Federação de Kickboxing está suspensa

Mais Desporto 06-10-2020 08:16
Por Redação

A Federação Portuguesa de Kickboxing e Muaythai (FPKMT) está definitivamente suspensa da condição de membro da federação internacional (World Association of Kickboxing Organizations, WAKO) por défice democrático e incompatibilidade estatutária. A decisão inicial já tinha sido comunicada em carta enviada à FPKMT a 3 de setembro, mas a WAKO esperou pela resposta da federação lusa para posteriormente levar a cabo uma deliberação final, que chegou no dia 1 do corrente.

 

A FPKTM tinha até ao dia de ontem para suspender a medida caso comunicasse, por escrito, a intenção de corrigir as irregularidades que lhe são apontadas (e a partir daí mais 20 dias para apresentar um draft de novos estatutos, novo regulamento eleitoral e, por conseguinte, novas eleições), mas não o fará. Pelo contrário, vai «retaliar» e «agir legalmente face à decisão divulgada», como se pode ler na página de Facebook da federação. A WAKO assegura, para já, a gestão dos atletas portugueses e da sua participação em provas internacionais.

 

A WAKO considera que os estatutos da FPKMT e o regulamento eleitoral «não asseguram transparência» de gestão e nas eleições. Dois exemplos: a limitação de mandatos (três consecutivos, quatro no total) é para um órgão e não para a federação, permitindo perpetuação dos dirigentes; os membros da comissão eleitoral que escolhe os delegados para as AG «não são escrutinados», o que «pode gerar conflitos de interesse» e «manipulação das decisões».

 

A WAKO investigou a FPKMT a partir de denúncias de Portugal, mas não divulgará a identidade dos delatores ao abrigo das leis europeias de proteção de dados.

Ler Mais
Comentários (2)

Últimas Notícias

Mundos