Acabaram entradas na função pública por cor partidária

Guiné-Bissau 03-10-2019 15:39
Por Lusa

A ministra da Administração Pública da Guiné-Bissau disse esta quinta-feira que acabaram as entradas na função pública do país por cor partidária ou por ser filho ou amigo de ministros, passando a fazer-se por «concurso livre e transparente».

 

«A entrada na administração pública hoje não é por cor partidária, isso acabou, não é por ser filho ou amigo da ministra da Administração Pública, isso acabou, nem do primeiro-ministro, nem do Presidente da República», afirmou Fatumata Djau Baldé.

 

A ministra falava no final da assinatura de um despacho conjunto com a ministra da Justiça guineense, Ruth Monteiro, para a formação de 70 notários e conservadores para ingressarem, mediante concurso público, no Estado guineense.

 

«A entrada a partir de agora na administração pública é através de concurso livre, justo e transparente conforme a capacidade de cada um», sublinhou a ministra.

 

Segundo Fatumata Djau Baldé, a administração pública guineense «pertence a todos» e todos devem poder ter acesso.

«Eu garanto que todos os concursos que vão ser feitos serão concursos transparentes e na base de termos de referência bem definidos. Quem apresentar aptidões será obviamente recrutado», concluiu.

Ler Mais

Últimas Notícias

Mundos