«Desporto tem viajado no porão»

Mais Desporto 01-12-2020 08:15
Por Redação

O presidente do Comité Olímpico de Portugal (COP), José Manuel Constantino, fez-se ouvir na defesa do desporto, que, diz, precisa de uma «urgente visão política lúcida e pragmática, que o socorra da agonia que está a sofrer».

 

Constantino adaptou «a metáfora presidencial» de Marcelo Rebelo de Sousa, para dizer que «o desporto, até à data, tem viajado no porão».

 

Em carta publicada no site do COP, destaca que o número de licenças federativas caiu «cerca de 52 por cento» de 2019 para 2020. «As modalidades coletivas de pavilhão registam perdas de cerca de 79 por cento», prossegue a carta.

 

«O que está em causa é a sustentabilidade do tecido desportivo, numa débil e precária situação anterior à crise e agora vulnerável a uma quebra significativa de praticantes desportivos e de receitas», alerta Constantino, para quem os indicadores dão «uma perspetiva do efeito devastador que a pandemia está a ter sobre o desporto».

 

«[A situação] confronta-nos a todos - autoridades desportivas e políticas - com a verdadeira dimensão do problema, num país com baixos indicadores de prática desportiva federada assentes numa economia associativa frágil», pode ler-se.

 

O Presidente do COP pede intervenção política e acusa Portugal de tardar «em apresentar soluções que ajudem as organizações desportivas a minimizar os efeitos desta situação», apesar dos apelos de várias organizações.

Ler Mais
Comentários (2)

Últimas Notícias