Neymar ganha bónus de 6,5 milhões por ano para ser “cortês, amável e disponível para os adeptos”

Desporto 07-09-2021 10:57

A contratação do avançado brasileiro do Barcelona para o PSG em 2017, no valor de 222 milhões de euros, ainda se cifra como a transferência mais cara da história. Quatro anos depois desta contratação por valores nunca antes vistos, o "El Mundo" detalha alguns pormenores de um contrato pouco comum.

José Carlos Lourinho

Neymar recebe um bónus ético de 541,680 mil euros brutos por mês (6,5 milhões de euros por ano) para ser cortês, amável e mostrar sempre disponibilidade para os adeptos, revelou esta segunda-feira o jornal espanhol “El Mundo”.

A contratação do avançado brasileiro do FC Barcelona para o Paris Saint-Germain em 2017, no valor de 222 milhões de euros, ainda se cifra como a transferência mais cara da história. Quatro anos depois desta contratação por valores nunca antes vistos, o “El Mundo” detalha alguns pormenores de um contrato pouco comum.

Neymar, o talentoso atacante brasileiro de 28 anos que renovou contrato em maio deste ano, leva para casa quase um quarto do valor gasto com todo o plantel numa base semanal. Se a fatura por semana em ordenados é de 4,5 milhões de euros, o brasileiro arrecada 996,4 mil euros por semana e 51,8 milhões de euros por ano, segundo o site “Salary Sport”.

Mais impressionante ainda, foi a divulgação de uma espécie de bónus ético que, mediante o pagamento de uma verba superior 540 mil euros mensais, obriga Neymar a cumprimentar os adeptos. Conta o jornal espanhol que, para que Neymar seja “cortês, pontual, amável e esteja à disposição dos adeptos”, o PSG desembolsa mais 6,5 milhões de euros brutos por ano. O brasileiro está ainda proibido de fazer declarações públicas que possam colocar em causa abordagens táticas do conjunto parisiense.

A cláusula de “bom comportamento” não é nova no PSG já que Thiago Silva, que chegou a fazer 14 jogos no FC Porto B em 2005, também cobrava 33 mil euros para aplaudir os adeptos no final dos jogos, divulgou a imprensa francesa em 2018.

Por ano, o emblema presidido por Nasser Al-Khelaifi, líder máximo do Paris Saint-Germain e fundador da BeIN Media Group, paga quase 235 milhões de euros em salários no plantel principal, de acordo com contas do site ‘Salary Sport’, que ainda não abrangem os reforços para esta temporada. Este cálculo estima ainda que o PSG paga 4,5 milhões de euros por semana, num plantel avaliado em pouco menos de mil milhões de euros, de acordo com o site ‘Transfermarkt’.

Ler Mais