Guiné Equatorial envia embarcação para ligar as ilhas

São Tomé e Príncipe 29-06-2019 13:40
Por Lusa

O governo da Guiné Equatorial cedeu hoje a São Tomé e Príncipe uma embarcação com capacidade para mais de 300 toneladas para fazer a ligação entre as duas ilhas, devendo fazer ainda esta noite uma primeira viagem.

 

«Estamos a assistir ao esforço do Governo para encontrar soluções a esta limitação que nós temos de transporte de mercadorias para a região autónoma do Príncipe», disse o ministro das Infraestruturas, Obras Públicas e Recursos Naturais, Osvaldo Abreu, que se deslocou ao cais para receber a embarcação.

 

O cargueiro, de nome "Elobey VII", permanecerá no país durante um mês para assegurar a ligação entre as duas ilhas, estando prevista para finais de julho a vinda de uma outra embarcação de cargas e passageiros que deverá permanecer por tempo indeterminado em São Tomé.

 

A embarcação, semelhante ao "Amfitriti" que naufragou no passado dia 25 de abril, causando oito mortos e nove desaparecidos, vai estar ao serviço do país em fase experimental, para estudar as condições de navegabilidade, e deve depois ser substituído por uma outra com capacidade para passageiros e cargas.

 

«O navio vai fazer uma primeira viagem para testar a rota, e ter todos os elementos necessários para poder atuar com outras embarcações que também estão disponíveis e estão a ser preparadas para melhor adequar as nossas realidades», explicou Osvaldo Abreu.

 

O "Eboley VII" está adaptado somente para transporte de cargas que, segundo o governante, é o que mais falta faz nesta fase, para abastecer o mercado da Região Autónoma.

 

«Nesta primeira fase nós tomamos todas as medidas para garantir a segurança dos nossos cidadãos e enquanto nós não tivermos todos os elementos instalados que nos garanta esta segurança nós vamos restringir o transporte de passageiros», explicou o governante.

 

A embarcação pertence a uma empresa privada equato-guineense que, de acordo com Osvaldo Abreu, «já faz o transporte de mercadorias e de passageiros» entre a Guiné Equatorial e as diversas regiões e ilhas deste país, adiantando que São Tomé e Príncipe «deverá fazer parte deste circuito».

 

Osvaldo Abreu aproveitou a ocasião para anunciar que as negociações com a Guiné Equatorial visa assegurar também a ligação aérea e marítimas entre as duas ilhas.

 

«A intenção também é esta, incrementar o comércio entre os dois países arquipelágicos, em cooperação com alguns agentes. Estamos a trabalhar para que brevemente se possa fazer aos nossos céus uma empresa da Guiné Equatorial que ligará as ilhas de São Tomé e Príncipe por via aérea», disse Osvaldo Abreu.

 

Atualmente, essa ligação é assegurada pela STP Airways, em voos operados pela portuguesa euroAtlantic Airways - que também assegura a ligação entre Portugal e São tomé -, mas o Governo são-tomense já anunciou a intenção de terminar essa parceria até outubro.

 

O FUTURO COM O NOSSO PASSADO


Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo de qualidade que se faz da grande história, da investigação e da grande reportagem – nós temos esse jornalismo (o jornalismo que fez com que se falasse de A BOLA como a Bíblia) para lhe continuar a dar.

Porque A BOLA não quer que o jornalismo deixe de ser o jornalismo do texto criativo e sedutor e da opinião acutilante que não se faz de cócoras ou de mão estendida – nós temos esse jornalismo para lhe continuar a dar…

… e para nos ajudar a manter e a melhorar esse jornalismo sério e independente com o timbre de A BOLA,

Junte-se a nós nesse novo desafio ao futuro, tornando-se nosso assinante.

ASSINE AQUI

A Edição Digital de A Bola

Ler Mais

Últimas Notícias