Mais de 2000 pessoas na primeira Marcha de Orgulho Gay na capital da Bósnia

INTERNACIONAL 08-09-19 9:52
Por Redação

Mais de 2000 pessoas desfilaram, este domingo, em Sarajevo, naquela que foi a primeira Marcha de Orgulho Gay organizada na capital bósnia, «em protesto contra o ódio que atinge a comunidade LGBT» (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgéneros).

No local, estiveram mais de 1100 polícias, incluindo membros da força antimotim, que foram enviados para contornar o centro da cidade ao longo da rota do desfile.

Sarajevo foi a última capital dos Balcãs a organizar um evento de ‘Orgulho Gay'.

A forte presença policial deve-se também ao facto de, em 2008 e em 2014, grupos radicais terem atacado participantes em festivais ‘gay’.

Empunhando bandeiras arco-íris, membros da comunidade LGBT, mas também muitos habitantes de Sarajevo, andaram cerca de 1.500 metros, tendo como ponto de partida simbólico, um monumento dedicado à libertação da cidade no final do II Guerra Mundial.

Vários embaixadores de diversos países, nomeadamente dos EUA, França, Itália e Reino Unido marcaram presença no desfile.

Com uma população de 3,5 milhões, a Bósnia proíbe oficialmente a discriminação com base na orientação sexual, mas não reconhece a união entre pessoas do mesmo sexo.

«Exigimos uma sociedade na qual nos oporemos à violência, ódio, isolamento e homofobia juntos», palavras de um ativista, de seu nome Branko Culibrk.

A organização da Marcha do Orgulho Gay causou reações de algumas associações muçulmanas, e também de vários partidos políticos da Bósnia (muçulmanos) que pediram aos organizadores que desistissem.

Mais de 80% dos 340.000 habitantes de Sarajevo são muçulmanos