SEGUNDA-FEIRA, 24-04-2017, ANO 18, N.º 6295
Apoio a Marc Bartra
Borussia Dortmund
Marc Bartra recorda o atentado ao autocarro do Dortmund
14:45 - 14-04-2017
Ainda a recuperar dos ferimentos causados pela explosão, que teve como alvo o autocarro do Dortmund, na terça-feira, Marc Bartra recordou, esta sexta-feira, os momentos de pânico que viveu.

«Estive agora com a minha família, o meu tudo, a razão pelo qual enfrento os obstáculos e são eles que me ajudam a superar esta experiência, a pior da minha vida», começa por escrever na rede social Instagram.
«A dor, o pânico, a incerteza de não saber o que vai acontecer, ou quanto vai durar… Esses foram os 15 minutos mais longos da minha vida.»

O jogador diz que a experiência deu-lhe uma nova perspetiva na vida.

«À medida que o choque desvanece, a vontade de viver aumenta. A vontade de viver, amar, chorar, rir, acreditar, jogar, treinar, saborear o tempo com os meus. Quero saborear ainda mais a minha paixão, cheirar a relva antes de cada jogo e entrar em campo. A única coisa que peço é para viver em paz.»

«Hoje em dia olho para o meu pulso, aleijado e inchado e, sinto orgulho. Olho para os meus ferimentos com orgulho, porque penso no dano que nos queriam fazer na terça-feira, e vejo como falharam. Mesmo os ferimentos que me fizeram vão curar, graças aos médicos, enfermeiras e fisioterapeutas.»

O jogador, de 26 anos, despediu-se com um agradecimento a todos os que o apoiaram.

«Para os milhares de pessoas que me apoiam, que me desejaram melhoras, para a comunicação social e colegas, que me deram apoio e amor, para todos, um obrigado. Pode parecer pouco, mas são vocês todos que me dão força para ir em frente.»
Redação

comentários

1
Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter
Faça um comentário (máx: 300)
peroladoindico
14-04-2017 15:23
É isso!

mais de BORUSSIA DORTMUND

Borussia Dortmund O treinador do Dortmund analisou a derrota (1-3) com o Mónaco, que confirmou o ‘adeus’ da equipa alemã à Liga dos Campeões. «Tivemos azar no primeiro golo e isso destruiu a nossa autoconfiança. Depois cometemos demasiados erros. Tentámos reentrar
Borussia Dortmund Thomas Tuchel e Marco Reus acreditam que o Dortmund estará mais forte, esta noite, contra o Mónaco, do que estiveram na derrota por 2-3 na Alemanha. Em antevisão à segunda mão dos quartos de final da Liga dos Campeões, admitiu que a equipa não est

destaques