«Temos de vestir o fato de macaco. Os pontos estão muito caros…» - Rui Borges

Académica 26-03-2021 17:27
Por Eduardo Pedrosa Marques

A perspetiva já tinha sido feita por Rui Borges, ainda na primeira metade da época, e a verdade é que o prognóstico está a revelar-se certeiro: a competitividade da Liga 2 aumenta de jornada para jornada, numa altura em que as equipas necessitam de pontos ainda com mais premência tendo em vista a perseguição dos seus objetivos.

 

Como tal, o treinador da Académica está preparado para um embate difícil diante do Vilafranquense, no próximo domingo (11.15 horas), em partida relativa à 26.ª jornada, que vai realizar-se no Estádio Cidade de Coimbra.

 

O facto de o adversário estar numa situação complicada na tabela classificativa – 14.º lugar, com 23 pontos, apenas dois acima da linha de água -, não deixa Rui Borges mais descansado. Antes pelo contrário. O técnico dos estudantes pede o maior respeito pelos ribatejanos.

 

«O Campeonato, nesta segunda volta, tem menos qualidade e muito mais competitividade. Os pontos estão muito caros… Todas as equipas dão a vida pelos pontos, precisam muito deles. Nós estamos escaldados, perdemos com um dos últimos classificados em nossa casa, há três ou quatro semanas, quando recebemos o Varzim. Como tal, temos que vestir o fato de macaco. E não só neste jogo, mas sim em todos. Queremos vencer, mesmo sabendo que será um jogo difícil, diante de um adversário que já não ganha há alguns jogos. Penso que o Vilafranquense, que trocou recentemente de treinador, é uma equipa com qualidade e acredito que ambicionassem mais do que a permanência. Não o conseguiram, por uma ou outra razão, mas não deixa de ser uma equipa com qualidade. A nós cabe-nos estarmos focados no nosso objetivo, que é a conquista dos três pontos. Estamos onde muitos queriam estar e, por isso, temos que estar motivados. O nosso caminho tem que continuar a ser igual ao que temos vindo a fazer desde o início: se estamos em terceiro, como é o caso, queremos passar para segundo. Foi sempre assim».

 

Com várias ausências garantidas, casos de Bruno Teles (castigado), João Mário e Mimito Biai (nas seleções), restam ainda dúvidas sobre as utilizações de Zé Castro, Filipe Chaby e Bouldini, que têm vindo a recuperar de lesão, mas que ainda não terão o ritmo ideal para regressar à competição. «Não lamento as ausências. Temos que pensar é nos estão disponíveis. Vamos jogar com 11 e estaremos focados, comprometidos e com uma enorme vontade de vencer», sublinhou Rui Borges na conferência de Imprensa desta sexta-feira.

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias