Corridas e aventuras: as propostas PlayStation Now para junho

Jogos 02-06-2020 17:40
Por Redação

A Sony anunciou finalmente os jogos que vão juntar-se ao vasto catálogo de PlayStation Now no mês de junho e as notícias são animadoras, pois os três títulos prometem ocupar muitas e boas horas de jogo.

 

Depois de incluir The Golf Club 2019, este mês volta a aposta no mundo do desporto, embora agora focado no universo das corridas automóveis. A escolha da Sony recaiu em Nascar Heat 4, título de 2019 que nos coloca ao volante de rápidos carros em pistas americanas.

 

Para quem prefere jogar em cenários pós apocalípticos, Metro Exodus, aventura na primeira pessoa do início de 2019, promete experiência de jogo envolvente e estará disponível até 30 de novembro.

 

E há ainda o mais aclamado dos três novos títulos, Dishonored 2, que em 2016 conquistou a crítica enquanto um dos grandes jogos de aventura e ação furtiva.

Os três jogos juntam-se à lista de mais de 700 títulos (da PS4, PS3 e até da PS2) que estão ao alcance dos subscritores de PlayStation Now e entre os quais se destacam ainda, atualmente, Just Cause 4 (até 6 de outubro), Spider Man (até 7 de julho), Shadow of the Tomb Raider (até 31 de agosto), Tom Clancy’s Rainbow Six Siege (até 2 de novembro).

 

PS NOW COM DESCONTO EM DAYS OF PLAY

 

O PlayStation Now é uma das grandes apostas da Sony para o futuro dos videojogos e consiste numa plataforma com cerca de 700 títulos (sempre a crescer) que perante o pagamento de uma subscrição podem ser jogados em streaming. Ou seja, o equivalente às plataformas de streaming de vídeos como Netlfix, HBO e Amazon Prime.

 

Por ser forte investimento e por estar em crescimento acelerado, o PS Now foi incluído na campanha em curso Days of Play, que de 25 de maio a 8 de junho – nas lojas físicas – e de 3 a 17 de junho  - na PlayStation Store – oferece descontos em jogos e serviços.

 

O desconto oferecido na assinatura anual é de 30 por cento (€41,99, em vez @59,99) e de 20 por cento (€19,99, em vez de €24,99) para quem preferir fidelizar-se apenas durante três meses.

 

Para jogar basta ter uma PlayStation 4 com acesso à internet (é possível jogar também em PC) e um comando. Isto porque não é necessário ter o jogo em suporte físico nem descarregá-lo para o disco rígido (embora haja esta possibilidade para tornar os acessos mais rápidos): os jogadores usufruem da experiência total através da ‘cloud’ e com velocidades de carregamento bastante rápidas.

 

Ao aproveitar o desconto de 30 por cento na assinatura anual, cada mês do serviço fica a €3,49, o que perante a quantidade de títulos disponíveis se torna um negócio interessante para milhões de utilizadores.

 

 

NASCAR HEAT 4: COMO NOS FILMES

 

Se é verdade que para a maioria dos cidadãos europeus a Fórmula 1 é a competição rainha entre as provas de corridas automóvel, não o é menos que para todos os que são fãs de cinema o universo das corridas Nascar, populares nos EUA, é fascinante.

 

Pistas ovais (ou quase), público vibrante, acidentes espetaculares e incerteza quanto ao vencedor ajudam a construir heróis numa cultura muito própria. Os pilotos, quase sempre representados nos filmes por galãs (os que ganham) e por durões (os que quase ganham mas acabam a perder na última curva).

 

Em Nascar Heat 4, jogo lançado pela 704 Games Company (setembro de 2019) e desenvolvido pela Monster Games, encontramos tudo aquilo que podemos esperar, ao dia de hoje, num simulador de corridas: realismo, velocidade e emoção.

 

É o mais recente jogo dedicado ao universo Nascar e foi amplamente elogiado por responder aos desejos de melhorias pedidas pelos fãs.

 

Entre saltar diretamente para uma pista e acelerar, ou iniciar um modo carreira (mais que aconselhável para dar mais profundidade ao jogo) é a primeira escolha a fazer. Quem opta pelo modo carreira tem de decidir, logo de seguida, se o faz no modo piloto (tem de gerir contratos e trabalhar para obter reputação no circuito) ou se prefere assumir o controlo de uma equipa (aqui, há que gerir o dinheiro e tomar decisões que chegam ao pormenor de decidir que engenheiro contratar).

 

Na pista, tudo corre literalmente sobre rodas. Pelo menos até à curva em que o nosso carro vira de mais ou de menos, o que nos vai obrigar a definir, consoante o circuito, a fazer afinações na máquina para nos permitir lutar pelos primeiros lugares.

 

Para os mais pacientes (e para os que têm mais tempo) é possível começar no escalão mais baixo (Dirt Series), mas os apressados podem saltar diretamente para as Monster Energy Cup Series (a primeira divisão da coisa). Pelo meio, estão todos os outros escalões.

 

METRO EXODUS: AVENTURA NA RÚSSIA

 

Lançado em fevereiro de 2019 pela 4 A Games, Exodus é o terceiro título da série Metro. Desenvolvido por uma empresa ucraniana e baseado na obra do jornalista Dmitry Glukhovsky, Metro Exodus é um first-person shooter (FPS) que ao contrários dos anteriores (passados nos túneis de Moscovo) nos leva numa viagem para fora da capital russa, em busca de uma nova vida, a bordo de um comboio que nos leva de região em região.

 

Sendo um FPS, Metro Exodus marca a diferença para muitos dos títulos do género. Logo para começar porque coloca grande parte do foco do jogador na história que nos conta. A história de uma Rússia pós apocalíptica, marcada pela destruição provocada pela contaminação radioativa e pela forma como esta provoca mudanças nas formas de vida existentes.

O ritmo do jogo é propositadamente lento, como lentos seriam os passos de qualquer pessoa prudente num mundo em que não faltam as ameaças para a sua vida. Homens e criaturas mutantes são ameaças permanentes e o jogo vai-se moldando à forma como interagimos com os inimigos. Eliminá-los de forma sorrateira dá-nos tempo para avançar, mas um tiro desesperado ou a descoberta de um cadáver, torna os adversários atentos e faz de nós alvos a abater. Mais: quando os humanos sabem que estamos por perto escondem-se para nos atingirem, já os mutantes atacam-nos em horda… Nada como ser discreto, portanto.

 

O foco do jogo é, pois, a sobrevivência. E para o conseguir é preciso estratégia (por vezes é melhor atacar de noite, outras de dia) e cuidar das armas: limpá-las regularmente, adaptá-las para as tornar mais eficazes, etc.

Metro Exodus é um FPS especial dentro do género. Jogá-lo é como mergulhar num filme. De suspense, de ação, ou de terror, consoante os momentos.

 

DISHONORED 2: PERIGO NAS SOMBRAS

 

Dishonored 2 (Arkane Studios) foi lançado em 2016, mas quatro anos depois é ainda um jogo de referência entre os apaixonados de jogos de ação em modo furtivo.

 

Integrado este mês no catálogo do PS Now, conta-nos a história de uma vingança…15 anos depois dos eventos do primeiro título da série, a imperatriz Emily Kaldwin e o pai Corvo Attano tentam reconquistar o trono, que lhes foi roubado pela bruxa Delilah Copperspoon. Para o conseguirem os dois embarcam em longa e perigosa viagem que passa por várias cidades.

 

A crítica honrou Dishonored 2 com a distinção de ser o melhor jogo de modo stealth alguma vez lançado e, seguindo a mecânica de Dishonored (de 2012) subiu degraus na jogabilidade.

 

Com inimigos atentos, cada desafio a ultrapassar acaba por revelar-se um interessante quebra cabeças. Ruídos, sombras, movimentos, tudo serve para colocar guardas em alerta. Da mesma forma que estranharão o desaparecimento de colegas ou o facto de portas antes fechadas estarem agora abertas.

 

Dishonored 2 não é fácil, é preciso boa dose de estratégia e rapidez de raciocínio para ultrapassar os obstáculos. E, por essa razão, é mais um título a valer algumas das nossas horas entre os do catálogo de PS Now.

Ler Mais

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Comentários (2)

Últimas Notícias

Mundos