Projeto olímpico do Sporting em causa

Mais Desporto 13-08-2020 09:16
Por Cipriano Lucas

O Sporting prepara uma remodelação profunda de todas as suas modalidades, com especial incidência no gabinete olímpico, que irá condicionar os cerca de 70 atletas leoninos de 12 modalidades envolvidos no Projeto Tóquio 2021.


Essa restruturação passa pela redução substancial do orçamento para as modalidades individuais como o atletismo, judo, natação e canoagem, e por uma aposta clara nas modalidades coletivas de pavilhão, como o basquetebol, futsal, hóquei em patins, andebol e o voleibol. Nesse sentido, tanto os atletas como os seus treinadores têm vindo a ser contactados pelas respetivas direções das modalidades, a fim de lhes ser comunicada a nova orientação do clube no tocante à redução do orçamento para as modalidades e o impacto que esta terá na limitação e renovação dos respetivos contratos.

 

Atletas de renome como Nelson Évora, João Vieira, Patrícia Mamona, Evelise Veiga, Carla Salomé Rocha, Auriol Dongmo (atletismo), Emanuel Silva e David Varela (canoagem), Alexis Santos (natação), Jorge Fonseca ou Joana Ramos (judo), que tem as presenças em Tóquio quase asseguradas ou em vias de o ser, terão os respetivos contratos reavaliados, quando falta praticamente um ano dos Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados de 2020 para 23 de julho a 8 de agosto 2021.

 

Modalidade histórica no clube de Alvalade, o atletismo, com o orçamento de 1,8 milhões de euros  já reduzido em 2019/2020 para 1,2 milhões, será uma das mais afetadas por esta medida, sofrendo redução em mais de um terço, para um valor que oscilará entre os 600 e os 650 mil euros. A equipa feminina, campeã nacional, não terá grandes dificuldades em renovar o titulo no próximo sábado, somando o seu decimo troféu consecutivo. Quanto ao setor masculino, que nos últimos anos se tinha aproximado do rival Benfica na luta coletiva, verá, com estes cortes, o seu nível competitivo inevitavelmente comprometido nas pistas na próxima temporada.

 

Apesar do presidente do Sporting, Frederico Varandas, assumir publicamente que os orçamentos das modalidades do Sporting vão ser mais baixos em 2020/21 do que os da presente época, devido ao impacto da pandemia de Covid-19 na quotização, publicidade e bilhética, os atletas e treinadores das modalidades individuais contactados por A BOLA dão ainda conta de uma clara aposta desta direção na transferência de investimento destas modalidades olímpicas para as modalidades coletivas de pavilhão.

 

O orçamento do Sporting (sem SAD) em 2019/20 ficou em 23.700 milhões de euros, estando previstos 21.400 milhões para 2020/2021. Quanto ao futebol, a SAD do Sporting está a planear manter, para a temporada 2020/21, o orçamento que delineou na época transata, cerca de 70 milhões de euros, a aprovar até 30 de setembro.
 

Ler Mais
Comentários (20)

Últimas Notícias

Mundos