«Achávamos que Paim tinha mais potencial que Ronaldo»

Sporting 14-08-2019 11:40
Por Redação

Luís Martins, antigo coordenador do departamento de formação do Sporting, recorda Fábio Paim, numa entrevista ao site brasileiro ‘UOL’.


 O ex-jogador de 31 anos, que foi detido no início de agosto por alegado envolvimento em tráfico de droga, passou por clubes como Sporting e Chelsea, sendo uma das maiores promessas do futebol a nível mundial.

 

«Fiz uma semana de estágio no Real Madrid e os responsáveis pela academia deles perguntaram-me claramente (pelo Paim), afirmando que o seguiam, que era um dos melhores do mundo na sua idade. Ele fez parte de uma geração de jogadores, no Sporting, que tinha muita visibilidade, não só pelo rendimento, mas também pelos títulos», recorda Luís Martins.

 

 «A dada altura achávamos que ele tinha mais potencial do que o Cristiano Ronaldo e até acreditávamos que seria difícil segurá-lo no mercado. Tinha o Real Madrid, o Manchester United e outros clubes (…) era agenciado pelo Jorge Mendes desde muito cedo, portanto, imaginávamos que tudo seria muito rápido para ele», acrescenta o antigo coordenador.

 

Os anos passaram e a jovem promessa do futebol não seguiu o rumo esperado: «Em termos técnicos, ele sempre esteve acima da média, porém, isso não basta. Existem outros fatores a considerar, como o contexto social e também a parte física. Sofreu uma lesão grave no joelho ainda nos juniores, que resultou num determinado retrocesso. Faltava dedicar-se mais também no aspeto das suas capacidades coletivas e de sacrifício. Se calhar, são as que ainda lhe faltam hoje.»

 

Martins recordou também condicionantes sociais: «Veio de um bairro desestruturado na zona do Estoril, de uma família com características que precisavam de ser cuidadas. Desde cedo a família sempre esteve à espera do que o Fábio pudesse proporcionar em vez de ser o contrário. Esse cenário não ajudou, claro.»

 

Contudo, o carinho por Fábio Paim continua presente em Martins: «É um ser humano fantástico, independentemente de qualquer coisa que possa ter feito à margem da lei, não é do perfil dele. No que estiver ao meu alcance, quero fazer de tudo para o ajudar.»

O FUTURO COM O NOSSO PASSADO


Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo de qualidade que se faz da grande história, da investigação e da grande reportagem – nós temos esse jornalismo (o jornalismo que fez com que se falasse de A BOLA como a Bíblia) para lhe continuar a dar.

Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo do texto criativo e sedutor e da opinião acutilante que não se faz de cócoras ou de mão estendida – nós temos esse jornalismo para lhe continuar a dar…

… e para nos ajudar a manter e a melhorar esse jornalismo sério e independente com o timbre de A BOLA,

Junte-se a nós nesse novo desafio ao futuro, tornando-se nosso assinante.

ASSINE AQUI

A Edição Digital de A Bola

Ler Mais
Comentários (48)

Últimas Notícias

Mundos