Rúben Amorim procura melhor arranque desde Jorge Jesus

Sporting 27-10-2020 08:15
Por Eduardo Marques

O Sporting continua sem conhecer o sabor da derrota no campeonato (soma três vitórias e um empate no clássico com o FC Porto) e o jogo de amanhã, frente ao Gil Vicente (referente à primeira jornada da Liga que foi adiado devido aos casos de Covid-19 em ambas as equipas), mais do que um teste à invencibilidade leonina, pode também significar para os jogadores e Rúben Amorim, em caso de vitória, o segundo melhor arranque  dos últimos cinco anos.
 

Se este novo duelo na Liga não der galo, o Sporting somará nestas primeiras cinco jornadas 13 pontos (quatro vitórias e um empate), o segundo melhor registo, apenas superado pelo início de 2017/2018, sob o comando técnico de Jorge Jesus, em que o leão somou por vitórias os cinco primeiros encontros jogados. Nem na temporada de estreia de Jesus em Alvalade (2015/2016), onde o Sporting esteve perto de ser campeão, o leão conseguiu semelhante registo. Começou com um triunfo na deslocação ao terreno do Tondela, mas na estreia em Alvalade não foi além de um empate com o Paços de Ferreira, antes de somar três vitórias (Académica, Rio Ave e Nacional), num total de 13 pontos nos cinco primeiros jogos.

 

Entre o tal arranque imaculado de Jesus e o deste ano de Rúben Amorim, José Peseiro (2018/2019) ainda conseguiu dez pontos nos cinco primeiros jogos (três vitórias, um empate e uma derrota), mas já o leão de Marcel Keizer (2019/2020, sendo que o holandês apenas dirigiu a equipa nos quatro primeiros jogos, sendo o quinto da responsabilidade de Leonel Pontes) não foi além dos oito pontos conseguidos (duas vitórias, dois empates e uma derrota).

 

Por outro prisma, a possibilidade de Amorim conseguir 13 pontos nos cinco primeiros duelos na Liga, recorde-se, não é dado novo no currículo do jovem técnico ao serviço da equipa leonina. Isso mesmo conseguiu no ano passado quando decidiu trocar o SC Braga por Alvalade. No jogo de estreia em março venceu o Aves, depois houve a forçada paragem competitiva devido à pandemia que obrigou ao confinamento e, no recomeço da temporada, empatou na deslocação ao terreno do V. Guimarães (2-2), mas ganhou os outros três jogos, nomeadamente frente a P. Ferreira (1-0), Tondela (2-0) e Belenenses (3-1).

 

Leia mais na edição digital ou na edição impressa de A BOLA.

 

Ler Mais
Comentários (25)

Últimas Notícias