Ouro para Bélgica, Inglaterra e Irlanda no adeus dos Europeus

Snooker 17-10-2021 20:27
Por António Barroso

A Bélgica em Equipas Masculinas (Julien Leclercq e Kevin Hanssens) – 5-2 a Gales na final -, a Irlanda (5-3 a Malta no decisivo duelo) em Equipas Seniores e a Inglaterra na prova por Equipas Femininas conquistaram na tarde deste domingo os últimos três títulos (de nove provas) disponíveis, no último dia dos ESC Online Campeonatos Europeus de Snooker.

 

Na final da prova Masculina, os belgas superiorizaram-se aos galeses Darren Morgan e Elfed Evans. Se Darren Morgan conquistou a prata e elevou o pecúlio para três as medalhas ganhas nestes campeonatos só por si no VidaMar Resort Hotel Algarve, nos Salgados (ouro em singulares seniores e bronze na prova principal, absolutos), Julien Leclercq, o fenómeno belga de 18 anos que perdera as finais de sub-18 e sub-21 – e que caíu só nos ‘oitavos’ do torneio principal (Absolutos) – somou, ao 30.ª jogo (!) que disputou, o seu primeiro ouro, a somar às duas ‘pratas’.

 

Leclercq fechou com uma centenária (‘break’  de 102 pontos) a sua condição de ‘homem da maratona’ e destes campeonatos, em que jogou quatro das nove provas… com finais e medalhas em três: 27 vitórias em 30 jogos. Temível.

 

 

Numa final arbitrada pelos portugueses André Santos e Filipa Lourenço, a de Equipas Seniores (última a terminar), a Irlanda de Sarsfield (‘prata’ nos singulares seniores e agora ouro) e Tuite suplantou Malta (Bezzina/Ciantar) e começou a nostalgia: os campeonatos, 17 dias com jogos de manhã até de madrugada em 16 mesas simultaneamente, e à borla para os adeptos portugueses desta variante do bilhar assistiram, tinham terminado.

 

Antes, e sem surpresa após o desenlace das ‘meias’, durante a manhã – que consagrou duas equipas de Inglaterra na final de Equipas Femininas - Jamie Hunter e Mary Talbot-Deegan superiorizaram-se por 3-2 às compatriotas inglesas Rebecca Kenna e Emma Parker, numa final de ouro e prata para o país.

 

Hoje jogadores, amanhã como turista: êxito organizativo

 

Ponto final nuns campeonatos que, pela primeira vez, reuniram os nove eventos numa só jornada, de 17 dias, e não em dois palcos diferentes, com três ou quatro eventos de uma vez e os restantes numa segunda jornada e noutro local, como era hábito até aqui.

 

Portugal e a Federação Portuguesa de Bilhar, que organizou a prova em parceria com a European Billiards and Snooker Association (EBSA) pode orgulhar-se da prestação dos jogadores nacionais à mesa e da organização fora dela: todos os que A BOLA auscultou ficaram maravilhados, nem que fosse apenas com o local, e expressaram desejo de voltar com as suas famílias, quais turistas que tanta falta, bem como as divisas que cá deixam, fazem a um Portugal que tem em receber os outros uma das artes em que arranca aplausos.

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias