Maria Negrão, a caçula da Seleção A (fotos e vídeo)

Futebol Feminino 20-10-2020 11:26
Por Redação

Chama-se Maria Negrão, tem 16 anos, joga no Famalicão e é a convocada mais jovem às ordens de Francisco Neto nos trabalhos da Seleção A feminina, que prepara os jogos com a congénere de Chipre, de qualificação para o Europeu.

 

«Aprendi a jogar a tentar acompanhar os truques dos meus irmãos, que são 11 e dez anos mais velhos do que eu. Em 2008, fui para o meu primeiro clube, que era fruto de uma parceria entre o Boavista e o AC Milan. Depois passei pelo SC Porto, onde joguei com rapazes, e integrei o projeto do Famalicão», historia a caçula da equipa das Quinas, em declarações ao site da Federação Portuguesa de Futebol, confessando que não se imaginava a embarcar tão cedo na aventura da Seleção A: «Não esperava ser chamada aos 16, embora sonhasse com isso. Sinto um pouco de ansiedade por ser a primeira vez.»

 

Na equipa principal do Famalicão desde a época passada, Maria Negrão conta 19 golos pelo emblema famalicense, incluindo o primeiro da equipa na Liga. Já nas seleções jovens, leva 18 golos em 35 internacionalizações, 12 dos quais ao serviço da Seleção que brilhou no último Europeu feminino sub-17.

 

«Tenho alguns golos porque o meu foco está muito na baliza. Tem a ver com a minha formação. Sempre treinei para chegar facilmente a zonas de finalização», explicou, assumindo que gostava de «contribuir com mais golos para a Seleção, seja em que escalão for.»

 

Aluna brilhante do 12.º ano, Maria Negrão tenciona conciliar o futebol com um curso superior.

 

«Quero ter um plano B, caso não consiga viver profissionalmente do futebol. Estou um pouco indecisa entre um curso de Desporto ou de Nutrição. Gosto muito de matemática e não é por ter um pai a lecionar. É por ver semelhanças entre o futebol e a matemática. Um jogo é como um desafio de matemática, com etapas para resolver e obriga-nos a encontrar sempre as melhores soluções. Gosto disso e de me superar», realçou a jovem, que também estuda e toca violino desde os cinco anos.

 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias