Escritor moçambicano Mia Couto estranha por que o angolano José Eduardo Agualusa nunca venceu o Prémio (Literário) Camões

Sociedade 13-12-2019 23:49
Por Alexandre Zandamela, Maputo

O escritor moçambicano Mia Couto disse «ser estranho» o angolano José Eduardo Agualusa nunca ter sido laureado com o Prémio Camões, o mais importante galardão da língua portuguesa. 

 

Para Mia Couto, que venceu o Prémio Camões, em 2013, o escritor angolano, com 14 romances publicados, «já deu provas da sua qualidade literária, tanto que, internacionalmente, pelo menos em países de língua inglesa, é muito reconhecido, o que tarda a acontecer ao mais alto nível no que se considera ser a literatura da lusofonia».

 

«Não é por ser amigo dele, mas tenho de dizer isto: acho muito estranho que Agualusa nunca tenha levado para casa o Prémio Camões. Afinal, ele foi finalista do ‘Man Booker Prize’», um dos prémios mais importantes do mundo, depois do Nobel da Literatura.

 

Agualusa conquistou o ‘International Dublin Literary Award’, outro dos mais prestigiosos do mundo.

 

«Ou seja, ele ganhou diversos prémios, mas na comunidade lusófona não há esse reconhecimento… Certamente haverá razões políticas que não deviam estar presentes quando se faz a avaliação da qualidade literária de uma obra», afirmou Mia Couto.

 

E juntou. «Por isso fico muito feliz que ele tenha vencido um galardão, há umas semanas, o Prémio Nacional de Cultura de Angola, depois de vários anos em que foi uma figura pouco simpática para o regime», disse, citado pelo jornal ‘O País’.

Ler Mais

Últimas Notícias