Balança comercial de bens desportivos com saldo positivo de 94,5 milhões de euros em 2020

Desporto 05-04-2021 12:30

As exportações de bicicletas representam mais de metade das exportações deste tipo de bens. A exportação de bicicletas atingiu os 245,9 milhões de euros, sendo que as importações de bicicletas ascendeu a 31,1 milhões de euros. O calçado desportivo foi responsável pela maior parte das importações classificadas como bens desportivos.

José Varela Rodrigues

O saldo da balança comercial de bens desportivos fixou-se nos 94,5 milhões de euros em 2020, revelou o Instituto Nacional de Estatística (INE) esta segunda-feira. Na véspera do Dia internacional do Desporto ao serviço do Desenvolvimento e da Paz, o INE divulgou a primeira edição do relatório “Desporto em Números 2020”.

Os dados ainda são preliminares, mas o gabinete de estatística nacional assegura que, em 2020, “o total de exportações de bens desportivos foi 428,4 milhões de euros (-1,4% que em 2019) e as importações atingiram 333,9 milhões de euros (-1,4%), resultando num saldo positivo de 94,5 milhões de euros”.

As exportações de bicicletas representam mais de metade das exportações deste tipo de bens. A exportação de bicicletas atingiu os 245,9 milhões de euros, sendo que as importações de bicicletas ascendeu a 31,1 milhões de euros.

Por outro lado, o calçado desportivo foi responsável pela maior parte das importações classificadas como bens desportivos, com um saldo negativo “expressivo”  de 72,3 milhões de euros.

O gabinete de estatística salienta que, nos últimos 8 anos, junto dos consumidores, “os preços dos bens e serviços desportivos aumentaram apenas nos serviços recreativos e desportivos – assistência (+35,2%)”. Nos restantes bens e serviços desportivos verificaram-se decréscimos, “destacando-se a diminuição dos preços dos equipamentos para desporto (-50,8%)”.

O relatório do INE apresenta, ainda, números relativos à indústria do desporto em Portugal, sendo que há dados relativos ainda ao ano de 2019. Contudo, no ano de 2020, marcado pela pandemia da Covid-19, o INE estima que o emprego desportivo foi estimado em 38,5 mil pessoas (0,8% da população empregada).

“Comparativamente com a população empregada total, o emprego desportivo caraterizava-se por ser maioritariamente masculino, mais jovem e mais escolarizado: 58,2% eram homens (50,7% no total da economia), 35,3% tinham idades dos 15 aos 24 anos (18,7% no total) e 49,6% tinham o ensino superior completo (30,1% no total)”, detalha o INE.

Numa lógia empresarial, os últimos dados disponíveis apontam que, em 2019, contavam-se 13.624 empresas na indústria do desporto. Nesse ano, essas empresas geraram “2,1 mil milhões de euros de volume de negócios e um valor acrescentado bruto (VAB) de 862,6 milhões de euros (0,5% e 0,8% do total do sector empresarial não financeiro, respetivamente)”.

A produtividade aparente do trabalho no desporto, que é medida pelo VAB gerado por cada unidade de pessoal ao serviço, ascendeu aos 25,4 mil euros. Para o total das empresas do sector empresarial não financeiro esse valor cai para 24,7 mil euros.

O financiamento público das atividades desportivas, por sua vez, cresceu em termos homólogos 10,2% para os 320,3 milhões de euros, em 2019, no que respeita às verbas alocadas pelas 308 câmaras municipais portuguesas. No mesmo ano, o financiamento do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) às federações desportivas foi 45,9 milhões de euros, o que se traduz numa subida de 5,3% que em 2018.

“A alta competição destacou-se com 45,2% do total do financiamento, superando o apoio às atividades desportivas (44,0%)”, aponta o INE. O apoio desportivo, ao nível da formação, contou apenas com 1,5% dos 45,9 milhões alocados pelo IPDJ.

Relativamente à participação da população nas atividades desportivas, o INE indica que, em 2019, “cerca de dois terços da população com 15 e mais anos não praticou qualquer exercício físico, de acordo com o Inquérito Nacional de Saúde”. Nesse ano, o número de praticantes inscritos nas federações desportivas era 688,9 mil, dos quais 68,4% eram homens.

Nas escolas, no ano letivo 2019/2020, o número de alunos inscritos no ensino superior nas áreas desportivas foi 9.800. Em relação ao ano anterior, o número de alunos inscritos aumentou 4,2% e o de diplomados aumentou 0,9%. O número de diplomados na área do desporto, em 2018/2019, foi 2.072.

Ler Mais