«Milan Kundera volta a ser checo 40 anos depois» - Público

Revista de Imprensa 05-12-2019 07:27
Por Redação

«´Um gesto simbólico´ para reparar a injustiça cometida pelo regime comunista contra ´o melhor escritor checo´, explicou o embaixador da República Checa em Paris.

 

O governo da República Checa decidiu devolver a Milan Kundera a cidadania checa, que lhe fora retirada em 1979, pela autoridades comunistas da então Checoslováquia, quando o autor de A Insustentável Leveza do Ser já estava há alguns anos exilado em França.

 

O documento que formaliza esta decisão foi entregue ao escritor na passada quinta-feira pelo embaixador da República Checa em Paris, Petr Drulak. O diplomata dirigiu-se ao apartamento parisiense de Kundera e pediu-lhe desculpa, em nome do seu governo, pelas perseguições de que o autor fora alvo durante anos.

 

“Foi uma cerimónia simples e cordial”, descreveu Drulak à televisão pública francesa. “Estava de bom humor, pegou no documento e disse ‘obrigado’”. A ausência de solenidades públicas não retira relevância, argumentou ainda o diplomata, a este “gesto simbólico muito importante” que vem reparar uma injustiça cometida contra aquele que considerou “o melhor escritor checo”.

 

A diligência do embaixador veio culminar um processo que se iniciara há cerca de um ano, em Novembro de 2018, quando o primeiro-ministro da República Checa, Andrej Babis, líder do partido populista ANO 2011, se encontrou em Paris com Milan Kundera e lhe propôs recuperar a cidadania que lhe fora retirada há 40 anos.»

Ler Mais

Últimas Notícias