Um plantel de 25 jogadores para o futuro próximo do futebol português (III)

Portugal 12-01-2021 03:04
Por Luís Mateus

A formação portuguesa continua a produzir enorme quantidade de nomes que já alimentam ou podem alimentar a curto prazo tanto a Seleção como os grandes do futebol português e até mundial. E se escolhemos aqui 25 – que será, mais ou menos, o número médio de atletas de um plantel –, com o mais velho a ter apenas 22 anos, poderíamos chegar facilmente aos 30 se não tivéssemos deixado de fora jogadores da qualidade de Diogo Queirós, Ronaldo Camará, Nuno Tavares, Romário Baró ou Tomás Tavares, que a qualquer momento podem entrar na equação, e que merecem óbvia menção honrosa. João Félix, apesar de só ter 21 anos, entra noutro patamar, sendo já um jogador influente numa equipa de topo, como o Atlético Madrid.

 

É um exercício. São 25 nomes que criam grandes expetativas para o nosso futebol na próxima década.

 

Os últimos cinco e o desenho do plantel:

 

21. Eduardo Quaresma (18 anos; destro; central/médio defensivo; internacional sub-19; formação: Sporting; clube atual: Sporting; Jogos/Golos/Assistências: 1/0/0)
Arranque muito complicado de temporada, com várias questões físicas, e perda da titularidade para um Luís Neto mais regular que noutros momentos. Sentiu algumas dificuldades quando pressionado de forma mais agressiva, algo que tem de melhorar – tal como no jogo aéreo, com bem menos duelos ganhos do que os companheiros de eixo defensivo –, mas com espaço mostrou um bom passe vertical, ideal para quebrar linhas de pressão, e até capacidade para ele mesmo transportar a bola para terrenos mais adiantados. No processo defensivo, é rápido, agressivo e eficaz no desarme, e focado na leitura do adversário e no seu próprio posicionamento, com especial atenção aos apoios. Tem 18 anos e a experiência vai fazê-lo crescer ainda mais.

 

22. Gonçalo Inácio (19 anos; esquerdino; central/lateral-esquerdo; internacional sub-19; formação: Sporting; clube atual: Sporting; Jogos/Golos/Assistências: 8/1/0)
Uns furos abaixo do que Quaresma já conseguiu mostrar na equipa principal e também com menos tempo de experiência no corredor central, uma vez que cresceu como lateral. Fisicamente muito forte, tem um fantástico pé esquerdo, que lhe dá grande segurança com bola, seja no transporte, no drible ou no passe vertical ou longo. Focado e concentrado, tem uma boa leitura posicional e poderá ser também um jogador muito importante para o futuro dos leões.

 

23. Tomás Esteves (18 anos; destro; lateral-direito/médio-direito/médio-centro; internacional sub-21; formação: Padroense, FC Porto; clube atual: Reading; Jogos/Golos/Assistências: 18/0/0)
O Championship, apesar da competitividade que a apresenta, e o Reading, souberam a pouco como passo seguinte da evolução do jovem lateral, face a tudo o que já mostrara: maturidade, determinação, inteligência tática, capacidade de desarme e algum - ainda não total, devido ao receio de poder não cumprir na transição defensiva e nas exigências de Sérgio Conceição – atrevimento ofensivo. Muito boa técnica individual e capacidade de também jogar por dentro com bola fazem dele um lateral moderno e com tudo para singrar ao mais alto nível.

 

24. João Ferreira (19 anos; destro; lateral-direito/lateral-esquerdo; internacional sub-19; formação: Rio Ave, Benfica; clube atual: Benfica; Jogos/Golos/Assistências: 3/0/1)
Esteve para assinar pela Juventus quando o Benfica negociou Mattia Perin, mas o negócio caiu para todas as partes devido à lesão apresentada pelo guarda-redes italiano. Mostra uma boa maturidade e capacidade para percorrer todo o corredor por ser rápido e tecnicamente evoluído, embora naturalmente se sinta mais confortável (e menos exposto) na direita – Jesus utilizou-o também do lado esquerdo. Não tem os minutos necessários para ter confiança e afirmar-se a curto prazo na equipa principal, ao contrário do que aconteceu com outros jogadores saídos da formação num passado recente. Mais um jogador que precisava de jogar com regularidade numa equipa de primeiro escalão.

 

25. Tiago Araújo (19 anos; esquerdino; extremo-esquerdo/extremo-direito; internacional sub-20; formação: Macieira da Maia, V. Guimarães, Benfica; clube atual: Benfica; Jogos/Golos/Assistências: 1/0/0)
Numa equipa como o Benfica, que apresenta problemas de largura, Tiago Araújo poderia ser uma solução a lançar durante os encontros, permitindo que Grimaldo pudesse atacar os meios-espaços interiores, se necessário. Já fisicamente preparado, é um extremo de linha, com muito boa definição no cruzamento e remate fortíssimo de meia distância. Gosta também de aproveitar o espaço interior e chegar à grande área e a zonas de finalização. Tapado por aquele que, muito provavelmente, Jorge Jesus considera a sua grande contratação para a temporada – Everton –, nem com as dificuldades de adaptação do brasileiro a um futebol mais europeu levou a que o treinador olhasse para o jovem, que somou míseros 21 minutos, diante do Paredes, na Taça de Portugal.

 

 

A análise aos primeiros dez nomes

 

A análise aos segundos dez nomes

 

--

LUÍS MATEUS é jornalista, analista e comentador de futebol. Foi diretor do MaisFutebol e editor de desporto da TVI, escreveu para o «Expresso», «Público» e zerozero, e comentou ainda para a TVI, Eleven Sports e TSF. Atualmente escreve e comenta no site e no jornal «A Bola» e n’A BOLA TV. Pode segui-lo no Twitter ou no Facebook.

Ler Mais
Comentários (2)

Últimas Notícias