OMS cautelosa com vacina russa Sputnik

COVID-19 11-08-2020 15:54
Por Redação

A Organização Mundial da Saúde (OMS) abordou com cautela a notícia de que a Rússia registou a primeira vacina contra o Covid-19, anunciada mais cedo por Vladimir Putin e batizada de Sputnik.

 

«Acelerar o progresso não deve significar comprometer a segurança», avaliou o porta-voz da OMS, Tarik Jasarevic, sendo que a Sputnik não constava numa lista de seis consideradas em estágio avançado, como três desenvolvidas por laboratórios chineses, duas dos Estados Unidos (Pfizer e Moderna) e a britânica desenvolvida pela AstraZeneca e a Universidade de Oxford.

 

 

Ler Mais

Últimas Notícias