Treinador de Nadal revela a grande mudança que fez no jogo do espanhol

Ténis 19-05-2020 08:36
Por Redação

Depois de um conturbado período marcado por problemas com lesões que o afastaram dos grandes títulos, Rafael Nadal decidiu contratar o compatriota Carlos Moyá para seu treinador no final do ano de 2016. Os resultados não demorariam a aparecer e, após três anos de seca, o maiorquino venceria Roland Garros e US Open em 2017. Para tal, revelou Moyá, foram necessárias algumas adaptações ao estilo de jogo.

 

«O Rafa teve problemas com lesões desde 2015 e também de confiaça. Não estava a trabalhar bem e a cabeça muito bem. Em 2016 regressou e lesionou-se no pulso… A minha ideia passou por convencê-lo a ser mais agressivo e isso passava por melhorar o serviço. Creio que a grande evolução foi no segundo serviço. Normalmente tentava meter sempre muitos primeiros porque sabia da debilidade do segundo, mas começava o ponto a defender. Eu tentei que passasse a pensar ponto a ponto, mudar o ritmo das jogadas e ter pontos mais curtos. Tive sorte porque mal cheguei à equipa técnica ele foi à final do Open da Austrália», recordou Moyá à Eurosport.

 

A edição de 2017 do Grand Slam francês marcaria o regresso de Nadal às grandes conquistas. «Eu estava nervoso, um pouco mais do que o normal porque vínhamos da derrota com o Federer na final da Austrália e o Rafa não ganhava um grande título desde 2014. Três anos! Tinha 31 anos e não sabíamos se voltaria ao lugar que lhe pertence, mas o ténis que jogou nesse torneio foi o melhor que vi nos últimos três ou quatro anos.»

Ler Mais

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Comentários (1)

Últimas Notícias