Movimento 'Servir o Benfica' reage ao chumbo para contagem dos votos

BENFICA 21-11-20 9:31
Por Redação

O Movimento Servir o Benfica já reagiu à decisão da Mesa da Assembleia-Geral do clube de não provimento ao requerimento apresentado pelos sócios Francisco Benitez, João Pinheiro e Nuno Leite para recontagem dos votos físicos das eleições do passado dia 28. Salienta que o «direito à informação sobre a documentação que regulou o processo eleitoral foi negado», assim como foi negada «informação aos sócios sobre o funcionamento do sistema de voto eletrónico». Considera, também, que houve «violação clara dos estatutos pela Mesa da Assembleia Geral do Sport Lisboa e Benfica» e que esta foi «evidente».

«A Mesa da Assembleia Geral do Sport Lisboa e Benfica não se pode declarar incompetente para avaliar um requerimento por não versar sobre uma matéria especificamente expressa nos estatutos, muito menos por respeitar a um processo anterior à sua entrada em funções, numa falácia jurídica gritante que ignora a memória dos Órgãos Sociais e, no limite, os impediria de exercer funções. Porque resiste o Sport Lisboa e Benfica a clarificar os números de um acto eleitoral em que nem o total de votantes anunciados (38102) corresponde ao somatório de votantes registados por mesa de voto (38245)? (disponível para consulta em https://www.slbenfica.pt/eleicoes2020#acompanhar)», lê-se ainda.