Selecções de Senhoras de Basquetebol no Ranking - FIBA (artigo de Eduardo Monteiro, 55)

Espaço Universidade 20-05-2020 14:26
Por Eduardo Monteiro

Relativamente aos rankings das seleções nacionais de senhoras, que foram actualizados em 12.fev.2020 e publicados pela Federação Internacional de Basquetebol (FIBA), começamos por apresentar a ordenação das representações nacionais em cada região continental e, depois, finalizamos com o respectivo ranking a nível mundial para termos uma ideia mais consentânea e global sobre a valorização das seleções seniores femininas.

 

RANKING EUROPEU

1º Espanha (692 pontos), 2º França (640), 3º Turquia (598), 4º Bélgica (585), 5º Sérvia (579), 6º Bielorrússia (475), 7º Rússia (400), 8º Grécia (368), 9º Itália (345), 10º Rep.Checa (334), 11º Grã Bretanha (333), 12º Suécia (315), 13º Letónia (303), 14º Montenegro (298), 15º Eslováquia (275), 16º Ucrânia (270), 17º Hungria (257), 18º Croácia (233), 19º Lituania (233), 20º Eslovénia (232), 21º Polónia (167), 22º Alemanha (149), 23º Bósnia Herzegovina (149), 24º Israel (147), 25º Roménia (138), 26º Holanda (136), 27º Portugal (130), 28º Bulgária (124), 29º Malta (116), 30º Dinamarca (111), 31º Áustria (107), 32º Estónia (106), 33º Islândia (99), 34º Suiça (98), 35º Finlândia (97), 36º Luxemburgo (92), 37º Irlanda (91), 38º Macedónia Norte (79), 39º Chipre (79), 40º Moldávia (75), 41º Noruega (75), 42º Azerbeijão (70), 43º Albania (66), 44º Andorra (60), 45º Gibraltar (57).

 

CONSIDERAÇÕES

 

A seleção espanhola lidera a classificação europeia com uma vantagem de 52 pontos da França, 94 da Turquia, 107 da Bélgica e 113 da Sérvia, que ocupam as posições seguintes formando, assim, o quinteto mais poderoso do velho continente. A seguir aparecem a Bielorrússia e Rússia  na casa dos quatrocentos pontos e, depois, um grupo alargado de países, Grécia, Itália, R. Checa, Grã Bretanha, Suécia, Letónia, Montenegro, Eslováquia e Ucrânia que constituem uma segunda vaga de candidatos a destronarem as formações mais bem pontuadas. A seleção portuguesa embora ocupe a 27ª posição, faz parte de um conjunto de equipas pontuadas na casa da centena de pontos (Polónia, Alemanha, Bósnia, Israel, Roménia, Holanda, Bulgária, Malta, Dinamarca, Áustria, Estónia e Islândia) que podem surprender quem anda distraído nestas andanças. As seleções que mais subiram na classificação europeia foram a Bélgica e Suécia (ambas 2 lugares) e, aquelas que mais desceram, são Israel (3 posições), Itália e Montenegro (2 lugares) e Sérvia e Rep. Checa (1 posição). Importante realçar o aparecimento de 45 seleções seniores femininas no ranking europeu, ou seja, uma mais do que nos homens, o que nos parece um bom sintoma para a consolidação do basquetebol feminino no continente europeu.

 

RANKING DAS AMÉRICAS

1º USA (832 pontos), 2º Canadá (649), 3º Brasil (365), 4º Porto Rico (302). 5º Cuba (271), 6º Argentina (267), 7º Colombia (151), 8º Rep. Dominicana (148), 9º México (147), 10º Ilhas Virgens (128), 11º Venezuela (123), 12º Jamaica (107), 13º Paraguai (104), 14º Bahamas (102), 15º Chile (90), 16º Equador (82), 17º Barbados (76), 18º Grenadinos (73), 19º El Salvador (72), 20º Costa Rica (68), 21º Honduras (68), 22º Antigua (68), 23º Trinidad e Tobago (64), 24º Guatemala (64), 25º Panamá (59), 26º Ilhas Virgens Britânicas (58), 27º Uruguai (50), 28º Perú (47), 29º Surimane (46), 30º Guyana (37) e 31º Nicarágua (35).

 

CONSIDERAÇÕES

 

A seleção USA ocupa o lugar cimeiro à distancia de 183 pontos do Canadá, 467 do Brasil,  530 de Porto Rico, 561 de Cuba e 565 da Argentina, uma diferença abismal de valor que não se regista em mais nenhuma região continental. Do 7º  ao 14º lugar aparece um segundo grupo constituído por países com uma pontuação na casa da centena de pontos (Colômbia, Rep. Dominicana, México, Ilhas Virgens, Venezuela, Jamaica, Paraguai e Bahamas). A seleção de Porto Rico foi a única que subiu 1 lugar na classificação. Por sua vez, as equipas da Colômbia e México desceram uma posição. Registamos pela negativa, o facto de aparecerem menos 7 seleções  no ranking feminino (31) em relação ao dos homens (38), o que não são boas notícias para o desenvolvimento do basquetebol feminino naquelas paragens.

RANKING AFRICANO

1º Nigéria (366 pontos), 2º Senegal (259), 3º Moçambique (153), 4º Angola (148), 5º Mali (137), 6º Egipto (122), 7º Camarões (112), 8º Costa do Marfim (109), 9º Rep. Democrática Congo (90), 10º Kenya (80), 11º Gabão (79), 12º Uganda (77), 13º Tunísia (72), 14º Cabo Verde (70), 15º Argélia (70), 16º Rwanda (61), 17º Guiné (61), 18º África do Sul (56), 19º Zimbabwe (54), 20º Burundi (47), 21º Rep. Centro Africana (43), 22º Marrocos (42), 23º Benin (40), 24º Botswana (29), 25º Burkina Faso (20) e 26º Tanzânia (19).

 

CONSIDERAÇÕES

 

A seleção da Nigéria comanda o ranking apenas com 7 pontos de diferença do Senegal que, está a uma boa distância (106 pontos) do grupo de países que andam na casa dos 100 pontos (Moçambique, Angola, Mali, Egipto, Camarões e Costa do Marfim)  principais candidatos a lutarem pelos lugares cimeiros. Na classificação africana a seleção de Moçambique subiu 7 lugares, a da Nigéria 3 e a do Mali uma posição. Não se verifica nenhuma descida de posição o que  parece um pouco estranho. O ranking feminino africano inclui menos 12 seleções do que o dos homens, o que quer dizer que há ainda muito trabalho por fazer no acesso das meninas africanas ao basquetebol.

 

RANKING ASIÁTICO/OCEANIA

1º Austrália (714 pontos), 2º China (571), 3º Japão (540), 4º Coreia do Sul (333), 5º Taipé (181), 6º Nova Zelândia (171), 7º Filipinas (125), 8º Líbano (123), 9º Kasaquistão (105), 10º Malásia (93), 11º India (92), 12º Irão (88), 13º Indonésia (85), 14º Koreia Norte (84), 15º Singapura (80), 16º Síria (77), 17º Uzbequistão (74), 18º Tailandia (73), 19º Hong Kong (54), 20º Fiji (44), 21º Sri Lanka (40) e 22º Jordânia (37).

 

CONSIDERAÇÕES

 

A selecção australiana lidera a classificação da zona asiática/oceania com uma diferença de 143 pontos do segundo classificado a China que, por sua vez, tem mais 31 pontos que o Japão. Este trio encontra-se a larga distância, em termos de valorização desportiva, de todas as outras formações da região. A Coreia do Sul aparece isolada na 4ª posição sem qualquer oposição. Depois surge um grupo de 5 países (Taipé, Nova Zelândia, Filipinas, Líbano e Kasaquistão)  com pontuação superior a uma centena de pontos. No que diz respeito a alterações posicionais as Filipinas subiram um lugar e a China desceu outro. A diferença entre o número de seleções femininas (22) e masculinas (43) no ranking da zona Ásia/Oceania é reveladora das dificuldades  que ainda existem em termos de participação das mulheres nas actividades desportivas federadas naquela área do planeta.

 

RANKING MUNDIAL (36 melhores seleções)

1ª USA, 2ª Austrália, 3ª Espanha, 4ª Canadá, 5ª França, 6ª Turquia, 7ª Bélgica, 8ª Sérvia, 9ª China, 10ª Japão, 11ª Bielorrússia, 12ª Rússia, 13ª Grécia, 14ª Nigéria, 15ª Brasil, 16ª Itália, 17ª Rep. Checa, 18ª Grã Bretanha, 19ª Coreia do Sul, 20ª Suécia, 21ª Letónia, 22ª Porto Rico, 23ª Montenegro, 24ª Eslováquia, 25ª Cuba, 26ª Ucrânia, 27ª Argentina, 28ª Senegal, 29ª Hungria, 30ª Croácia, 31ª Lituânia, 32ª Eslovénia, 33ª Taipé, 34ª Nova Zelândia e 35ª Polónia e 36ª Moçambique.  

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

O Ranking mundial das senhoras engloba um total de 124 países, sendo 45 europeus, 31 das américas, 26 africanos e 22 da zona asiática/oceania. As seleções que mais subiram no ranking mundial foram Moçambique 7 lugares, Nigéria 3, Bélgica e Suécia 2 e Porto Rico uma posição. Excelente recuperação da seleção lusófona de Moçambique a mostrar a nível internacional o seu enorme valor, quando acautela a  preparação da sua equipa. Pela negativa surge Israel com uma descida de 3 lugares, Itália e Montenegro 2 posições e, por fim, Sérvia e China 1 lugar.

 

Analisando a valorização das 36 melhores seleções femininas verificamos que deste conjunto fazem parte 21 países da Europa (58%), 6 países das Américas (17%), 6 países da Ásia/Oceania (17%) e 3 países de África (8%). Isto significa que o basquetebol feminino da Europa se encontra num patamar bastante superior ao das outras regiões continentais. Contudo, não nos podemos esquecer que, entre as 4 melhores seleções mundiais se encontram 2 norte americanas, USA (1ª) e Canadá (4ª) e a formação da Austrália que surge no 2º lugar. A nossa seleção senior feminina ocupa a 27ª posição no ranking europeu e o 47º lugar no ranking mundial, posicionamento que pode e deve ser melhorado, no futuro, face aos bons resultados que as seleções das nossas jovens têm obtido nas competições internacionais.

 

Eduardo Monteiro é ex-treinador do SL Benfica e das Seleções Nacionais

Ler Mais

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Comentários (0)

Últimas Notícias