Ministro da Defesa enaltece trabalho de militares portugueses no país

São Tomé e Príncipe 08-12-2018 22:29

O ministro da Defesa Nacional de Portugal, João Gomes Cravinho, enalteceu, este sábado, o trabalho dos militares portugueses na formação e capacitação da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe, um projeto que vai prolongar-se, pelo menos, até 2019.

 

João Gomes Cravinho disse que o governo português tem «um horizonte aberto» em relação ao futuro do navio patrulha Zaire e dará, em 2019, «continuidade ao trabalho de cooperação e de formação aos marinheiros e fuzileiros são-tomenses».

 

Depois, à medida que os militares são-tomenses derem mostras de «capacidade e competências necessárias», será reavaliado o futuro do navio, disse, sabendo-se da disponibilidade do governo português para o entregar à marinha do país.

 

«É um investimento grande do ponto de vista monetário, um investimento que é simultaneamente na segurança de Portugal e um investimento na segurança de um país amigo», disse o ministro, referindo-se aos dois milhões de euros anuais que custa o projeto.

 

João Gomes Cravinho falava no final de uma visita à Força Nacional Destacada em São Tomé e Príncipe, 28 militares a bordo do navio patrulha Zaire, e recebeu um relógio com a inscrição ‘Portugal sempre’, como presente de Natal por parte do ministro da Defesa e do chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas, almirante Silva Ribeiro.

 

O projeto de vigilância e fiscalização dos espaços marítimos de São Tomé e Príncipe, com o navio patrulha Zaire, vai prolongar-se em 2019, renovável por períodos de um ano.

Ler Mais

Últimas Notícias