontade muito grande de que o relvado esteja em boas condições. Ainda não o pisámos, acreditamos que já vai ter melhorias em relação ao que foi no jogo de apresentação, ainda não estará no seu melhor, mas estará no seu crescimento. Acreditamos que vai ser um dos melhores relvados da Liga.»

Os insulares terão pela frente um Chaves motivado pelo regresso à Liga, com o treinador a esperar dificuldades: «O Chaves já na época passada era uma equipa de Liga, como toda a gente os apelidava. É uma equipa com muita qualidade individual, inclusivamente tendo um play-off contra uma equipa da Liga e que venceu, está preparadíssima para competir na Liga, tem bons executantes, mantém o treinador, boa ideia de jogo, é difícil de ultrapassar, no primeiro jogo fez muito para merecer outro resultados, sabemos que vamos ter um adversário difícil, equipa audaz que vem para disputar o jogo, vai ser um adversário que nos vai criar dificuldade.»

Quanto ao plantel, Vasco Seabra abordou a possível saída de Joel Tagueu: «Neste momento temos um plantel que está sempre em aberto, enquanto o mercado não fecha, a 1 de setembro, podem existir saídas e terá de haver entradas, ou surgir uma boa oportunidade e não viramos costas a um jogador que tenha qualidade e possa acrescentar qualidade ao plantel. O Joel é uma das nossas referências, se o Joel sair temos de ter uma nova entrada, mas vejo o Joel altamente focado e ligado à dinâmica da equipa. Quase todos os jogadores lidam com propostas.»

 

Ler Mais
Comentários (2)

Últimas Notícias