Roma celebra jogo 1.000 de José Mourinho. ‘Special One’ atinge marca especial este domingo

Desporto 10-09-2021 17:30

Em mais de duas décadas, e como técnico principal e adjunto, José Mourinho conquistou 37 títulos, entre os quais se destacam duas Ligas dos Campeões (pelo FC Porto e Inter de Milão). Como treinador principal, tudo começou há 21 anos e curiosamente com uma derrota.

José Carlos Lourinho

Mil jogos em quase vinte e um anos de carreira como treinador principal. José Mourinho cumpre este domingo o jogo 1.000 da sua carreira em pleno Estádio Olímpico de Roma, frente ao Sassuolo. Pela AS Roma, o técnico português conta como vitórias os quatro jogos efetuados pela equipa da capital romana. Em 999 partidas, José Mourinho perdeu 158 jogos, empatou 204 partidas e ganhou 637 embates, uma percentagem global de vitórias de 63,76%.

Em mais de duas décadas, e como técnico principal e adjunto, José Mourinho conquistou 37 títulos, entre os quais se destacam duas Ligas dos Campeões (pelo FC Porto e Inter de Milão), uma Taça UEFA (FC Porto), uma Liga Europa (Manchester United), quatro Taças Intercontinentais, duas vezes campeão em Portugal, outras duas vezes campeão em Itália, uma Liga espanhola e três vezes campeão de Inglaterra, entre outros títulos.

SL Benfica em ebulição

A carreira como técnico principal começou mal e num SL Benfica em ebulição. João Vale e Azevedo, então presidente do clube da Luz, despediu Jupp Heynckes e contratou José Mourinho a apenas dois dias do difícil jogo no Estádio do Bessa. O jovem técnico de 37 anos tinha experiência como treinador adjunto no Sporting CP, FC Porto e FC Barcelona e apesar do mau momento que se viva no SL Benfica, a sua entrada foi vista com desconfiança. Os ‘encarnados’ perderam por 1-0 a 20 de setembro de 2000 mas na Luz percebeu-se que alguma coisa poderia mudar, com Mourinho a definir com quem podia contar.

A aventura de José Mourinho na Luz terminaria três meses e 11 jogos depois: duas derrotas, três empates e seis vitórias (54,55% de vitórias), a última das quais frente ao Sporting CP. Agastado com a falta de apoio da direção então presidida por Manuel Vilarinho, o técnico português demitiu-se e foi apontado como novo treinador dos ‘leões’, algo que nunca viria a acontecer.

De Leiria para o Porto

Mourinho não voltaria a treinar nessa época e na temporada seguinte (2001/02) rumou à União de Leiria. Em vinte jogos, nove vitórias, sete empates e quatro derrotas, naquele que foi o pior registo de vitórias da carreira de José Mourinho: 45%. No entanto, nada que impedisse o treinador português de rumar ao FC Porto para duas épocas e meia de sonho para os portistas. De 2002 a 2004, José Mourinho venceu dois campeonatos, uma Liga dos Campeões e uma Taça UEFA, entre tantos outros títulos. Em 127 partidas, 91 vitórias, 21 empates, 15 derrotas e uma impressionante percentagem de triunfos: 71,65%.

Premier League conhece o ‘Special One’

Com o Chelsea com fome de títulos (não era campeão há 50 anos), o magnata russo Roman Abramovich não resistiu a contratar o treinador mais badalado de 2004 e não se iria arrepender: com muitos milhões investidos no plantel, Mourinho seria bi-campeão da Premier League e em 2007, quando saiu pela primeira vez no Chelsea levou muitos milhões de euros nos bolsos e 124 vitórias em 185 jogos (67,03% de vitórias).

Milão: chegar, ver e vencer

Os adeptos da AS Roma têm razões para estarem entusiasmados com o regresso a Itália de José Mourinho, sobretudo se recordarem o impacto do ‘Il Speciali” no Inter de Milão entre 2008 e 2010. Em duas épocas, foi bi-campeão italiano e vencedor de uma épica Liga dos Campeões, a última “orelhuda” conquistada por equipa italiana. Em 108 jogos, 67 vitórias (62,04% de vitórias) e uma mediática ida para o Real Madrid. Em três anos (2010 a 2013), e com Cristiano Ronaldo como estrela, Mourinho iria sagrar-se campeão da La Liga apenas uma vez mas levaria do Bernabéu a melhor percentagem de vitórias da sua carreira: 71,91% (128 vitórias em 178 jogos).

Premier League volta a chamar

O telefone de José Mourinho tocou e do outro lado era, novamente, Roman Abramovich. José voltaria a ser o ‘Special One’ e regressava a um clube onde tinha sido muito feliz. Conquistou a terceira Premier League pelos ‘blues’ mas a aventura no Chelsea terminaria novamente em 2015 com 80 vitórias em 136 jogos (58,82% de vitórias). Um Manchester United desejoso de retomar o caminho das vitórias não resistiu em contratar José Mourinho mas o balanço não foi o melhor: uma Liga Europa em dois anos, 84 vitórias em 144 jogos (58,33% de vitórias). Estaria mais dois anos em Inglaterra ao serviço do Tottenham: ganhou 44 jogos em 86 partidas (51,16% em vitórias) e pela primeira vez na sua carreira, não conquistou qualquer título.

Ler Mais