Contratos com Ronaldo também solicitados na investigação à 'vecchia signora'

Juventus 11:45
Por Redação

As mais-valias e movimentações de mercado da Juventus nos últimos três anos estão a ser investigados pelo Ministério Público de Turim por alegada falsificação das contas. Esta quinta-feira foram apreendidos vários documentos na sede do clube, por parte das autoridades tributárias, e, de acordo com o jornal La Gazzetta dello Sport, estão a ser analisadas alegadas responsabilidades dos administradores da Juventus, estando também em andamento investigações sobre as relações económicas com Cristiano Ronaldo. Entre os investigados, além do presidente Andrea Agnelli, também estão o vice-presidente Pavel Nedved e o ex-diretor para o futebol Fabio Paratici, atualmente no Tottenham.

 

O jogador, garante o jornal, não está sob investigação, mas os magistrados quiseram ser acesso a «documentos privados» relativos ao contrato e aos vencimentos do jogador, que entretanto se mudou para o Manchester United depois de três anos em Turim.

 

A investigação analisa ganhos de capital na ordem dos 282 milhões em três anos «caracterizados por valores aumentados de forma fraudulenta», refere-se. «O fisco foi instruído para encontrar a documentação e outros elementos úteis relativos às demonstrações financeiras da empresa aprovadas nos anos de 2019 a 2021, com referência tanto à compra como à venda de direitos dos serviços desportivos dos jogadores e à preparação dos exercícios financeiros. Pretende-se apurar a hipótese de crime de falsa comunicação das sociedades cotadas e emissão de facturas de transações inexistentes», refere o MP de Turim.

 

Mais de 60 transferências em Itália estão agora a ser investigadas devido às «mais-valias suspeitas» geradas, sendo cerca de 40 delas só da Juventus. Entre estes negócios, constam as transferências de Cancelo da Juventus para o City, com Danilo e Félix Correia em sentido oposto. 

 

Sob investigação está, também, a compra do jogador Marley Ake do Marselha por 8 milhões de euros, com a venda simultânea de Daryl Tongya Heubang ao Marselha por 8 milhões de euros. Este é apenas um de vários casos semelhantes e o MP acredita que se tratam de «chamadas operações espelho, sem movimentos financeiros mas com efeitos positivos no Relatório e Contas». Os valores «não foram objeto de uma negociação física de mercado com valores reais, mas meramente para uso nas contas, sendo, em última análise, fictícios».

 

Ainda de acordo com a Gazzetta, o risco desportivo, é para já, de multa ou penalização ligeira. Se se comprovar que houve interferência na inscrição no campeonato, por exemplo, a pena poderá ser mais severa.

 

 

Ler Mais
Comentários (6)

Últimas Notícias