Gratidão (artigo de José Neto, 87)

Espaço Universidade 01-05-2019 22:20
Por José Neto

Precisamos cada vez mais de renovar uma visão da humanidade em que se estabeleça modos limiares de relacionamento de forma a atingir a observância de padrões de comportamento revestidos duma conduta civilizada, de generosidade, de respeito e de glorificação por quem transporta valores e a quem apetece aplaudir de forma continuada.

Dado que somos instrumentos facilitadores do encontro com a vida, quando nos batem à nossa porta ou tocam a campainha e logo verificamos que estamos perante gente alegre, com largo sorriso nos lábios, logo convidamos a entrar.

Foi neste sentido que um grupo de colegas, (alguns ex alunos), se me dirigiu para que autorizasse a que me fosse prestada uma homenagem, ao que eu de imediato agradeci muito sensibilizado por essa nobríssima atitude, não deixando de recordar-lhes de que gostaria que o ato fosse o mais simples possível, já que o significado ultrapassava porventura todas as razões de que eu fosse disso merecedor.

 

O facto é que isto ganhou um cunho de tal ordem entusiástico que não foi possível mais parar.

Assim no decorrer do IV Simpósio de Treino Desportivo “ do Talento à Excelência”, estava bem vincada a mesa de homenagem, moderada pelo meu bom amigo Jorge Gabriel ( que à sua boa maneira tão fidalga quanto gentil, irradiou de júbilo a relação fraterna que o tempo nos une e a vida aplaude), e com intervenções de carácter cultural, social e desportivo, numa amizade de personalidades que “nem vos digo e nem vos conto!”

 

Deste modo quero de forma pública nesta rubrica que ao longo do tempo o Jornal “A Bola” on line me honra a publicar, reconhecer com a palavra tão próxima da minha identidade pessoal que se chama GRATIDÃO, que segundo Cícero (106 – 43 a.C.), referia como “sendo a maior das virtudes e a base de todas as outras” e que Aristóteles (384 – 322 a.C.), proclamava como “sendo o sentimento que envelhece mais depressa” e o meu sempre distinto e ilustre Professor Jorge Bento ainda um dia destes evocava que “a ingratidão é o mais ignóbil dos pecados e a falsa modéstia a mais vil das vaidades”.

Pelo corpo diretivo do Instituto Politécnico da Maia, inserido no Instituto Universitário da Maia, surgiu essa ideia. Curioso que muito pouco tenho feito pela abrangência de larga autenticidade profissional deste ramo universitário, não obstante colocando-me sempre disponível para o enriquecimento do património cultural que ao longo da tenra idade (4 anos), tem tido uma voz verdadeiramente galopante do seu desígnio profissionalizante, quer no ramo da pedagogia, da investigação, quer nas atividades, (com a presença de centenas ou milhares de participantes), periódica e estruturalmente realizadas: semanas académicas … férias desportivas… universidade jovem… e como verdadeiro filho, lhe procuro adoçar o sentido da credibilidade na conquista do futuro.

 

Por isso GRATIDÃO ao Presidente do IPMAIA Prof Doutor Célio Sousa; ao Diretor da Escola Superior de Ciências Sociais, Educação e Desporto Prof Doutor Daniel Duarte; ao Coordenador da Licenciatura de Treino Desportivo Prof Doutor Nuno Pimenta (um dos “botas de ouro” deste surpreendente encontro), aos docentes Prof Doutor António Barbosa, Prof Doutor Paulo Roriz, Mestres António Sampaio, Sérgio Ribeiro e Luís Sousa, bem como a todos e todas que se agruparam nesta vontade coletiva de exercer as tarefas circunscritas a este bem - fazer, cuja dedicação tanto me emocionou.

 

GRATIDÃO ao Dr. Lourenço Pinto, digníssimo Presidente da A.F. Porto pelas palavras proferidas a meu respeito e pela nobreza de princípios com que se me tem dedicado, nomeadamente desde a formação de agentes, às conferências proferidas, então aquela que jamais esquecerei, dando-me oportunidade de explorar o tema Futebol Solidário – Cultura, Vida e Festa, juntamente com o campeão dos campeões Jorge Nuno Pinto da Costa, com que abrimos a festa do centenário da A. F. Porto.

 

GRATIDÃO ao Engº Sárria, ilustre presidente da A. F. Viana do Castelo pela confiança que ao longo de mais de 15 anos me envolve na formação de treinadores desta zona distante mas simplesmente encantadora e como enalteceu o traço da nossa fidelidade.

 

GRATIDÃO ao Dr. Paulo Meneses, presidente do nosso Paços e que defende a natureza da terra com a galhardia, civilidade, honradez, desde os palcos da justiça, passando do relvado para o encanto do lar, onde o exemplo familiar surge num toque de fidalguia nobre, encantador e sublime.

Imaginará qual o sentimento que me provocou ao ouvir o que entendeu referir a meu respeito, sobrando-lhe as razões de afeto, entusiasmo e grandeza?! ...

 

GRATIDÃO ao Dr. José Guilherme Aguiar que o tempo de saudade em que nos cruzávamos no nosso gabinete técnico no F.C Porto (década de 80 – repetidamente Campeão Nacional, Europeu e Mundial) e mais tarde na qualidade de Diretor Executivo da Liga Portuguesa de Futebol Profissional e que em comum traçamos as rédeas de otimizar as competências da arbitragem no que concerne à capacidade de treino, instituindo 9 centros de treino, de forma altamente qualificada, com processos a medir a discussão ao mundo do Futebol. Orador de excelência, vai fazendo da experiência a arte também de ensinar e que honra o ter como docente na CASA de todos nós.

 

GRATIDÃO ao Dr. Hermínio Loureiro, como alguém o caraterizou, e se encontrava muito distante do aparelho e doutrina partidária, como o melhor Secretário de Estado do Desporto após o 25 de Abril e mais uma vez e já vão sendo muitas, que me dá a honra de privar com essa forma tão distinta e robusta de exercer a solidária amizade, que considero como fraternal, tão empática se nos envolve e responsabiliza. Na mensagem do meu bom amigo estava configurado o afetuoso abraço altamente gratificante do nosso presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Dr. Fernando Gomes campeão dos campeões, que passou a habitar no coração de todos os portugueses … também no meu!...

 

GRATIDÃO ao Prof Doutor José Carlos Noronha pela tão rica quão simbólica mensagem gravada. Ao escuta-lo senti meus olhos a humedecer e o coração em alerta. Ao ouvi-lo, escutei o eco do meu silêncio e ainda tive tempo de reconstruir imagens, memórias duma vivência que sempre haverá de iluminar o caminheiro da minha existência. O SENHOR DOUTOR É GRANDE …ENORME!...

 

GRATIDÃO ao meu filho de afetos José Gomes (atualmente treinador do Reading – Inglaterra). Quanto orgulho em o ver entrar para o mundo do Futebol Profissional e ainda jovem mas a tempo de na sua curta história, já se ter tornado no melhor treinador da Hungria e cuja carreira, quer em Portugal quer nas Arábias serem testemunho de fidelidade de princípios técnicos, científicos e humanos, expostos numa grandeza de campeão!... Foi um dos meus melhores alunos nestes 27 anos de carreira no Instituto Universitário da Maia … a nossa bandeira!...

 

GRATIDÃO ao Professor Doutor Manuel Sérgio. Abordei o meu “filho”, não posso esquecer o meu “pai de afetos”, que desde que terminei a minha licenciatura e nos primórdios das minhas funções no F. C. Porto, através do Senhor Pedroto, jamais o perdi pelo tanto que me tem ensinado.

 Querido e amado Professor: muito obrigado pelo traço de identidade que “rasgou” a meu respeito. Tenho mesmo muita dificuldade em receber tamanha nota de apreço, tão distante estará do meu merecimento. Ainda me vejo a olhar para os seus olhos e neles algumas lágrimas de sentida alegria e orgulho que se lhe soltaram, após eu ter terminado a apresentação da tese do meu doutoramento e que tanta energia me dedicou, para que nesse dia acontecesse uma das festas mais lindas da minha vida.

Querido e amado Professor agora que sua doutrina se transformou em cátedra na Universidade Católica eu prometo que neste temp(l)o sagrado do resto da minha existência, lhe confiarei a minha absoluta dedicação para que essa nobre e distinta filosofia do Desporto como Ciência e Consciência se perpetue ao longo do processo da aprendizagem. Por isso mesmo já para o próximo ano letivo será instituída a disciplina nos nossos Cursos Superiores  Desporto/Motricidade – Transcendência – Felicidade.

 

GRATIDÃO ao nosso Magnífico Reitor Professor Doutor Domingos Oliveira e Silva, sem esquecer ao saudoso Prof Doutor Eduardo Nunes, pelo facto de desde há 27 anos a esta parte, num Domingo (tinha de ser), próximo das horas das trindades, me convidou a viajar para o sonho de ajudar a erguer esta instituição universitária.

Instituto Universitário da Maia, onde a polivalência do conhecimento administrado, reside na produção científica sustentada na investigação das fontes de rendimento para o treino, para a saúde, para a formação e para a competição. Ali se afigura um arco iris cultural admitido na polivalência dos saberes que ao longo do tempo germinam das suas entranhas e lhe conferem uma soberana jovialidade.

 Apresenta-se a quem ouse “calçar-lhe as sandálias e suar-lhe a camisola”, como uma promessa de uma recompensa, servida pela beleza do conhecimento e mais, encarna um projeto sempre acolitado de uma renovada esperança … um projeto chamado HOMEM!... 

 

GRATIDÃO ao Prof. Henrique Calisto ex presidente e membro honorário da Associação Nacional de Treinadores que com Vítor Oliveira, Augusto Inácio, Prof. Manuel Machado e “irmão” Nequinha, enriqueceram o ato com a sua afetuosa presença. Um abraço muito forte e sentido ao “Frasquinho” um dos heróis da minha vida que como tantos outros no F.C.Porto da década de 80, muito me ajudaram a celebrar de forma repetida o êxito pelos vários títulos de campeão, que a história documenta e exalta. De muitos destes, guardo mensagens escritas em letras com perfume!...

 

GRATIDÃO a outros colegas “equipados” com as cores do sucesso, como   António Cunha, Paulo Sá, Carlos Carvalho e os demais que engrossaram a presença espiritual, com mensagens reveladoras dum especial sentimento de estima.

Também em destaque a presença do melhor árbitro de Futebol em Portugal e um dos melhores do mundo Artur Soares Dias e que agora também enobrece o teor pedagógico dos nossos cursos superiores de Educação Física e Desporto nas diversas áreas do ISMAI.

 

GRATIDÃO ao meu melhor amigo, Francisco Alberto Magalhães Machado, (lembrando também Dr. Bastos, Dr. Serafim, Prof. Arménio Pereira, eterno saudoso Raúl Teixeira e…e… são tantos meu Deus), presidente honorário dos “BRAVOS”, um grupo de gente da minha terra composto por uma imagem coletiva duma existência seletiva onde os valores do Homem feito à máxima dimensão são capazes de criar admiração e exemplo. Gente que carrega no coração as pegadas da experiência vivida e nos olhos o certificado com as cores da esperança – gente autenticamente ganhadora e que muito me honraram com o convite a deles ser parte integrante.

Também representou um outro grupo no qual também estive na sua origem e que para o ano fazemos as “bodas de ouro”, intitulado “PELO DESPORTO UMA AMIZADE MAIS FORTE”, cujo legado já comporta pais, filhos e netos e do e pelo DESPORTO fazemos o encontro periódico para celebrar a vida.

 

GRATIDÃO a outros amigos especiais de sonho pela beleza e alegria do encontro, protagonizado pelo Senhor Manuel Ramos Machado, Dr.s Archer e Armindo Dias e outros que também habitam no meu coração mas, por motivos vários, se viram impedidos da sua presença física. Assim foi também com o meu atual presidente da Câmara Dr Humberto Brito, que pelo diálogo estabelecido, bem verifiquei a angústia do seu impedimento … apenas como repetiu, da ausência física!...

 

GRATIDÃO duma verdadeira “embaixada” do C. D. Tondela interpretada pelo exemplar profissional Carlos Carneiro, Nuno Pereira e Eduardo “enciclopédia,” que deixaram um rasto duma devotada dedicação no cumprimento dum dever com o êxito, que o tempo jamais deixará de recordar.

Uma nota especial para a mensagem do presidente Gilberto Coimbra, ausente do País, mas cujo teor foi revelador da elegância de trato onde lhe sobram sinais duma conduta cívica, ética, espiritual e moral. Creia mesmo que irá figurar no aconchego da minha memória do passado para o presente, do presente para o presente e do presente para o futuro.

 

GRATIDÃO aos meus alunos presentes e ausentes, aqueles que me ajudam a andar por aí misturado de sorrisos e abraços e vontade de com eles conquistar o sonho do tamanho do mundo. Que me ajudam a celebrar a ética, a ensinar a pensar, a retirar a sabedoria dos erros, a força das injúrias e a coragem dos fracassos. Que me ajudam a incutir o entusiasmo, a renovar os princípios da honestidade, lealdade, confiança, cooperação, integridade e a transformar a vida em vontade eterna de a viver com paixão e amor!...

 

GRATIDÃO á minha querida família (Nelinha, Zé Miguel, Andreia, Adriano e o meu adorado netinho) … sem dúvida o núcleo fundamental da minha existência… para mim um banco de jardim …para eles, um altar!...

 

Este tributo /homenagem tem também para mim um especial significado, pois só me obriga a ir mais longe nos objetivos de conquista. Como refiro de forma incessante: a recompensa de um trabalho que seja considerado bem feito, está na oportunidade de fazer mais e melhor e como me dizia também o nosso Professor Manuel Sérgio: “ há três caminhos para o fracasso: não ensinar o que se sabe… não praticar o que se ensina e não perguntar o que ignora”.

 

Agora termino com uma confidência bem pessoal, “já ninguém nos ouve”: quando me encontro perante estas situações, tenho muita vontade de regredir no tempo e sentir-me a correr para o colo dos meus avozinhos e contar-lhes quanto feliz eu sou e agradecer-lhes por me terem ensinado a falar… a correr … a pensar … e é nesses momentos que mais emocionalmente sinto: aqueles olhos com a atenção para me vigiar… aquelas bocas com o calor para me aquecer … aqueles braços com tanta força para me abraçar e … me terem dado a vida para me poder tornar pessoa!...

 

Ao IPMAIA (Instituto Politécnico da Maia, inserido no Instituto Universitário da Maia – ISMAI), como referi ainda jovem mas já soberanamente experimentado, movido por uma força energética autenticamente mobilizadora para a abertura das portas para o futuro … MUITO OBRIGADO e UM FORTE ABRAÇO SOBRE O CORAÇÃO.

 

José Neto: Metodólogo de Treino Desportivo; Mestre em Psicologia Desportiva; Doutorado em Ciências do Desporto; Formador de Treinadores F.P.F./U.E.F.A.; Docente Universitário.

O FUTURO COM O NOSSO PASSADO


Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo de qualidade que se faz da grande história, da investigação e da grande reportagem – nós temos esse jornalismo (o jornalismo que fez com que se falasse de A BOLA como a Bíblia) para lhe continuar a dar.

Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo do texto criativo e sedutor e da opinião acutilante que não se faz de cócoras ou de mão estendida – nós temos esse jornalismo para lhe continuar a dar…

… e para nos ajudar a manter e a melhorar esse jornalismo sério e independente com o timbre de A BOLA,

Junte-se a nós nesse novo desafio ao futuro, tornando-se nosso assinante.

ASSINE AQUI

A Edição Digital de A Bola

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias