Allen, Lisowski, Hawkins, Ding e Bingham já de fora no Open da Escócia

Snooker 06-12-2021 22:38
Por António Barroso

Barry Hawkins derrotado e fora do torneio logo a abrir a prova ante o chinês Pang Junxu (3-4), a par da eliminação, também logo nesta ronda inaugural, do inglês Jack Lisowski às mãos de Stuart Carrington (1-4), somam-se a um rol de surpresas esta segunda-feira, no primeiro dia do Scottish Open, prova da época 2021/22 da World Snooker a decorrer até domingo, dia 12 do corrente mês, em Llandudno (Gales),  em que há a reaçãr ainda as eliminações de Ding Junhui pelo compatriota chinês Zhang Anda (3-4) e do norte-irlandês Mark Allen (na foto) pelo inglês Martin O’Donnell (3-4).

 

Vencedor do Open da Irlanda do Norte, em Belfast, esta temporada (9-8 a John Higgins na final, após recuperar de 6-8), Mark ‘The Pistol’ Allen continua a dececionar desde aí, como em Llandudno, numa prova em que a nova estrela do snooker mundial – vencedor do UK Championship no domingo, dia 5 (10-5 a Luca Brecel) -, o chinês Zhao Xintong, de 24 anos, agora nono da hierarquia, está ausente (perdeu nas qualificações), ao contrário do vice-campeão de York, o jogador belga.

 

Mark Selby, número um do ‘ranking’, tetracampeão mundial (2014, 2016, 2017 e 2021) e vencedor do torneio em 2020, começou a defesa do seu título neste Scottish Open disputado no Venue Cymru – e… no País de Gales - em velocidade de cruzeiro, com um seguro 4-1 ante o inglês Sean Maddocks: defronta na terça-feira, na 2.ª ronda, mais outro compatriota, Oliver Lines (13 horas).

 

Também Ronnie O’Sullivan, de 46 anos, terceiro da hierarquia e hexacampeão mundial (2001, 2004, 2008, 2012, 2013 e 2020), acabou por se impor sem problemas de maior (4-2) e mais uma centenária (132 pontos, a fechar) ao galês Dominic Dale (4-2): segue-se o compatriota inglês (de ascendência cipriota) Michael Georgiou, na terça-feira (19 horas).

 

O inglês Judd Trump, número dois da hierarquia e campeão mundial em 2019, passeou (4-0) ante o experiente compatriota Robert Milkins - na próxima ronda, o ‘Ace in the Pack’ enfrenta o compatriota Craig Steadman – e em frente seguiu ainda o escocês John Higgins, de 46 anos, sétimo da tabela e tetracampeão mundial (1998, 2007, 2009 e 2011): venceu o inglês Alfie Burden (4-1) e irá, na 2.ª eliminatória, defrontar o tailandês Noppon Saengkham.

 

De igual forma, o número cinco da hierarquia (e vice-campeão mundial em 2020), Kyren Wilson, levou a melhor na estreia no Open da Escócia, sobre o compatriota inglês Andy Hicks (4-0), para marcar duelo com o irlandês Fergal O’Brien na 2.ª ronda (terça-feira, 20 horas) de um torneio onde Mark Williams (ainda com sequelas da Covid-19) e Neil Robertson (com queixas de desequilíbrio por causa de um ouvido) acabaram por ser substituídos no elenco da prova à última hora.

 

E se o desaire (1-4) do inglês Stuart Bingham – campeão mundial em 2015 – ante Andrew Higginson aumentou para uma mão cheia de desfechos menos previsíveis do primeiro dia, já o campeão mundial de 2005 e número seis do ‘ranking’, o seu compatriota Shaun Murphy, não se livrou de enorme susto na ‘guerra dos sexos’ diante de Ng On Yee (Hong Kong): a asiática esteve a vencer 3-1 mas o ‘pássaro’ voou, com o ‘mágico’ Murphy a triunfar por 4-3.

 

O Scottish Open pontua para o ‘ranking’ e irá acabar domingo. Transmitido para Portugal (EuroSport), distribui £405 mil libras (€476 mil) de prémios, das quais £70 mil (€82 mil) ao campeão. Mark Selby venceu em 2020 (9-3 a Ronnie O’Sullivan na final).

 

Recorde-se que até aos oitavos de final os jogos são à melhor de sete ‘frames’: ganha o primeiro a chegar a quatro (de 4-0 a possíveis 4-3). Os ‘quartos’ do Scottish Open são à melhor de nove parciais (até um vencer cinco, de 5-0 a possíveis 5-4), as meias-finais serão jogadas à melhor de 11 ‘frames’ (até um vencer seis, de 6-0 a possíveis 6-5) e a final à melhor de 17 partidas: é campeão do Scottish Open o primeiro a ganhar nove (de 9-0 a possíveis 9-8).

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias