Pierre Boudieu e o desporto (artigo de Vítor Rosa, 52)

Espaço Universidade 11-08-2019 16:40
Por Vítor Rosa

A obra sociológica de Pierre Bourdieu (1930-2002) é abundante, de uma grande riqueza, intelectualmente estimulante e de uma certa complexidade. Este sociólogo foi levado a falar e a escrever sobre desporto, apresentando mesmo o que poderia ser um “programa” de investigação sobre a sociologia do desporto.

 

Para este sociólogo francês, o campo das práticas desportivas é o local de lutas simbólicas pelo monopólio da imposição da definição legítima da atividade desportiva: amadorismo contra profissionalismo, desporto-prática contra desporto-espetáculo, desporto distintivo de elite contra desporto popular de massa. O campo das práticas desportivas insere-se também nas lutas pela definição do corpo legítimo e do uso legítimo do corpo, lutas que envolve os treinadores, os dirigentes, os professores de educação física e outros mercadores de bens e serviços desportivos. Neste sentido, opõem-se os moralistas (o clero), os médicos (os higienistas), os educadores, os árbitros da elegância e do gosto, etc. (Bourdieu, 2002).

 

Segundo esta perspetiva, o desporto abre uma possibilidade quase infinita de lutas simbólicas, às quais as instituições e os grupos sociais vão se “entregar”, não apenas para as vitórias e troféus, mas, de uma forma mais “escondida”, para impor as significações particulares e distintivas ligadas aos gestos desportivos.

 

Para Bourdieu, a diferenciação social leva à diferenciação desportiva, opondo os “desportos chiques” e os “desportos populares”. Assim, o custo das atividades (a variável económica) não pode ser considerado como a única variável discriminatória para a prática desportiva. De uma forma geral, o desporto para “as classes superiores” é secundário. É uma forma de os círculos sociais, já unidos, se fecharam ainda mais. Se olharmos para o ténis, por exemplo, constata-se que não se procuram os parceiros de jogo pelas suas performances desportivas, mas por serem de determinadas classes sociais, ou às quais se deseja pertencer.

 

Referências:

Bourdieu, P. (2002). Questions de sociologie : Paris : Les Editions de Minuit.

 

Vítor Rosa

Sociólogo, Doutor em Educação Física e Desporto, Ramo Didática. Investigador Integrado do Centro de Estudos Interdisciplinares de Educação e Desenvolvimento (CeiED), da Universidade Lusófona de Lisboa

 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias