Mia Couto conquista Prémio José Craveirinha

Moçambique 26-05-2022 08:14
Por Alexandre Zandamela, Maputo

O conceituado escritor moçambicano Mia Couto conquistou o Prémio de Literatura José Craveirinha, em reconhecimento à grandeza da sua obra na configuração de aspectos ligados à moçambicanidade e à humanidade em geral.

 

Num evento realizado esta segunda-feira no Átrio do Conselho Municipal de Maputo, o júri do Prémio de Literatura José Craveirinha, composto pelos escritores Luís Cezerilo (presidente), Sara Jona Laisse, Manuel Tomé e Bwana Yesu, galardoou por consenso e unanimidade.

 

Segundo o júri, Mia Couto «é um homem plural, humilde e versátil», e a decisão de premiá-lo «é acertada e já deveria ter acontecido há muito tempo».

 

No seu discurso de ocasião, Mia Couto preferiu falar dos outros. Primeiro, de José Craveirinha, enaltecendo a obra do poeta-mor e lembrando que é o primeiro herói na cripta (da Praça dos Heróis Moçambicanos, em Maputo) que não pegou em armas.

 

Disse ainda que o poeta deve estar descansado porque a sua semente está a dar frutos, num contexto em que o país possui vários autores jovens e de qualidade. Por isso, pediu à Ministra da Cultura e Turismo para levar a mensagem de que a literatura dos mais jovens deve constar nos manuais escolares.

 

Por sua vez, a ministra Eldevina Materula sublinhou o simbolismo de Mia Couto ganhar o prémio num ano em que se celebra o centenário de José Craveirinha.

 

Com a distinção nesta edição, do Prémio criado pela Associação dos Escritores Moçambicanos em parceria com a Hidroeléctrica de Cahora Bassa, Mia Couto embolsou 25 mil dólares.

 

Refira-se que, a nível da Lusofonia, Mia Couto foi o segundo escritor moçambicano a ganhar o Prémio Camões, em 2013, coincidentemente, a seguir a José Craveirinha, laureado em 1991. A terceira pessoa das letras em Moçambique a figurar nas vitrinas do “Camões” é Paulina Chiziane, galardoada no ano passado.

Ler Mais

Últimas Notícias

Mundos