Helicóptero que caiu no combate a incêndio colidiu com linhas elétricas

Valongo 12-09-2019 22:20
Por Redação

O balde do helicóptero que se despenhou durante o combate a um incêndio na localidade do Sobrado, concelho de Valongo, a 5 de setembro, causando a morte ao piloto, Noel Ferreira, colidiu com linhas elétricas, segundo uma investigação.

 

O facto consta de uma nota informativa do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF).

 

O aparelho descolou às 15.10 horas, na passada quinta-feira (5 de dezembro), de uma base privada de Valongo com uma equipa de cinco bombeiros e equipamento de combate a incêndios composto por cesto e balde.

 

«Após largar a equipa de intervenção no solo, e de ter sido posicionado o balde, o piloto voou para um ponto de água próximo para o primeiro abastecimento e descarga no incêndio», pode ler-se.

 

A nota informativa refere que, repetido o ciclo, na segunda aproximação ao local do incêndio e em coordenação com outro meio aéreo que operava no local, o piloto, conhecedor da existência e localização das linhas aéreas de transporte de energia existentes no local, definiu a trajetória para a segunda largada».

 

Mais: «Após transpor uma primeira linha de muito alta tensão, devidamente sinalizada e composta por 14 condutores, o balde suspenso da aeronave colidiu nos cabos da segunda linha, esta posicionada a uma cota inferior e a cerca de 45 metros de distância horizontal da primeira, motivo pelo qual dispensa sinalização», relata ainda o GPIAAF.

Ler Mais

Últimas Notícias