ADoP aguarda por diretrizes da AMA

Ciclismo 23-10-2020 08:18
Por Fernando Emílio

«Embora seja um assunto que não nos diga diretamente respeito, ficámos surpreendidos com a decisão do tribunal espanhol, numa situação que é abrangente e de consenso universal. Vamos aguardar pela posição da Agência Mundial Antidopagem. A exclusão da Espanha parece-me ser o mais provável com reflexos em todas as modalidades desportivas», afirmou a A BOLA Manuel Brito, presidente da Autoridade Antidopagem de Portugal (ADoP), abordando os casos pendentes de espanhóis a competirem em Portugal: «Os que se encontram abrangidos e controlados pela AEPSAD,  nada temos a adiantar, é um problema deles; os que são acompanhados pela ADoP seguirão as diretrizes da legislação portuguesa.»

 

Quanto às suspensões provisórias de Raúl Alarcón e Domingos Gonçalves, Manuel Brito não se pronunciou, pois os processos são da responsabilidade  do CADF (Fundação Antidopagem no Ciclismo) e Serviço Legal de Antidopagem da UCI (Legal Antidoping Service - LADS), com  a decisão final a pertencer ao Tribunal Antidopagem da UCI.

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias