«Está livre o jornalista que denunciou Manus» - Público

Revista de Imprensa 07:43
Por Redação

«Behrouz Boochani, o jornalista refugiado que denunciou condições desumanas para os requerentes de asilo na ilha de Manus, na Papuásia-Nova Guiné, e da política australiana em relação às “chegadas ilegais”, está livre: após seis anos e três meses preso em Manus, aterrou na Nova Zelândia. “Só quero estar em algum lado em que seja uma pessoa, não só um número, não só uma etiqueta, ‘refugiado’”, disse ao diário britânico The Guardian.

 

Boochani documentou as condições no campo. Como modo de lidar com as condições precárias, para se manter saudável, fez o que sabia: foi jornalista. Escreveu, mensagem após mensagem de WhatsApp para um amigo, um livro sobre as condições na ilha e o sistema, destinado a semear competição entre os refugiados, obrigando-os a disputar bens raros.

 

O livro Sozinho nas Montanhas (Ed. Casa das Letras), venceu, entre outros, o maior prémio literário da Austrália. O título é de um provérbio curdo – Behrouz Boochani é iraniano e curdo, e foram as suas reportagens e o seu apoio à independência do Curdistão que o levaram a fugir do Irão – e acabar preso já perto do local em que pensava poder ter refúgio.»

Ler Mais

Últimas Notícias