Especial Liga NOS. FC Porto: Campeão nacional quer renovar o título com equipa avaliada em 300 milhões de euros

Desporto 17-09-2020 07:35

Na época passada, o investimento no plantel foi um dos maiores de sempre (63,1 milhões de euros), mas nem todos os reforços tiveram o rendimento esperado pelo treinador, Sérgio Conceição. Com algumas saídas e entradas, o plantel do FC Porto é equilibrado e com toda a certeza será o mais forte candidato a conquistar o título, mesmo que não abra os cordões à bolsa como na época anterior.

João Tereso Casimiro

Depois de uma época cheia de altos e baixos, o FC Porto finalizou em grande e fez a dobradinha, conquistando um dos campeonatos mais atípicos da história e a Taça de Portugal frente aos rivais do SL Benfica. A pandemia trouxe novos problemas aos dragões que, com espírito lutador, enfrentaram as adversidades e souberam lidar com a pressão nos momentos mais decisivos.

Na época passada, o investimento no plantel foi um dos maiores de sempre (63,1 milhões de euros), mas nem todos os reforços tiveram o rendimento esperado pelo treinador, Sérgio Conceição. Com algumas saídas e entradas, o plantel do FC Porto é equilibrado e com toda a certeza será o mais forte candidato a conquistar o título, mesmo que não abra os cordões à bolsa como na época anterior.

A relação entre o presidente dos ‘dragões’, Pinto da Costa e Sérgio Conceição é um dos pontos fortes do emblema azul. Canalizar a boa relação entre o treinador e o dirigente máximo do FC Porto será um dos fatores mais importantes à entrada para a próxima época, onde o investimento do SL Benfica poderá ameaçar a renovação do título.

Altice e New Balance são a almofada financeira dos ‘dragões’

Entre os principais patrocínios do FC Porto, o destaque vai para a Altice que garantiu, em 2016, os direitos de figurar nas camisolas dos dragões. O acordo entre as duas partes estará em vigora até junho de 2023 e, segundo o “Correio da Manhã”, a empresa de telecomunicações paga por temporada 6,4 milhões de euros.

A norte americana New Balance é a fornecedora dos equipamentos, o contrato assinado em 2014 dura até 2024, altura em que os dragões avaliarão as ofertas que possam surgir, sendo certo que a marca de artigos desportivos dos Estados Unidos tem vontade de manter o vínculo. Contudo, os valores do acordo não foram revelados.

Entre os restantes patrocinadores dos ‘dragões’ surge a Super Bock e a Revigres, ambas parceiras de longa data, que segundo o “Correio da Manhã” o valor pago para as marcas figurarem nas costas da camisola dos azuis e brancos cifra-se nos 1,4 milhões de euros.

Jogador mais valioso da primeira liga é do FC Porto

O plantel do FC Porto está avaliado em 299,53 milhões de euros, ficando apenas atrás do SL Benfica (383 milhões de euros) segundo o portal “Transfermakt”. Porém, a diferença de orçamentos é mais expressiva quando comparados os dois clubes, uma vez que o SL Benfica para a temporada 2020/21 já investiu 80 milhões de euros na compra de jogadores, enquanto o FC Porto investiu 15 milhões.

A qualidade do plantel dos dragões é inquestionável. A experiência combinada com a juventude tem sido a imagem de marca de Sérgio Conceição que exige o máximo de todos os jogadores, independentemente do seu estatuto/idade.

O jogador mais valioso do plantel é o brasileiro Alex Telles (40 milhões de euros), seguido do mexicano Jesus Corona (30 milhões de euros). O FC Porto conta com um plantel bastante valioso, tendo oito jogadores avaliados acima dos 10 milhões de euros, onde já se inclui o novo reforço iraniano, Mehdi Taremi.

Fábio Silva rende 40 milhões de euros

Ao contrário do que aconteceu na temporada passada onde o FC Porto gastou 63,1 milhões de euros, à entrada para a nova época os ‘dragões’ têm estado tímidos no que toca à aquisição de jogadores, tendo até agora contratado apenas cinco jogadores, gastando 11,5 milhões de euros. Destaca-se a chegada do avançado iraniano Mehdi Taremi que, na época passada, ao serviço do Rio Ave apontou 18 golos em 30 jogos.

A nível de vendas, a saída do jovem prodígio Fábio Silva para a Premier League por 40 milhões de euros é a maior venda desta temporada para o FC Porto e para a primeira liga portuguesa. O jovem de 18 anos vai representar o Wolverhampton FC, equipa orientada por Nuno Espírito Santo, ex-jogador e também ex-treinador do FC porto. A Fábio Silva, junta-se Vitinha, que também vai representar os Wolves.

As restantes três saídas não tiveram contrapartidas financeiras para os cofres do FC Porto.

Entendimento entre Nakajima e Conceição entre os pontos chave

O carisma e a intensidade com que Sérgio Conceição vive o futebol acaba por se tornar na imagem de marca do FC Porto. Qualquer jogador que ingresse no plantel azul e branco, saberá que para jogar tem de estar ao mais alto nível e corresponder à ambição demonstrada pelo treinador português.

Entre os jogadores em destaque, salta à vista Alex Telles, o jogador mais valioso da primeira liga portuguesa tem muitos interessados pela Europa fora, com a imprensa internacional a apontá-lo como possível reforço do Manchester United. Caso não saia, tal como em anos anteriores é expectável que seja a grande figura do plantel do FC Porto em conjunto com o capitão e internacional português, Danilo Pereira.

Shoya Nakajima, o jogador japonês dos ‘dragões’ tem tido alguma dificuldade em adaptar-se ao estilo de jogo portista, mas a sua qualidade individual é inquestionável. Depois de se ter recusado a regressar do Japão em plena pandemia para treinar com a equipa, foi colocado de parte por Sérgio Conceição que não voltou a colocar o jogador em campo até ao final da temporada. Muito se falou de que poderia sair da cidade invicta mas, entretanto, após um pedido de desculpas sentido a todo o plantel, o japonês voltou a ser integrado e será uma das grandes figuras para a época 2020/21.

Ler Mais