Autarquia esclarece processo judicial ao clube e SAD

Vitória de Setúbal 22-12-2020 15:30
Por Rui Miguel Melo

Maria das Dores Meira, presidente da Câmara Municipal de Setúbal, esclareceu por que razão a autarquia colocou uma ação judicial contra o V. Setúbal e a SAD do Vitória. De acordo com a edil, a passagem da participação de 40 por cento do capital da Câmara para o clube levou ao processo judicial. Essa operação nunca foi registada.

 

«A Câmara Municipal de Setúbal interpôs em dezembro uma ação judicial contra o Vitória Futebol Clube e o Vitória Futebol Clube SAD para que o Tribunal faça com que o clube e a sociedade anónima desportiva reconheçam e registem a cedência a título gratuito, em 2006, de 32 por cento das ações da SAD de que a edilidade era detentora e, em 2019, dos restantes 8 por cento. As cedências de tais ações a título gratuito foram alvo de deliberações camarárias e foram devidamente aceites pelo clube. A ação judicial visa, tão só, clarificar a questão da titularidade da parte do capital da SAD que pertenceu à autarquia, face a várias dúvidas levantadas nas últimas semanas», afirmou Maria das Dores Meira, em comunicado.

 

A notícia foi dada por A BOLA no dia 16 deste mês, mas ainda não se sabia a razão do processo. A autarquia assegura que não vai prejudicar financeiramente o clube.

 

«Pese embora o facto de a ação judicial ter um valor, não é, de forma alguma, vontade da Câmara Municipal de Setúbal prejudicar o Vitória financeiramente ou de qualquer outra forma. É, aliás, notório, que -- e em especial nos últimos meses -- a autarquia foi sempre uma aliada do clube, auxiliando-o sempre no contexto das suas capacidades. Se assim foi, assim continuará a ser. A Câmara Municipal a que presido continuará, como sempre, do lado das soluções e não será, nunca, um problema, deixando exclusivamente aos sócios do clube o poder de decidirem sobre a vida e o futuro do VFC», concluiu Maria das Dores Meira

Ler Mais
Comentários (2)

Últimas Notícias