DOMINGO, 23-04-2017, ANO 18, N.º 6294
Fernando Santos com José Neto
Espaço Universidade
Doutoramento Honoris Causa do Engº Fernando Santos (artigo José Neto, 40)
17:27 - 23-11-2016
Não podia deixar de sentir bem perto a força aglutinadora duma imagem que a nobreza de princípios que orientam a vida dum homem bom, um amigo de referência, um treinador de excelência que se apresentou num jogo, quanto a mim entre os mais significativos que a vida do futuro haverá de continuadamente aplaudir – o título de Honoris Causa ao Engº Fernando Santos, pela Universidade de Trás os Montes e Alto Douro - U.T.A.D.

A convite do Magnífico Reitor Professor Doutor António Fontainhas Fernandes, foi com uma alegria imensa que abracei esse acordar do dia e encorpar o cortejo por entre muitas dezenas de doutorados, tendo a honra de ter como parceiro de fila outro senhor do tem(p)lo sagrado da minha existência e que no artigo anterior com inteira justiça referi alguns dos predicados que lhe adoçam a cultura da sua personalidade, Professor Doutor José Carlos Noronha.

Um título honorífico que a Universidade concedeu a Fernando Santos pelo facto de ter liderado de forma notável Portugal campeão europeu 2016, tendo evidenciado os princípios do desenvolvimento harmonioso das competências do homem com a preservação do apreço pela dignidade, em favor da sua magnitude do saber liderar todo um coletivo assente na verbalização simples mas convincente, tranquila mas eficiente, transportando os valores da honestidade, firmeza de convicções e sempre sintonizadas com a formulação de objetivos positivos, difíceis mas encorajadores.

Todos nos lembramos aquela máxima do nosso selecionador no início do torneio ao ter afirmado que não sendo favoritos, éramos candidatos a estar na final, avisando mesmo que só regressaria a Portugal no último dia da competição e que seria recebido em festa – estes os valores exponenciados dum estado de crença absolutamente demolidora.

Sem dúvida que esta atitude, porventura deixando quase todo um País num espanto, ou movido por um ceticismo inconclusivo, foi revelador dum estado que funcionou como instrumento mais facilitador do reencontro com o sucesso.
O caracter da nossa vida também se baseia como a percecionamos. Os sinais ambientais da nossa existência regulam, modificam e moldam as circunstâncias que fazem iluminar as variáveis onde melhor se pode alcançar o sucesso.

Bruce Lipton em “A Biologia da Crença” (pg.170), refere mesmo: “As nossas crenças atuam como filtros numa máquina fotográfica mudando a forma como vemos o mundo. A nossa biologia adapta-se a essas crenças e quando reconhecermos que as nossas crenças têm esse poder, mais fácil será encontrar a chama da liberdade para o êxito.»

Esse estado de crença do líder arreigado dum espírito positivo de conquista foi o motor capaz de ajudar a superar todas as adversidades, ganhando jogo a jogo.

Essa sabedoria do êxito experienciado, o entusiasmo e a alegria funcionou como detonador para a conquista da felicidade proporcionando a libertação das endorfinas, dopamina e serotonina o tal químico que gera a biologia que suporta as causas para o sucesso.

Outro aspeto a considerar foi essa constante energia para o pensamento positivo que ajuda a concentrar o que se pretende atingir e esquecer o que se deve evitar.

Como enunciou Mahatma Gandhi:

«As tuas crenças tornam-se os teus pensamentos
Os teus pensamentos tornam-se as tuas palavras
As tuas palavras tornam-se as tuas ações
As tuas ações tornam-se os teus hábitos
Os teus hábitos tornam-se os teus valores …
Os teus valores tornam-se o teu destino!…»

Aliás essa partilha dos sentimentos evocada nas emoções experimentadas conduziu a equipa a um estado absolutamente demolidor e o golaço de Éder foi quanto a mim mais uma nota da consequência desse desejo fortalecido pelas convicções (Mister vou entrar e vou marcar), ampliado pela alegria, estimulado pela confiança que resultou no reencontro do êxito pensado, para o sucesso conseguido.

Ainda a constar essa força mobilizadora do empenhamento coletivo tão bem caraterizado nas palavras bem sentidas de Cristiano Ronaldo no balneário no após jogo e que agora a UEFA tornou públicas.

Como é que a figura carismática dum líder retratado pela experiência, evocado pela crença, fortalecido por um notável espírito de conquista se tornou porta estandarte dum sucesso que a história do futebol jamais deixará de evocar!...

Foi uma manhã plena de alegria autenticada pelo tributo Honoris Causa atribuído ao meu bom amigo e nosso Campeão Engº Fernando Santos. Mais ainda porque pude confirmar na singularidade do seu discurso a ternura duma relação com os valores da humanidade. O olhar sereno, que ia escapando entre o seu sorriso, construía um eco de harmonia com a beleza da vida.

Tudo começou com a visão estratégica e modelar do Presidente da Federação Portuguesa de Futebol Dr Fernando Gomes que descobriu a fórmula de colocar na liderança dum projeto, um dos poucos que seriam capazes de lhe dar dimensão altamente ganhadora. Alguém que foi capaz de cultivar o conhecimento e traduzi-lo em sabedoria, arrastando até si uma estrutura profissional técnica de alto gabarito e um conjunto de jogadores que estabeleceu uma relação de união indestrutível, fazendo dessa competência a história da razão dum País que no final do europeu e por entre altas madrugadas cantou até à rouquidão: “CAMPEÕES …CAMPEÕES… NÓS SOMOS CAMPEÕES!...»

O estado de crença, como já referi, reconhecidamente abençoado por um Deus criador e que tão bem expressou numa frase retirada dum texto bíblico (Mateus 10:16) quando Jesus Cristo se referia aos discípulos: «Eis que vos envio como ovelhas para o meio dos lobos – sede simples como as pombas e prudentes como as serpentes, isto é, precavidos, sensatos e cautelosos, mostrando a simplicidade, sem arrogância, sem prepotência, exercendo o bem e dando o máximo em amor e humildade.»

Por último, uma constante em presença, o valor significativo da sua família. Quanto a mim, estes que conduzidos pela seiva dos princípios que lhe dá a substância de uma relação convertida em amor, lhe vão medindo o tempo que passa num ideal de felicidade que sempre iluminará o próprio caminheiro do futuro. Fernando Santos o testemunhou de forma bem sonora: sem a presença de vós na minha vida, eu não seria ninguém!...

Das primeiras filas do Auditório da Universidade sentia-se perfeitamente uma cumplicidade de afetos tamanhos de ternura e deveras expressivos de suas filhas e esposa, a graça de entusiasmo e festa de seu netinho e aquele olhar … ai aquele brilho no olhar, continuadamente penetrante e nobre da senhora sua mãe!...

Foi uma manhã à CAMPEÃO!... Honradamente grato pelo convite para estar presente Estimado, Ilustre e Magnífico Reitor da Universidade de Trás os Montes e Alto Douro- UTAD, Professor Doutor António Augusto Fontainhas Fernandes.

José Neto – Metodólogo de Treino Desportivo; Mestre em Psicologia Desportiva; Doutorado em Ciências do Desporto/Futebol; Formador de Treinadores F.P.F.-U.E.F.A.; Docente Universitário.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

comentários

0
Imprimir Enviar e-mail Facebook Twitter
Faça um comentário (máx: 300)

mais de ESPAÇO UNIVERSIDADE

Espaço Universidade Vivemos tempos de instabilidade única, total, global. Os exemplos sucedem-se a velocidade incalculável e a incerteza tornou-se absoluta em todas as latitudes. O caos nunca surge de improviso, nem devagarinho pela sombra. Vai-se alimentando de vícios,
Espaço Universidade A Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto do Instituto Politécnico da Guarda vai organizar, no próximo dia 25 de abril, o 2.º Congresso de Futebol subordinado ao tema Competências multidisciplinares para uma intervenção mais qualificad

destaques