«Se as coisas corressem mal, era fácil vir dizer que não tinha escolhido o Fonseca»

Roma 17-06-2019 13:58
Por Redação

Até aqui embaixador do clube, Francesco Totti tornou oficial, esta segunda-feira, a sua saída da Roma. Numa longa conferência de imprensa, a lenda dos romanos explica os motivos que o levaram a 'bater com a porta', com a chegada do português Paulo Fonseca ao comando técnico dos giallorrossi a parecer ter sido a gota de água.

 

Foram várias as situações que me levaram a tomar esta decisão. Em dois anos, só me ligaram para ir a 10 reuniões. Parecia que estava sempre a mais, que me queriam deixar de forma. Isto fez-me pensar muito. Tentei trazer coisas novas para este clube, mas percebi que muitas pessoas tinham outra forma de ver as coisas. Foi uma falta de respeito para mim, como pessoa. Para mim, deixar a Roma desta forma é como morrer e dói ainda mais do que ter-me retirado enquanto jogador.

 

- Nunca sequer falei de dinheiro, quis ser o diretor-técnico porque penso ser competente a contratar bons jogadores. Não queria mandar em tudo. Mas… Se o clube contrata um novo treinador, novos jogadores, vende outros e não me questionam sobre nada, que raio estou aqui a fazer?», disse, prosseguindo.

 

«Neste verão, o único treinador que contactei chama-se Antonio Conte. Não é verdade que tenha andado atrás do Gasperini, do Gattuso, do Mihajlovic. Tudo isso é uma mentira. Querem passar a imagem de que eu falhei todos estes alvos e que eles, num telefonema, conseguiram o Paulo Fonseca. Não vou fazer esta figura de idiota.

 

- O diretor técnico tem um papel importante na escolha do treinador, certo? Mas, vendo eu a forma como decidiram tudo sem mim, o que queriam que fizesse? Se as coisas corressem mal daqui para a frente, era muito fácil vir dizer que não tinha sido eu a escolher o Paulo Fonseca…»

Ler Mais
Comentários (5)

Últimas Notícias