Missão: fazer esquecer Beto

Portimonense 03-09-2021 10:02
Por Jorge Anjinho

A saída de Beto para os italianos da Udinese - no último dia do mercado e na sequência de um processo polémico, com o jogador a pedir publicamente para sair e a merecer resposta da SAD com suspensão e processo disciplinar instaurado - abriu uma vaga importante no ataque da equipa do Portimonense. Quem será, agora, capaz de fazer esquecer os 11 golos (em 31 jogos) marcados pelo ponta de lança internacional português na época passada? E que esta temporada já levava dois golos apontados em cinco jogos...

Paulo Sérgio tem, no entanto, algumas soluções para a posição mais central, mais próxima da baliza adversária. Fabrício, que com o treinador tem atuado ultimamente como extremo esquerdo, poderá voltar a ser o elemento de referência na área, até porque para o lado canhoto do ataque há agora Shoya Nakajima - o avançado japonês voltou cedido pelo FC Porto -, além do colombiano Ivan Angulo e ainda do nigeriano Abraham Marcus (de apenas 21 anos), recente reforço que na última época jogou com a camisola do Feirense; e que também pode fazer outras posições no ataque.

Além de Fabrício, para jogar próximo da baliza adversária, Paulo Sérgio conta também com os jovens Renato Junior, de 19 anos, Wilinton Aponza, de 21, e Shuhei Kawazaki, com 20 anos, todos talentos que a Administração da SAD acredita poderem vir a ser potenciados por Paulo Sérgio - tal como aconteceu com Beto, que foi contratado no Campeonato de Portugal, ao
Olímpico do Montijo - e serem uma mais valia em termos desportivos e também económicos.

Pela experiência, Fabrício (de 31 anos e já com várias temporadas ao serviço dos algarvios) pode partir com alguma vantagem, mas a verdade é que a sua utilização no próximo jogo do campeonato, no  dia 12, no palco do Bessa, frente ao Boavista, ainda é uma incógnita: o brasileiro recupera de uma lesão no joelho direito, contraída logo na primeira jornada da Liga, no duelo em Guimarães.

Divide-se, assim, entre a experiência e a irreverência dos mais jovens a solução que pode resolver a ausência daquele que era, sem dúvida, a referência ofensiva da equipa há já algum tempo. Desafio para Paulo Sérgio, que tem no plantel jogadores que pelo menos prometem não desiludir.
 
Leia mais na edição impressa de A BOLA 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias

Mundos