Se houve pressões, não adiantou, mas lista saiu às escondidas: os convocados de Queiroz

Irão 14.11.2022 08:55
Por Hugo Vasconcelos

Com a conferência de imprensa de Carlos Queiroz marcada para as 13.30 horas de Teerão para anúncio da lista final do Irão para o Campeonato do Mundo, os minutos foram passando e nem sinal do treinador português. Mais de 30 minutos após a hora marcada, o porta-voz da federação comunicou às dezenas de jornalistas presentes que «um problema técnico» obrigava a adiar a conferência para hoje. Mas não demorou muito a que a imprensa local ligasse a ausência de Queiroz a alegada tentativa de interferência sobre a lista - da própria federação ou do governo, dependendo das fontes. Em causa estará a presença do avançado Sardar Azmoun na lista.


O jogador do Leverkusen (lesionado, não joga desde o final de setembro, mas esteve a fazer um trabalho de recuperação no Catar com um fisioterapeuta da seleção e espera-se que possa estar disponível) furou as ordens federativas para que os jogadores não se pronunciassem sobre o assassinato de Mahsa Amini, mulher de 22 anos que em setembro foi detida pela polícia de costumes por usar de forma errada o hijab, lenço que cobre cabelos e pescoço, e morreu sob custódia das autoridades, depois de ser violentamente agredida.


Azmoun contrariou então as instruções de silêncio com uma mensagem cáustica no Instagram. «O maior [castigo] é ser expulso da seleção, o que seria um pequeno preço a pagar por sequer um cabelo de uma mulher iraniana. Vergonha por matarem tão facilmente. Vivam as mulheres do Irão», escreveu - e depois apagou. Outros jogadores, como o portista Taremi, associaram-se com imagens mas sem palavras tão duras aos protestos que encheram as ruas do Irão.


Mais tarde, outros órgãos de informação iranianos avançaram que Carlos Queiroz se recusou a falar na conferência se não fosse ele a divulgar os nomes dos convocados, com receio de que a lista que a federação libertasse fosse diferente do combinado. A verdade é que, de forma surpreendente, pelas 23 horas locais a federação iraniana libertou mesmo a lista de jogadores escolhidos para o Catar.


Com apenas 25 nomes, entre eles o de Azmoun, e sem surpresas: em relação aos atletas do campeonato local que estavam em estágio, saíram Noorafkan, Sarlak, Akhbari e Fallah, que já não tinham estado no último treino, e o médio Ebrahimi, que se lesionou no particular de quinta-feira frente à Nicarágua; entre os estrangeiros estão todos os nomes esperados, com Azmoun e o portista Taremi como principais figuras. Mais uma vez de acordo com jornalistas locais, Queiroz ganhou o braço de ferro. Falta saber se falará mesmo hoje aos jornalistas, depois da agitação de ontem.



Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias

Serviço de apoio ao cliente
Dias úteis das 9.30h às 13h e 14.30h às 18h
E-mail: clientes@abola.pt
Telefone: 213232133 (Chamada para a rede fixa nacional)
Morada: Tv. da Queimada, 23 1249-113, Lisboa Portugal