Black Bulls quer Champions no seu campo

Moçambique 29-11-2021 14:21
Por Alexandre Zandamela, Maputo

A Associação Black Bulls, campeã moçambicana de futebol sob a batuta do técnico português Hélder Duarte, vai acelerar a conclusão das obras de construção do seu complexo desportivo, no Tchumene, cidade da Matola, de modo a submeter o campo principal à inspecção pela Confederação Africana de Futebol (CAF) para aí jogar as eliminatórias de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões da época 2022/23.

 

Segundo Junaid Lalgy, patrono e presidente do Black Bulls, só jogando em casa, nas eliminatórias da Liga dos Campeões, terá valido a pena todo o investimento que tem vindo a ser feito e que foi coroado pela histórica conquista do Moçambola em ano de estreia no principal escalão.

 

Para o dirigente, citado pelo semanário desportivo Desafio, assim que a equipa confirmou a sua participação nas Afrotaças, mesmo antes de se sagrar campeã, o clube solicitou toda a informação junto da Federação Moçambicana de Futebol (FMF) sobre os requisitos para participar nas provas da CAF e jogar em casa.

 

«Já estamos em contacto com a FMF para nos dar toda a informação necessária para a nossa participação na Liga dos Campeões. Queremos saber quando é que começaremos a jogar, tendo em conta o “ranking” do nosso país. Quantas eliminatórias devemos fazer», disse Lalgy, acrescentando:

 

«Em termos de infra-estruturas, sabemos que é necessário que o campo tenha um mínimo de 8000 lugares. O nosso campo principal, que é aquele que queremos usar nas “Champions”, deve ter construída uma bancada oposta à central. Depois disso, acreditamos que já podemos preencher este requisito. Contando que agora vamos para um período de festas, acredito que até Março podemos ter a bancada erguida e ter 8000 lugares.»

 

Entretanto, em termos desportivos, o dirigente garantiu que estão sendo envidados esforços para reforçar a equipa de modo a ter uma boa prestação na frente continental.

 

«Desde Junho estamos atentos a possíveis reforços. Posso garantir que alguns já assinaram, sendo que na sua maioria são moçambicanos. A contratação de estrangeiros dependerá de alguns dos nossos actuais saírem. Temos manifestação de interesse de alguns dos nossos jogadores, principalmente de Ejaita e Melque, mas ninguém sairá a título de empréstimo ou experiência. Ainda que menor, qualquer saída de um jogador deve representar um encaixe financeiro para o clube. Se não saírem agora, na Champions estaremos numa montra maior e a sua saída será uma questão de tempo», concluiu Junaid Lalgy.

 

Ler Mais

Últimas Notícias