Pesos decisivos

O Mundo dos Guarda-Redes 13-03-2019 22:52
Por Roberto Rivelino

Sempre que Benfica, Porto ou Sporting se confrontam criam-se ondas sobre o quão importante é o guarda-redes para o jogo e resultado. Nesta jornada debateram-se Iker Casillas e Odisseas Vlachodimos, ambos com o próprio peso – um conteve o marcador, o seguinte evitou o possível empate por duas vezes a partir dos 90.

 

O jogo de Iker Casillas pelo Porto foi valorado pela sua intervenção em remates de Pizzi e Seferovic, mas também numa saída arrojada aos pés do primeiro ofensor – lance que resultaria num dos golos do encontro. Já Odisseas Vlachodimos conteve-se na abordagem posicional no único tento dos dragões e deixou a descoberto o golo e depois voou para desviar para canto um remate de Felipe e agarrou, na sequência, um de Marega.

 

Avançando: estas ações foram possíveis mesmo à distância da execução técnico-tática-decisional indicada ou treinada (Diamantino Figueiredo e Fernando Ferreira), por isso imagine-se o que isto traduz sobre o que se escreveu na primeira frase quanto ao peso da intervenção do guarda-redes.

 

Posto em papel, penso que Casillas tem condições para executar movimentos de maior qualidade na resolução de problemas (defender sem dar oportunidade para nova ameaça adversária - aconteceu nos dois remates), e na capacidade para interpretar o jogo em posse de bola, entregando-a com tranquilidade e qualidade, no espaço e direção indicados (exemplo: no primeiro golo adversário o passe faz um trajeto longo e arriscado quando não se deixa a baliza - não olvidando as ações posteriores dos colegas).

 

Já Vlachodimos continua com posicionamentos desconcertantes quando a bola paira nas laterais (pós-primeiro remate de Adrián conteve-se ao poste e ampliou as chances de golo ao oponente, repetindo o comportamento na defesa vistosa a Felipe).

 

Ponto-chave: é muito importante lembrar que toda e qualquer decisão do guarda-redes num ambiente de teste a todas as aptidões do ser (jogador-pessoa), como é um Porto – Benfica é acompanhado de forte pressão e ambição, condições que levam à pressa pela execução e decisão.

Defesa da jornada:

 

Charles Marcelo – Vitória SC 1-0 CS Marítimo – 71’ – Desvio lateral

Avaliação da defesa: 9 (nove)

Critério: A defesa da jornada é escolhida por um critério de pesagem entre execução técnica, interpretação tática e complexidade da tomada de decisão

 

01 – Momento do cruzamento de Dodô; Charles Marcelo encontra-se com os apoios de perfil, com o pé interior na linha do primeiro poste e em posição-base baixa;

 

02 – A bola sobrevoa a área e Charles Marcelo faz um deslocamento numa trajetória de 180 graus com cruzamento de apoios (avançou e recuou, com a bola a passar por cima do seu raio de alcance ou ação)

 

03 – Execução de Charles Marcelo com a impulsão efetuada com o pé de chamada direito, respondendo ao cabeceamento de Welthon com um desvio com a bola sob a linha de baliza

 

Siga Roberto Rivelino:

Facebook, Twitter e Instagram 

e O Mundo dos Guarda-Redes 

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias