Afonso Antunes aposta forte: ««Quero ser olímpico e campeão do mundo»

SURF 08-07-20 8:52
Por Miguel Morgado

O que queres ser quando fores grande? À pergunta de A BOLA, Afonso Antunes, 16 anos, líder do ranking da Liga Meo Surf, respondu, sem hesitar: «surfista (risos)». Já o é, desde tenra idade. E quer continuar a ser, de forma assumidamente profissional.

Neste caminho, há muito pensado, abre espaço para completar o 12º ano de escolaridade, assume frontalmente. «Frequento o ensino à distância, tenho aulas via Skype. Já tinha antes da covid-19. Estou em Humanidades, com notas razoáveis», confidencia o atleta, que tem já estatuto de alta competição.

Para uma das grandes esperanças do surf nacional, o curto e médio prazo estão desenhados nas ondas. «O meu sonho, e de todos surfistas, é chegar o mais cedo possível ao Circuito Mundial. Quero entrar antes dos 20 anos», aponta o atual nº 403 do ranking do Circuito de Qualificação (QS). «Quero ser olímpico (Paris 2024) e campeão do mundo. Trabalho para os dois objetivos e quero ver se chego lá», reforça.

No imediato, admite que o campeonato nacional é um desejo para cumprir. «É uma ambição», frisa Afonso Antunes, um dos mais novos atletas a vencer uma etapa da competição que atribui os títulos nacionais. Sem provas internacionais, devido à pandemia, pode fechar no corrente ano este capítulo na sua carreira, tornando-se um dos mais jovens campeões nacionais.

«Esta é uma vida de esforço, mesmo, mas é a que escolhi. Abdico de muita coisa, da vida social, porque tudo irá compensar se alcançar os objetivos», garante o filho do antigo tricampeão nacional, João Antunes, que é também seu treinador. «Quero-o meu sempre a meu lado. É fundamental, como sempre foi e continuará a ser», diz ainda o surfista do Ericeira Surf Clube.