QUARTA-FEIRA, 24-05-2017, ANO 18, N.º 6325
José Neto
Espaço Universidade
Homenagem ao Professor Doutor Manuel Sérgio na Assembleia da República (artigo de José Neto, 48)
13:31 - 29-03-2017
José Neto
Meu querido e amado Professor:

O tempo não meramente passa … cabe a nosso impulso racional por vezes retê-lo. Mas é tão curto o tempo que me foi concedido do tanto que tinha para dizer… vou tentar converter cada milésima de segundo como se fosse uma passada numa corrida de 100 metros para conquistar uma medalha de ouro nos jogos olímpicos, com uma radiosa esperança de ver o seu coração a sorrir para mim.

Embora o tenha lido no decorrer da licenciatura em Educação Física pelo ISEF da Universidade do Porto (1º Curso 1976/81), comecei a conhecer verdadeiramente o Professor Manuel Sérgio através doutra figura notável que eu persisto em cultivar em memória, constituída de ternura, afeto e gratidão – o senhor José Maria Pedroto (já foram hoje 15 as vezes que aqui pronunciaram o seu nome). Perguntava-me o senhor Pedroto pelos inícios dos anos 80, se eu conhecia o Professor Manuel Sérgio, ao que respondi que tinha acabado de ler algumas das suas reflexões. Alguém que dizia que não havia Educação Física, etc… e eu que tanto sacrifício fiz para concluir o curso, advindo do curso de direito pela paixão motivada pelos meus primeiros alunos, quando em 1974/75 me aplaudiam quando eu aparecia na Escola e me desviaram para uma área que viria a ser a minha felicidade profissional … por isso tanto os amo e trago sempre amarrados ao coração…

Bom, dizia eu que tanta canseira e suor na luta para concluir o curso, até tive a sensação que ia morrer afogado na primeira prova de natação (tirar a roupa dentro de água na parte funda da piscina) pois não sabia nadar, (mas no final do ano, dispensei da oral, fiz os mínimos em 3 estilos e com 17 na escrita e alguns colegas que voavam sobre a água mas com resultados insuficientes na explicação causal da prática técnica e cientificamente sustentada, viram reprovados os seus esforços…), esta reflexão do Professor de que não havia Educação Física irritava-me, sinceramente.

O senhor Pedroto interpelou-me para também me confidenciar o que o Professor lhe havia dito num determinado dia através dum telefonema: “olhe parece-me a mim que o Frasco não precisa muito de treinar… o que porventura mais precisará é de comer!”... Um dia vou-lhe apresentar o Professor - disse-me o senhor Pedroto. E assim foi. Num estágio no Hotel Tivoli Jardim, após o jantar o senhor Professor veio ter connosco, como tantos iam na altura. Lembro jornalistas consagrados como os senhores Homero Serpa, Aurélio Márcio, Carlos Pinhão, Alfredo Farinha, etc… e o que ouvi do diálogo estabelecido entre os dois, foi suficiente para passar o resto da noite em claro.

É verdade, dizia de forma repetida o Professor Manuel Sérgio: não há educação de físicos … há sim educação de pessoas no movimento intencional de transcendência. Não há preparação de bestas esplêndidas, mas do corpo em ato onde emerge a carne, o sangue, o desejo, o prazer, a paixão, a rebeldia, as emoções, o sentimento – tudo isto visando a transcendência ou a superação. O homem atleta visto em cinco dimensões: corpo, mente, desejo, natureza e sociedade.
A doutrina do Professor Manuel Sérgio era para a época e para alguns peregrinos da verdade contra os arautos do azedume (eles ainda andam por aí), um corte radical de tal forma que o senhor Pedroto acabou por me confessar que estávamos perante um profeta, tal era a visão deste senhor também tão adiantado no tempo que me dizia. “olha para o jogo e ele te dirá como deves treinar” … e o Professor Manuel Sérgio completava: “olha para a vida que ela de dirá como deves viver”!...

Aliás concluía mais tarde citando também Victor Frankl: correr dá saúde?... caminhar dá saúde?... nadar dá saúde?... pode ser que sim. Mas nunca esqueças que o mais importante para ter saúde é que a vida tenha sentido para nós!... O Professor Manuel Sérgio reformula assim a partir dos finais da década de 70 o próprio conceito do treino desportivo ao dizer que não pode haver preparo físico independente do modelo de jogo, adiantando que na preparação física, técnica, tática, fisiológica, psicológica … o todo é uma referência constante pela sua complexidade, onde a ciência e a consciência não se pode limitar aos gastos neuromusculares e energéticos. De facto as suas ideias deram origem a uma nova ciência, da motricidade humana, em que não se investiga um movimento qualquer, mas movimentos intencionais com significado e sentido. A própria e recente cognominada periodização tática, teve quanto a mim origem neste conceito de periodização antropológica, para depois se esbater na tática.

O Professor Manuel Sérgio foi ao longo do tempo renovando este pensamento em que, como refere: “o conhecimento científico nasce da dúvida e alimenta-se da incerteza e … não há teoria sem prática, nem prática sem teoria. Se bem que a prática seja mais importante do que a teoria, esta só tem sentido se for a teoria duma determinada prática!”... Querido e amado Professor – jamais o poderei esquecer! Por isso também quando concluiu os 75 anos de vida, o homenageamos na minha autarquia de Paços de Ferreira, repetindo o ato num dos vários Congressos internacionais de Futebol no Instituto Universitário da Maia – ISMAI, onde também durante vários anos tivemos a honra de o ter junto de nós como líder carismático e sendo colegas … eternos aprendizes!...

Recordo que quer na sala de aulas, quer nos corredores de acesso, sempre que o Professor se deslocava, acontecia primavera, tal era o entusiasmo e a alegria contagiante de todos que o acompanhavam.
Acrescento que está ali junto a outro ilustre amigo que muitíssimo o admira, Dr Lourenço Pinto, o nosso Magnífico Reitor, Professor Doutor Domingos Silva que quis demonstrar com a sua presença um traço de identidade e gratidão. São inúmeras as vezes que no decorrer das minhas aulas nos cursos de treinadores ou com meus alunos da faculdade faço entrar o nosso querido Professor para junto de nós. Abrem-se em mim as portas da saudade e agarro no telefone e em alta voz faço o contacto para se ouvirem palavras sábias que se cruzam no silêncio e admiração de quem as ouve e nelas fica a meditar… acabando sempre com uma salva de palmas e do outro lado aquele sorriso reconhecidamente encantador.

Podia descrever tantas histórias que me ajudam a cultivar a memória. Algumas até pitorescas onde tenho tido o privilégio de o acompanhar em seminários, colóquios, etc… Desde Bragança à Covilhã, de Viana do Castelo à Sertã. Conto esta: ali mesmo, tantas foram as vezes que lá estivemos que sempre nos presenteavam com uma linda cesta de vime carregada de vinho, azeite, presunto, queijo, maranhos … chegou uma altura que o Professor até disse: ó meus amigos muito obrigadinho, mas já não consigo dar saída a tanto presunto… podiam por favor substituir por uns queijinhos?! ...para risota geral!... Ilustres amigos este é um humilde testemunho que tanto me honrou proferir referente a este nobre senhor do meu temp(l)o sagrado e que tanto me ajudou a iluminar o bom caminho do relacionamento humano, onde apetece sempre converter em gratidão e aplauso.

Quando tive a oportunidade de o conhecer, desapertei as minhas sandálias e lancei-me à estrada da vida. Escutei o eco do meu silêncio e fui construindo imagens que a minha memória sempre haverá de evocar!... Quantos foram os prefácios que me honram em algumas das minhas publicações, porventura com muito mais substância em relação à matéria propriamente dita… Querido e amado Professor Doutor Manuel Sérgio – olho para os seus olhos e neles ainda vejo algumas lágrimas de alegria e orgulho que se soltaram após ter terminado a apresentação da tese do meu doutoramento e que tanta energia me dedicou para que nesse dia acontecesse uma das festas mais bonitas da minha vida.

Termino referindo o que tantas vezes me vai confidenciando, citando Hegel: “ a ave de Minerva (ave da sabedoria) só levanta voo ao entardecer”. Coloco os meus olhos no infinito e como é linda a ternura do seu voar, desde a aurora até ao toque das trindades, anunciando o descanso para depois um novo dia voltar a nascer … com o meu querido e amado Professor Manuel Sérgio, juntinho ao meu coração!...

José Neto – Metodólogo do Treino Desportivo; Mestre em Psicologia Desportiva; Doutorado em Ciências do Desporto/Futebol; Formador de Treinadores F.P.F.- U.E.F.A.; Docente Universitário

comentários

1
Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter
Faça um comentário (máx: 300)
HumbGomes
30-03-2017 18:00
Não obstante estar em dívida para com o Espaço..., não irei traduzir em artigo, o que me vai na alma, enquanto agente desportivo, porque, meu querido Zé Neto, já o fizeste de forma brilhante, em relação ao mestre - porque sábio ! - prof. Manuel Sérgio : uma benção tê-lo e amá-lo,no saber e no fazer

mais de ESPAÇO UNIVERSIDADE

Espaço Universidade A Treinadores de Portugal promove entre 3 e 4 de junho, no Pavilhão Multiusos de Gondomar, o 6º Congresso Treinadores de Língua Portuguesa. A entidade pretende englobar cada vez mais modalidades, tendo optado por um modelo misto: por um lado, con
Espaço Universidade Há muitas décadas que o Desporto Escolar (DE) se mantém como projecto ímpar no sistema educativo. O ministério da educação (ME), as escolas e os professores, com a colaboração de diversos parceiros, acumularam uma experiência notável de animação e fo

destaques