Venezuela apoiada por 150 mil refugiados

Venezuela 15-06-2019 09:30
Por João Almeida Moreira

«Sim, claro», dizem em coro os pequenos Angelo e José, jogadores de sete e oito anos do Abrantes, clube da Bahia, quando lhes perguntam se estão entusiasmados com o início da Copa América no Brasil, onde moram há pouco mais de seis meses. Eles, como os pais, alguns tios e avós são parte do contingente de mais de 150 mil refugiados venezuelanos em solo brasileiro desde o início da crise política, económica, social e humanitária que abala os pilares do regime liderado por Nicolás Maduro.


«A situação é caótica, crítica, dramática: os refugiados dormem na rua mas mesmo assim não querem voltar», contou a A BOLA o padre brasileiro José Vicente, em missão em Boa Vista, capital do fronteiriço estado de Roraima, antes de prosseguir: «Uma senhora que me quis vender café contou-me que não quer voltar, de jeito nenhum. Ou seja, eles preferem dormir aqui, com a calçada como chão, os degraus das escadas como travesseiro e as caixas de papelão ou os sacos de lixo como cobertor, a voltar.»

 

«As crianças choram por fora e nós, adultos, choramos por dentro, e no entanto elas sorriem após um abraço, por um pedaço de pão», concluiu o padre.


 

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias