Pedro Proença toma posição e defende «reflexão profunda dos dirigentes»

Sporting 15-05-2018 23:06
Por Redação

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional defendeu uma «reflexão profunda dos dirigentes, porque há uma linha que foi ultrapassada» esta terça-feira no caso de atos violentos na Academia do Sporting em Alcochete. Em declarações à RTP, Pedro Proença, afirmou:


«Chegou o momento de reflexão profunda dos dirigentes, porque há uma alinha que foi ultrapassada, porque o que se passou não foi um caso desportivo, é um caso de polícia, contra os verdadeiros artistas do futebol», afirmou.


Pedro Proença classificou este episódio como «uma página negra do futebol em Portugal», ressalvando que «o futebol não é isto».


O presidente da LPFP deixou «uma palavra de condenação veemente de todos estes atos primários» demonstrando a sua «solidariedade com os técnicos, os jogadores e as suas famílias, porque não são estes os valores que temos preservado nas competições profissionais».


«Ao Jorge Jesus, uma pessoa que eu aprendi a reconhecer o seu trabalho, enquanto árbitro de futebol, quero deixar uma palavra de apreço e solidariedade, assim como a todos os jogadores, que têm sabido defender as cores leoninas. É chegada uma altura de os estados gerais do futebol, FPF, Liga, Sindicato, Associação de Árbitros, agora que vamos entrar num período onde não há futebol é momento de nos sentarmos à mesa e refletirmos o que queremos para os tempos vindouros do futebol em Portugal», frisou.

Ler Mais
Comentários (50)

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais